/

Falta de funcionários ameaça fechar escolas durante partes do dia

5

Clonny / Flickr

Filinto Lima, da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, teme que mais estabelecimentos de ensino fechem portas por falta de funcionários.

Os diretores escolares temem que a falta de funcionários não docentes obrigue cada vez mais escolas a fechar portas durante algumas horas do dia. O fenómeno já aconteceu em alguns estabelecimentos de ensino no primeiro período do ano letivo, mas deve agravar-se no segundo período.

O alerta é feito pela Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) que admite que o Governo já colocou muitos funcionários nas escolas, mas não há notícia de novas contratações para tão cedo.

À TSF, Filinto Lima, da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), fala numa situação “dramática” de falta de recursos humanos. “As escolas só funcionam porque diretores e funcionários fazem das tripas coração.”

Nas contas do presidente da ANDAEP, faltam “pelo menos 811 assistentes operacionais” para que as escolas funcionem, um por cada agrupamento. “Se cada agrupamento tiver um assistente operacional em falta, são 811. Mas há alguns agrupamentos que têm dez assistentes em falta, ainda mais porque há assistentes que estão ‘de junta médica’ em casa há anos e continua a não haver regime legal que enquadre a sua substituição.”

“No primeiro período algumas escolas não conseguiram abrir portas em virtude desta escassez”, afirma Filinto Lima, dando contra de outras unidades escolares que encerraram por falta de funcionários durante algumas horas da manhã no período passado.

No último fim de semana, o Governo anunciou a contratação de mais 450 enfermeiros para o serviço público de saúde, medida aplaudia pela ANDAEP. Ainda assim, a associação pede mais atenção para a educação, onde os problemas também são graves.

Além das centenas de baixas médicas sem substituição, os diretores denunciam a existência de muitos funcionários não docentes que se reformam e não são substituídos, agravando o problema para este segundo período do ano letivo.

  ZAP //

5 Comments

  1. Pois os politicos não tem os filhos nas escolas publicas mas sim nos colégios privados sobre os quais nós os contribuintes pagamos impostos p/ eles terem os filhos nos colégios. Sim porque os colégios por incrível que pareça são comparticipados pelo EStado = impostos dos contribuintes. Depois não há dinheiro p/ as escolas publicas!!!! Contribuintes ponham os v/ filhos nos colégios e mandem a conta p/ o Estado já que é isso que os governantes pagam… TODOS temos DIREITO!

  2. A governação xuxalista no seu melhor. O PM diz que o país está bem. Na saúde ,educação e justiça é desmentido diariamente. Mas para ele basta dizê-lo e… acreditar, esperando que o povo burro faça o mesmo.

  3. Isto sim é a verdade da mentira em que está o nosso país.As contas estão boas porque este governo não esta a gastar no que é necessário,tudo para reduzir o défice e enganar a maioria dos portugueses!Educação ,saúde e obras publicas estão a ser usadas para reduzir o défice.A factura está a chegar…Isto é socialismo.Fazer de conta que tudo está bem quando tudo está mal!Show off…Com um governo destes ninguem investe ,apenas abrem restaurantes,hóteis e pouco mais,grandes industrias ,nada!!!O futuro será negro…

  4. o nogeira e os outros profs que estão a ganhar o bom ordenado de profs para andarem nas manifs que vão fazer esse trabalho que só lhes limpa a porca honra que tem. fecham porque não há funcionários espero que esse tempo seja descontado no ordenado dos profs grandes aliados do psd/cds. querem mais criados para tratar dos meninos os papás que paguem que eu já esgotei o plafond para esse peditório. o tempo que gastam a dizer asneiras aqui e no feicebuque bem podem aproveitá-lo para irem tratar dos meninos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE