/

O que se passa nos Açores, não fica nos Açores. Direção de Rio terá negociado com Ventura em Lisboa

6

ppdpsd / Flickr

O presidente do PSD, Rui Rio

O acordo alcançado nos Açores entre PSD e Chega terá sido negociado em Lisboa. O Expresso avança que André Ventura se reuniu com Adão Silva, líder parlamentar do PSD, e com Rui Rio. No entanto, as duas partes desmentem.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com o semanário Expresso, Adão Silva, líder parlamentar do PSD, reuniu-se “discretamente” com André Ventura na Assembleia da República, três dias depois das eleições açorianas. No encontro, terá sido feita uma primeira avaliação sobre um entendimento de incidência parlamentar na região autónoma e André Ventura terá apresentado as suas condições.

O Expresso avança ainda que, além dessa reunião, foi combinada uma conversa pessoal entre Rui Rio e André Ventura para a mesma semana, mas nenhuma das partes confirma ter acontecido.

“As reuniões que possam ter existido com o Chega para efeitos do acordo dos Açores foram realizadas exclusivamente nos Açores“, respondeu a assessoria de imprensa do PSD, num email enviado ao semanário. O Expresso escreve, no entanto, que algumas fontes garantem que o encontro aconteceu.

Ao matutino, André Ventura recusa “alimentar a novela” insular. “Tenho confiança de que o PSD cumprirá a sua parte e sei que o Chega fará a sua. Acho que os Açores ficaram a ganhar”, disse apenas.

José Manuel Bolieiro, que foi indigitado presidente do governo regional dos Açores no sábado, confirmou ao Expresso que esteve sempre sintonizado com a sede nacional do PSD. “Informei o líder do partido das diligências que estava a tomar, quer para o acordo governativo nos Açores quer para os acordos de incidência parlamentar”, referiu.

Apesar disso, Bolieiro garante nunca ter pedido “licença” para qualquer movimentação. “Foi tudo fruto da total autonomia dos órgãos regionais dos partidos, designadamente o acordo de coligação. Foi o órgão regional do PSD, até porque eu disse, no dia em que fizemos o acordo de governo, que seria um governo profundamente autonómico e para os Açores.”

Adão Silva ajudou André Ventura a limar o comunicado

Na edição desta sexta-feira, o semanário avança ainda que, a 6 de novembro, André Ventura enviou a Adão Silva um esboço de comunicado que se preparava para divulgar sobre o anúncio do acordo.

O líder parlamentar social-democrata rejeitou a primeira versão e ajudou a afinar o documento.

“O deputado André Ventura enviou uma proposta de comunicado que pretendia que não fosse desmentido pelo PSD e que, na sua primeira versão, não estava nessas condições porque dele se podia intuir que existia um acordo nacional. Posteriormente, através do deputado Adão Silva, enviou uma segunda versão, que estava em condições de não ser desmentida pelo PSD”, referiu o gabinete de Rui Rio.

PUBLICIDADE

A coligação PSD, CDS-PP e PPM toma posse nos Açores na próxima terça-feira.

  ZAP //

6 Comments

  1. Não entendo tanto alarido por causa do Chega.Eu quero lembrar especialmente os ”comunistas” deste país que.O Chega é um partido legal,registado na Assembleia da República por isso,se houver um partido que queira fazer um acordo com o Chega,qual é o problema?há já sei,estão com medo de perder os tachos.

  2. O que o PSD fez não é nada que o PS não tenha feito com a extrema esquerda em 2015. Com os comunistas que todos sabemos o que eles querem e só existem ainda em Portugal por ser um país atrasado. No resto da Europa já desapareceram dos parlamentos há muito tempo. E o berloque não é muito diferente. É onde se acoitam os das FP25 que foram condenados em todos os tribunais e o soares indultou.

  3. Eu sou socialista desde 40 há anos.
    Mas não sou burro, por isso tirei as palas assim já vejo melhor em frente e para os lados, façam o mesmo para verem melhor.
    Não sou socialista de extrema esquerda.
    Por isso eu apoio e voto em andré ventura.
    Quero portugal mais seguro, forças de segurança sejam respeitadas, educaçâo, acabar com os abutres corruptos, ganhar quem trabalha e os que não trabalham á custa do povo sem alguma deficiência, que vão trabalhar e assim esses deixam de mamar.
    Deixem-se de ditadores, fascistas etc…
    Pensem em portugal e vejam que podem evitar que portugal fique uma venezuela, cuba, sibéria etc… Etc…
    Eu socialista, confio em andré ventura
    meus amigos já viram alguma ditadura de extrema esquerda, ser democrática? Claro que não é onde paira a miséria e a pobreza…
    Viva portugal – viva andré ventura

  4. Mas onde está o problema de Rio e Ventura negociarem, quando Costa até toma decisões unilateralmente e pelos vistos ninguém se incomoda; mais ainda, por que razão o Chega provoca tanto medo naqueles que nunca se assustaram com negociações do PS com partidos de extrema- esquerda defensores e apologistas de ditaduras responsáveis pelos mais macabros crimes da humanidade? Quanto mais matracam com o papão Chega, mais adeptos estes ganham.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.