Eleitores surpreendidos com filas e confusão para votar antecipadamente

Manuel Fernando Araújo / Lusa

Grande afluência de eleitores por voto antecipado

As enormes filas e a confusão para encontrar as secções de voto surpreenderam os milhares de eleitores que decidiram exercer durante a manhã deste domingo, em Lisboa, o voto antecipado em mobilidade.

Filas que contornavam parques de estacionamento, outras que se estendiam por várias dezenas de metros. Era este o cenário, cerca das 11:00, na Cidade Universitária, em Lisboa, para os eleitores que optaram por votar antecipadamente para as presidenciais.

Apesar da extensão das filas, o tempo de espera era curto e a maioria das pessoas não ficava mais do que dez minutos à espera para votar. Contudo, algumas pessoas mostravam-se insatisfeitas quando chegavam a uma secção de voto e, afinal, estavam no local errado.

“Tem de ler o edital”, respondiam os funcionários à porta de cada uma das faculdades encarregues de encaminhar as pessoas para a respetiva secção de voto. Descontentes, as pessoas que se equivocavam diziam que tinham estado numa fila enorme e que agora teriam de ir para outra.

“Pensava que [vir votar antecipadamente] era mais simples para mim, afinal há aqui alguma resistência com esta fila”, disse à Lusa Francisco Menano, de 71 anos, que estava há “pouco mais de sete, oito minutos” na fila em direção ao edifício da Universidade de Lisboa.

Francisco acrescentou que quando chegou à Cidade Universitária ficou surpreendido com a fila “monstra” e pensou até “desistir” e voltar mais tarde. Contudo, mostrou-se contente com a “facilidade” com que a fila estava a progredir.

Luís Esperidião, de 42 anos, também decidiu votar hoje porque achou “que era importante diversificar os dias de voto, para que houvesse menos dias de concentração de pessoas”, mas “estava à espera que estivesse menos gente”, apesar de a fila estar a “andar bem”.

Por seu turno, Luís Fernandes descreveu “um bocado de confusão”, já que está “tudo misturado, uma pessoa não sabem onde é que pode pedir as informações e mete-se numa fila errada”. Contudo, o eleitor de 33 anos acredita que, se as pessoas “se mantiverem afastadas”, não haverá problemas com a pandemia.

Ivo Pires, de 41 anos, já tinha votado antecipadamente em mobilidade nas europeias de 2019 – primeiras eleições que contemplaram esta modalidade de voto em Portugal. Na altura, votou antes do dia do sufrágio nacional “por razões profissionais”, desta vez foi “por uma questão de organização familiar”, tendo em conta “a situação atual da pandemia”.

Contudo, outras maneiras de votar eram bem-vindas: “Vivemos numa época em que se devia facilitar muito mais o voto. Há imenso apelo ao voto, mas quem apela ao voto nada faz para facilitar o voto. Só esta modalidade de voto antecipado… Podia haver voto por correspondência, voto eletrónico”.

Esta opinião é partilhada por Luís Esperidião que disse não compreender como é que ainda “não existe o voto ‘online’”, tendo em conta a pandemia.

Já Ana Ornelas, de 19 anos, disse que estava “bastante contente” por ver tantas pessoas a votar hoje. A estudante de Direito, natural da Madeira, acrescentou que as longas filas são “sinal de que as pessoas não vão ficar em casa” e que vão exercer o direito de voto “independentemente da pandemia”.

O dia de hoje “tem tudo para correr bem” e Ana Ornelas espera que seja assim no dia também no próximo domingo, com “as mesmas medidas” de distanciamento físico e de proteção.

Diogo Melim, de 20 anos, também natural da Madeira, disse estar surpreendido por ver “muita gente”, mas defendeu que é importante votar porque está em causa o futuro do país.

Entre todas as pessoas que a Lusa entrevistou, apenas uma confessou que não trouxe a própria caneta para votar.

Os portugueses começaram a votar este domingo, a uma semana das presidenciais de 24 de janeiro, através do chamado voto antecipado em mobilidade, para o qual 246.880 eleitores, um número recorde desde que esta modalidade foi introduzida, em 2019.

Lisboa é o concelho com mais inscritos, 33.364, seguido do Porto, com 13.280, e Coimbra, com 9.201, de acordo com o mapa publicado pelo Ministério da Administração Interna, em que se informa quais os locais de voto em cada um dos concelhos.

Depois da experiência de 2019, o voto antecipado em mobilidade alargou-se, das capitais do distrito para as sedes dos concelhos, e o objetivo é simples: evitar grandes concentrações de pessoas devido à epidemia de covid-19 no país. Quem estiver inscrito para o voto antecipado e não o fizer, pode fazê-lo no próximo domingo.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Nem 1% da população..
    A grande maioria dos votantes são os sindicalizados nos partidos.
    Vamos ver a tx de abstenção que aí vem..

RESPONDER

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …