Devolver garrafas de plástico em supermercados vai dar prémio

O Governo vai lançar um programa de incentivo à devolução de garrafas de plástico não reutilizáveis, bem como de garrafas de vidro, metais ferrosos e alumínio. Em troca, há prémio.

De acordo com uma alteração a um decreto-lei publicada em Diário da República esta quarta-feira, os termos e critérios ainda não foram definidos mas já se deixa a indicação de que o consumidor poderá receber um prémio. Não se sabe, contudo, que prémio será.

O prémio atribuído ao consumidor ainda não está definido. Será “determinado mediante despacho do membro do Governo responsável pela área do ambiente”, ou seja, pelo ministro João Matos Fernandes.

A medida irá entrar em vigor a partir desta quinta-feira, com vista a uma implementação até ao dia 31 de dezembro de 2019. O diploma prevê que cada pessoa que devolva uma garrafa de plástico ou outras embalagens não reutilizáveis aos super e hipermercados deverá receber um prémio, ainda por definir pelo Ministério do Ambiente.

As grandes superfícies que adiram a esta medida terão de criar “nas suas instalações uma área devidamente assinalada e exclusivamente dedicada ao comércio de bebidas em embalagens reutilizáveis ou 100% biodegradáveis identificadas nos termos da lei”, estabelece o diploma, citado pelo Observador.

Até ao final do 3º trimestre de 2021 o Governo apresentará à Assembleia da República um relatório de avaliação do impacto da implementação do sistema de incentivos”, estabelece o artigo 23º do decreto-lei Decreto-Lei nº 152-D/2017.

A lei terá que ser regulamentada nos próximos 180 dias e a partir de 1 de janeiro de 2022 este regime será de carácter obrigatório.

A medida surge depois de Bruxelas ter avisado que Portugal é um dos países que corre risco de não cumprir a meta de reciclagem de 50% dos resíduos domésticos em 2020. Em 2025 esta taxa cresce para 55% e em 2030 para 65%. Os dados da Agência Portuguesa do Ambiente, relativos a 2017, apontam para uma taxa de reciclagem de 38% dos resíduos, valores que as organizações ambientalistas dizem estar errados.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. ao fim de tantos anos a batalhar na reciclagem so agora é que o governo abriu os olhos.
    ainda vai lançar um programa de incentivo, rsssss
    nao seria mais facil criar uma lei para que os supermercados tivessem maquinas destas?
    em vez de encherem os bolsos, tinham maquinas de reciclagem e davam taloes de descontos nas compras. aposto que os consumidores iam reciclar mais.
    antigamente era tudo de vidro e pagava-se o chamado vasilhame, assim obrigava os consumidores a entregarem as garrafas para reaverem a taxa do vasilhame.

    ha paises mais pobres do que nos, mas mais avançados pois que ja têm estas maquinas ha muitos anos

    https://www.youtube.com/watch?v=4UQdgu0e_9I

    • Esta deve ter saído do escritório do Paulinho Azevedo SONAE para pôr mais um negóciozito na sua mão. Já não basta a destruição que provocaram na família dos portugueses (trabalhar aos domingos), no negócio das mercearias de bairro (Continente) no negócio imobiliário (Shoppings), no negócio dos Health Clubs(Solinca), no negócio dos electrodomésticos (Worten), no negócio da roupa (Modalfa), no negócio das farmácias e opticas (Well´s), no negócio das lavandarias self-service (próximo) … detêm 34% da distribuição e ainda lhe vão meter mais uns milhões no bolso com esta … E depois ainda lhe dão condecorações….. Cambada de tristes, vejam se “Monhé” diz que o responsável pelo estado demográfico de Portugal é da grande distribuição… Nahhh, não convém…. Porque não vão pagar por isso, mas talvez os vossos filhos não tenham essa “sorte”..

  2. Este tipo de medidas já existe em muitos outros países. Na Alemanha, por exemplo, paga-se o vasilhame em plástico, e recebe-se de volta o valor ao colocar a garrafa ou o recipiente nos contentores de recepção das embalagens. Penso que o valor é de cerca de 25 a 50 centimos por uma garrafa. É uma medida fácil e prática, que desincentiva o uso de embalagens de plástico, e premeia quem recicla. E não custa nada a implementar.

    • Isso mesmo, usei isso em Amesterdan, tudo que utilizamos na semana de garrafa pet e latinhas devolvemos numa máquina e recebemos um cupom em Euros, para gastar no mercado, onde devolvemos. Devolvem o que pagamos de imposto pelo vasilhame. Deu janta para cinco.kkk

  3. O prémio deve ser igual àquele que as burras ganham em Maio e as gatas em Janeiro. Ainda me lembro muito bem quando se devolvia o vasilhame e se recebia o dinheiro. Houve tempo que quase nem havia taras perdidas e os produtos com essas taras (perdidas) eram sempre mais caros. Esse serviço de troca de vasilhame deveria dar muito trabalho aos supermercados e com o tempo passou tudo a tara perdida. Claro que essa tara é paga pelo consumidor. Os desgovernos que temos tido tudo têm permitido aos poderosos. Agora é que se lembraram desta. Claro que o prémio deve ser à costa ou à Centeno. Nem deve dar para as solas dos sapatos. Quadrilhas do Diabo!!

  4. Na Finlândia há 20 anos atrás já ia devolver as garrafas de plástico às máquinas de vasilhame no supermercado para depois descontar o dinheiro recebido nas compras que fazia a seguir. Se isto chegar a Portugal agora deve estar na média do atraso deste país…

RESPONDER

"Árvores dinossauro". Bombeiros australianos conseguiram salvar floresta pré-histórica

Os bombeiros australianos conseguiram salvar dos incêndios uma floresta com árvores pré-históricas localizada no sudeste do país, anunciou o Governo. Em causa estão árvores da espécie Wollemia nobilis, vulgarmente conhecidas como Pinheiro de Wollemi, que se …

Príncipe Harry e Meghan renunciam aos títulos da realeza

O Palácio de Buckingham anunciou, este sábado, um acordo em que o príncipe Harry e a sua mulher renunciaram aos respetivos títulos, abandonando os deveres enquanto membros seniores da família real do Reino Unido e …

Polaris Slingshot chega ao mercado com um sistema de transmissão inovador

A nova versão do Polaris Slingshot vem equipado com um sistema de transmissão que mescla a condução do manual com o conforto do automático. Para quem não conhece o Polaris Slingshot, apresentado pela primeira vez em …

Turistas estão a invadir Hallstatt, a aldeia austríaca que terá inspirado "Frozen"

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1997, Hallstatt, na Áustria, possui apenas 778 moradores e tem uma sequência de casas em estilo alpino. Em 2010, antes do lançamento do primeiro filme da Disney, "Frozen", a cidade …

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …

Paulo Gomes é o novo presidente do Vitória de Setúbal

O ex-vice-presidente, líder da lista D, foi eleito presidente do Vitória de Setúbal para o mandato 2020-2023, com um total de 875 votos. Paulo Gomes, de 50 anos, foi o mais votado das cinco listas candidatas, …

O mercado online de leite materno está a crescer (mas pode ser mau para os bebés)

https://vimeo.com/385229063 Para os pais que querem que o seu filho beba leite materno, mas que não conseguem produzi-lo, a possibilidade de o poder comprar na Internet pode parecer uma boa solução. No entanto, este mercado não …