Erdogan não compreende “silêncio” dos Estados Unidos no assassínio de Khashoggi

Daniel Kopatsch / EPA

Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, declarou este domingo não compreender “o silêncio” dos Estados Unidos sobre o assassínio do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

“Não consigo compreender o silêncio da América (…) Nós queremos que tudo seja esclarecido, porque se trata de uma atrocidade, trata-se de um assassínio”, disse Erdogan numa entrevista televisiva, acrescentando: “O assassínio de Khashoggi não é um assassínio comum”.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, afirmou em meados de janeiro, num périplo pelo Médio Oriente, ter obtido garantias de Riad relativamente a este caso, embora reafirmando a aliança estratégica com a Arábia Saudita.

Khashoggi, que escrevia para o diário norte-americano The Washington Post e se mostrava crítico em relação ao regime de Riad, foi morto a 2 de outubro dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul. A Turquia afirma que ele foi assassinado por uma equipa de 15 sauditas, e o seu corpo não foi, até agora, encontrado.

O seu assassínio mergulhou a Arábia Saudita numa grave crise diplomática e manchou a reputação do príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, que é acusado por responsáveis norte-americanos e turcos de ter ordenado a morte do jornalista. Riad imputou este homicídio a elementos “descontrolados”.

O julgamento de 11 suspeitos começou no início de janeiro na Arábia Saudita e o procurador-geral pediu a pena de morte para cinco deles. Ancara sublinhou várias vezes a necessidade de uma investigação internacional sobre este caso, lamentando a falta de transparência do inquérito saudita.

A relatora especial da ONU sobre as execuções extrajudiciais, sumárias e arbitrárias deslocou-se há alguns dias a Istambul e deverá divulgar em maio um relatório sobre o assassínio do jornalista saudita.

Agnès Callamard reuniu-se nomeadamente com o procurador da República turco em Istambul, Irfan Fidan, e foi recebida pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, Mevlüt Cavusoglu, e da Justiça, Abdulhamit Gül.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Fugitivo promete entregar-se se tiver 15.000 "gostos". Polícia dos EUA aceita

A Polícia de Connecticut, nos Estados Unidos, informou esta quarta-feira que um fugitivo com vários mandados de prisão concordou entregar-se, mas com uma condição insólita: arrecadar 15.000 "gostos" no Facebook. De acordo com a Esquadra …

Há um pequeno satélite a revolucionar o setor espacial. Chama-se CubeSat

Apesar das pequenas dimensões do CubeSat, o satélite é capaz de efeitos extraordinários que estão a revolucionar o setor espacial. Os avanços da microeletrónica das últimas décadas permitiram desenvolver sistemas espaciais eficazes, de forma mais rápida …

Guardiola já terá chegado a acordo com a Juventus

O treinador espanhol Pep Guardiola já terá chegado a acordo com a Juventus para ser o próximo treinador dos bianconeri, avança a agência italiana AGI.  De acordo com a mesma fonte, Guardiola, de 48 anos, prepara-se …

Porto quer declarar guerra às gaivotas. "É uma questão de saúde"

Vários organismos reclamam que é necessário tomar medidas para controlar o excesso de gaivotas nas zonas urbanas, que se tem tornado num problema de saúde pública. São várias as queixas na zona do Porto por incidentes …

Esta cigarra é a mais ameaçada em Portugal. Só existe em dois ou três sítios do Alentejo

A Euryphara contentei - há quem lhe chame só cigarrinha e há quem diga cigarrinha-verde - resiste apenas em alguns locais exíguos da planície alentejana. É a mais ameaçada das 13 espécies de cigarras que …

EUA anunciam ajuda de 16 mil milhões de dólares a agricultores prejudicados pela disputa comercial com a China

A administração Trump disponibilizará 16 mil milhões de dólares (cerca de 14 mil milhões de euros) para manter os agricultores à tona durante a guerra comercial entre os Estados Unidos (EUA) e a China, anunciou …

Perdeu a família e foi violada. Quase duas décadas depois, recebeu a maior indemnização de sempre na Índia

Na primavera de 2002, uma jovem de 19 anos, grávida de cinco meses, foi violada por 11 homens que lhe mataram a família. Teve que fingir-se de morta para escapar. Agora, 17 anos depois, o …

Ivo Rosa questiona legalidade de provas da ​Operação Marquês

O juiz de instrução criminal da Operação Marquês, Ivo Rosa, tem dúvidas sobre a legalidade de algumas provas recolhidas na investigação, tendo assinado um despacho que enviou para os advogados dos arguidos para se pronunciarem. Segundo …

"Desprezo" do Governo terá "consequências terríveis" no futuro, avisa Fenprof

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, argumentou que o Governo “desrespeita, desvaloriza e até chega a manifestar desprezo pelos professores”, o que terá “consequências terríveis para o futuro”, como a falta de docentes. “O que temos …

Berardo admite que se excedeu no Parlamento. "Tenho servido de bode expiatório"

O empresário José Berardo, mais conhecido por Joe Berardo, admitiu esta quinta-feira que se excedeu durante a sua audição na comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, mas disse que não tinha a …