E se as encomendas entregues por drones chegam quando não está ninguém em casa? A DroneDek resolveu a questão

Vídeo ZAP com o apoio de: Chip7 – 50 lojas de informática próximo de si

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Tecnologia desenvolvida por startup americana prevê que, através de cordas retráteis, os drones insiram encomendas numa caixa de correio inteligente que pode ser fixada ao chão ou às próprias casas.

Num passado recente, têm sido comuns as notícias que dão conta de empresas de tecnologias a trabalhar no objetivo de permitir a entre da encomendas através de drones, uma estratégia que permitiria alcançar localizações mais remotas, poupar força de trabalho ou até, em última hipótese, chegar a cenários de catástrofes naturais — como recentemente aconteceu em La Palma, devido às consequências do Cumbre Vieja.

Mas foquemo-nos no primeiro ponto, a entrega de encomendas comuns. O que deve o drone fazer — ou que ordens lhe devem ser transmitidas — quando deve realizar uma entrega e o destinatário não está em casa? Transportá-la de volta para a central logística? Deixá-la à porta? Bem, uma start-up norte-americana, a DroneDesk, parece apostada em resolver a questão, tendo criado uma “grande e inteligente” caixa de correio, que pode ser fixada ao chão ou até à casa de um utilizador.

Paralelamente, a caixa de correio faria parte de um sistema mais vasto, no qual os clientes poderiam usar uma aplicação para encomendar artigos de diferentes lojas e serviços utilizando a tecnologia.

Assim, à medida que o drone se aproximava de uma casa onde deveria fazer a entrega, receberia informações para deixar a mercadoria nas coordenadas GPS exatas correspondentes à caixa de correio da DroneDek. Chegado ao local, o drone transmitiria um código encriptado de segurança à caixa, a qual abriria a sua janela superior como resposta.

Posteriormente, o drone inseriria a encomenda na caixa através de uma corda retrátil. Após esta tarefa estar concluída (com a corda recolhida), a porta superior é fechada e trancada. Terminada a missão, o aparelho poderá, por exemplo, retornar à central logística ou permanecer no topo da caixa para recarregar baterias através de wireless.

O destinatário da encomenda será notificado pela aplicação que tem no telemóvel referente à empresa, uma vez que o drone tem um leitor de códigos de barra e QR, de forma a identificar o dono da mercadoria. Há também a hipótese de o destinatário visualizar a encomenda, através de uma câmara conectada à internet no interior da caixa de correio.

Adicionalmente, se no interior da mercadoria existir algum artigo que precise de ser mantido a temperaturas específicas, a DroneDeck também ativaria essa funcionalidade — mantendo-a até a encomenda ser recolhida pelo destinatário.

A startup, que partilha o nome com a tecnologia que desenvolveu tem ainda planos para elevar as tecnologias presentes na DroneDeck, por exemplo, ao nível da análise do conteúdo da encomenda, para encontrar possíveis objetos explosivos ou tóxicos. Nestas situações, a caixa de correio — que, como é facilmente percetível, é muito mais do que isso — contactaria as autoridades ou tentaria esterilizar as caixas ou pacotes nas suas superfícies.

A DroneDeck pode também ser usada como uma caixa de correio normal, dado ranhuras disponíveis para o depósito de cartas ou pequenas encomendas. Os carteiros tradicionais também poderiam deixar no seu interior através de métodos semelhantes aos usados pelos usados pelos drones.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.