Espanha em risco de novas eleições. Sánchez falha acordo para formar Governo

Kiko Huesca / EPA

Os planos de Pedro Sánchez para formar governo parecem estar a desmoronar-se. O PSOE ainda não chegou a acordo com o Unidas Podemos e a abstenção do PP e do Ciudadanos parece longe de se concretizar.

Espanha vive um verdadeiro impasse político e arrisca-se a ter que fazer novas eleições caso os partidos não cheguem a um consenso. O líder do PSOE, Pedro Sánchez, sabia qual era o seu plano e procurava reunir o apoio do Unidas Podemos para tentar rondar a maioria simples numa segunda volta. No entanto, a coligação ainda não foi alcançada, devido às exigências da extrema-esquerda.

Pablo Iglesias, do Podemos, quer cinco ministérios e uma vice-presidência de cariz social, mas Pedro Sánchez recusa-se a dar lugares-chaves no Governo. Depois de três meses de negociações, o ponto de situação mantém-se o mesmo.

O debate desta segunda-feira, que serviria para tentar reunir apoio para uma coligação, acabou por afastar ainda mais o PSOE e o Podemos. Os dois lideres partidários protagonizaram uma troca de argumentos intensa, com Iglesias a acusar Sánchez de não se ter esforçado para chegar a uma acordo. O político de extrema-esquerda reiterava: o Unidas Podemos quer ter um papel relevante no Governo — algo que Sánchez resiste em aceitar.

“Não renuncio a entender-me com o Unidas Podemos, mas se não chegamos a um acordo, qual é a solução? Instalar um bloqueio político?”, disse Sánchez, citado pelo Observador. O atual presidente usou a pressão das eleições antecipadas para tentar dissuadir os outros partidos a chegarem a um consenso, mas a estratégia acabou por não resultar.

Pablo Iglesias não teve papas na língua e defendeu que Pedro Sánchez estava farto de inventar desculpas para não chegar a um acordo.

“A primeira foi que não somamos se fizermos um Governo de coligação. Disseram-nos que o nosso programa é muito radical e moderámo-lo. A terceira desculpa foi a Catalunha e dissemos que não havia linhas vermelhas da nossa parte. A quarta desculpa foi um veto à minha pessoa, algo inédito. Creio que não minto se disser que a nossa resposta vos surpreendeu e vos deixou sem desculpas”, disse Iglesias.

Portugal como exemplo

A cooperação existe em Portugal, a cooperação existe na Dinamarca, a cooperação existiu nos últimos 12 meses em Espanha e alcançámos em conjunto muitas coisas”, disse Sánchez no debate de investidura, tentando reunir esforços para um acordo com a extrema-esquerda.

O candidato do PSOE fez questão de agradecer publicamente a decisão que o líder do Unidas Podemos tomou na passada sexta-feira de deixar de exigir fazer parte de um eventual futuro Governo de coligação, posição que desbloqueou as negociações entre as duas partes.

Para ser investido na terça-feira, Sánchez necessitaria dos 123 votos do PSOE, dos 42 votos do Unidas Podemos e de outros pequenos partidos regionais, uma opção praticamente afastada, visto não haver ainda acordo com a extrema-esquerda.

Mas Pedro Sánchez espera que até quinta-feira possa chegar a um compromisso com o Unidas Podemos que lhe permita ser investido, 48 horas depois da primeira votação, quando já só precisa de ter mais votos a favor do que os contra a sua recondução.

Nas legislativas realizadas em 28 de abril último, o PSOE obteve 123 deputados (28,68% dos votos), o PP (Partido Popular, direita) 66 (16,70%), o Cidadãos (direita liberal) 57 (15,86%), a coligação Unidas Podemos 42 (14,31%) e o Vox (extrema-direita) 24 (10,26%), tendo os restantes deputados sido eleitos em listas de formações regionais, o que inclui partidos nacionalistas e independentistas.

No caso de não conseguir ser investido esta semana, haverá um período de dois meses para se tentar encontrar uma solução para a situação de impasse, antes de serem marcadas novas eleições.

Direita não colabora

Além de tentar um acordo com a esquerda, Sánchez também procurou o apoio da direita. O candidato do PSOE pediu insistentemente ao PP e ao Cidadãos para se absterem, para assim não depender dos independentistas catalães para ser investido.

“Não lhe peço que se abstenha de forma gratuita”, disse o chefe de Governo de gestão ao líder do PP, Pablo Casado, que recusou qualquer entendimento, porque Pedro Sánchez “não é uma pessoa em quem se possa confiar“, sendo um “prolongamento” do projeto de rutura do país defendido pelos independentistas.

Perante a insistência em abster-se, o líder do Cidadãos, Albert Rivera, também sublinhou que o seu partido ia votar “não” com as duas mãos: “não ao programa de Sánchez e não à equipa que vai executar o programa de Sánchez”, disse.

Por seu lado, Pablo Iglesias não gostou das insistências de Sánchez a pedir a abstenção da direita, tendo ironizado e pedido, “por favor”, ao candidato socialista para não pedir também a abstenção ao Vox.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Astrónomos treinam IA para encontrar antigas colisões de galáxias

Há luzes brilhantes em todo o Universo que representam as colisões de galáxias. Os astrónomos encontraram agora uma nova forma de as encontrar. Há luzes brilhantes em todo o Universo que representam as colisões de galáxias. …

Inteligência Artificial está a reviver jogos de tabuleiro ancestrais

A Inteligência Artificial consegue descobrir, com um grande grau de precisão, o conjunto de regras de vários jogos de tabuleiro ancestrais. Jogos de tabuleiro com centenas de anos são, por vezes, encontrados em escavações arqueológicas. Sem …

Panteras da Flórida estão a agir como se tivessem sido envenenadas (e os cientistas não sabem porquê)

Algumas panteras da Flórida, nos Estados Unidos, estão a ter um comportamento estranho ao andar, quase como se tivessem sido envenenadas. Os cientistas ainda não conseguiram perceber porquê. De acordo com o Washington Post, pelo menos …

SL Benfica 0-2 FC Porto | "Dragão" astuto arranca triunfo na Luz

O FC Porto foi ao Estádio da Luz vencer o “clássico” por 2-0 e recuperar a desvantagem de três pontos que tinha no campeonato. Com uma estratégia muito bem montada, baseada numa grande pressão sobre o …

Câmaras de Inteligência Artificial podem ser a solução para evitar tiroteios

Câmaras de videovigilância com Inteligência Artificial podem ser a solução para pôr um fim aos tiroteios. Esta tecnologia é capaz de detetar armas de fogo e avisar logo de seguida as autoridades. Com as dificuldades em …

Violência policial é uma das principais causas de morte de jovens negros nos EUA

A violência policial é uma das principais causas de morte entre jovens nos Estados Unidos, com os negros a terem 2,5 vezes mais hipóteses de serem mortos do que os homens brancos. O estudo, publicado este …

A Volocopter apresenta o seu táxi voador mais potente (e já andou no ar)

https://vimeo.com/355573555 Desde 2013 a Volocopter tem vindo a aprimorar o seu projeto de táxi voador. Desta vez, o design é mais redondo, mais simples e mais potente. O Volocopter é uma aeronave 100% elétrica que os criadores …

Israel desenvolve terapia à base de ecstasy para tratar stress pós-traumático

O Ministério da Saúde israelita desenvolveu uma terapia à base de MDMA - o componente ativo da metanfetamina popularmente conhecida como 'ecstasy' - para tratar pessoas que sofrem de stress pós-traumático resistente. Num entrevista sobre a …

Quaresma de saída do Besiktas. "Presidente não me quer na equipa"

Revelação feita pelo jogador, no Instagram: "Acabei de ser informado pelo presidente do clube que ele não quer que eu continue a jogar na equipa. Estou a tentar encontrar solução para o meu futuro". O internacional …

O Dr. House português diz que 90% do que os médicos fazem é "fantochada"

É conhecido como o Dr. House português, numa referência à série televisiva norte-americana, pela forma como faz diagnósticos certeiros. E Vítor Brotas que trabalha no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, admite que é "um médico …