Desconfinamento: A satisfação de uns, continua a ser a angústia de outros

Patrícia de Melo Moreira / AFP

Há vários meses que muitas áreas de atividade económica desejavam o anúncio de um desconfinamento generalizado. Numa altura altura em que a taxa de vacinação está a aumentar progressivamente, o Governo fez-lhes a vontade, mas há quem ainda não esteja satisfeito.

Na conferência de imprensa que sucedeu ao Conselho de Ministro, esta quinta-feira, António Costa anunciou novas medidas para o país desconfinar de forma gradual e semelhante.

Uma das medidas mais esperadas entra em vigor já no próximo domingo, dia 1 de agosto, e passa pelo alargamento dos horários dos restaurantes (em todo o país) até às 02h00. Ainda assim, mantêm-se a obrigatoriedade de apresentação do certificado digital ou teste negativo para ter acesso ao interior dos espaços a partir das 19h00 de sexta-feira e ao longo de todo o fim-de-semana.

Esta decisão agradou o setor da restauração, representada pela APOHRT – Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo, que realça que a medida traz alguma “estabilidade ” ao setor, pois desta vez o Governo “teve o cuidado” de apresentar medidas para pelo mês um mês (ou seja, até setembro, altura em que a situação pandémica deverá voltar a ser revista e onde o Executivo decidirá se o país avança para a fase 2 do desconfinamento).

Por outro lado, António Condé Pinto, dirigente da APOHRT, destaca, em declarações ao Expresso, a decisão de “deixar de ter regras diferentes em cada concelho é um sinal de tranquilidade importante para as pessoas que viviam confundidas com todas as variáveis que foram sendo criadas”.

Ainda assim, o dirigente associativo sublinha que prefere ver tudo publicado em “Diário da República” para celebrar as novas regras. “Fomo-nos habituando a ter surpresas inesperadas ao longo do tempo quando tudo fica preto no branco. É a velha questão das vírgulas que nos preocupa”, afirma.

Por sua vez, a secretária-geral da Ahresp, Ana Jacinto espera que o Governo possa fazer uma maior divulgação das regras do uso de certificados digitais, que serão exigíveis no momento do registo de entrada em hotéis e também na entrada de restaurantes.

“Estas regras dos certificados foram adotadas sem preparação e isso deu muita confusão. Já dissemos isso ao Governo. Por outro lado, para os consumidores deve ser feita uma campanha quer de informação quer de sensibilização, porque muitos dos conflitos que ainda se registam dizem respeito ao facto de os consumidores desconhecerem as regras”, aponta a mesma representante em declarações o Público.

“Equilíbrio entre saúde pública e economia”

Gonçalo Lobo Xavier, diretor-geral da APED, mostra-se satisfeito com o anúncio do fim das restrições nos horários do retalho a partir de 1 de agosto.

Ao Expresso, destaca: “saudamos como uma vitória o facto de o Governo finalmente estar a pensar num equilíbrio entre saúde pública e economia”.

“Satisfação” é a palavra escolhido para sintetizar o espírito do setor da distribuição depois de fechar o primeiro semestre com quebras na ordem dos 30% nas vendas no retalho especializado.

Apesar disso, os setor queixa-se que ainda falta clarificar como fica a questão do rácio de pessoas por loja (5 por 100m2) outra frente de luta do sector, para evitar filas e desmobilização de consumidores.

A APED também saúda o fim da proibição da venda de álcool no retalho a partir das 21, apesar de continuar a haver limitações à venda de álcool na via pública.

“Enorme frustração”

Um dos setores mais afetados pela pandemia são os bares e as discotecas, que desde março de 2020 que não abrem portas.

As dificuldades ao longo dos últimos meses têm sido muitas, e apesar das expectativas não serem muito grandes para a abertura ainda no mês de agosto, Miguel Camões, da Associação de Bares e Discotecas da Movida do Porto, refere que “isto passa o pior dos cenários imagináveis”.

O responsável destaca que ouvir o primeiro-ministro, António Costa, anunciar que a abertura dos bares e discotecas só vai ser possível em outubro, na terceira etapa do plano de desconfinamento aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros, “foi a pior das surpresas” e “uma enorme frustração”, referiu Miguel Camões ao Expresso.

O representante frisa que a situação criada “discrimina todo o setor“, e mostra “grande preocupação com as consequências do fim dos apoios”.

“É que as moratórias das rendas acabaram a 30 de junho, temos em cima de nós o bolo de dívidas que fomos acumulando ao longo destes meses todos e o programa Apoiar-Pt ficou suspenso com a reabertura da restauração”, conclui.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro explicou que a gestão da pandemia passa a ser feita “em função da taxa de vacinação” e que foram decididas pelo Governo três fases de levantamento gradual das medidas de combate à pandemia, cujas regras serão aplicáveis em todo o território continental.

Assim, ficou definido que o desconfinamento terá início em agosto, mas só deverá ter fim em outubro.

Ana Isabel Moura, ZAP //

 

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma rua no Texas onde todas as casas foram impressas em 3D

Esta é a primeira comunidade de casas impressas em 3D nos EUA que está pronta a receber habitantes. A construção torna as habitações mais resistentes ao fogo e a inundações. Chama-se East 17th Street e fica …

A filha de Picasso doou nove obras do artista espanhol a França

A família de Pablo Picasso doou nove obras do artista ao Estado francês, que serão agora integradas no Museu Picasso, em Paris. Maya, a filha de Pablo Picasso, doou nove obras do artista como parte de …

Dormir bem? Depois da pandemia, não

O novo coronavírus criou uma "nação" de pessoas com insónias. Trabalhar menos horas pode ajudar. Insónias. Já eram um problema para muita gente até ao início de 2020 mas a pandemia que mudou o mundo também …

"Não posso ficar sentado a ver-nos voltar a 1972". Médico desafia a lei no Texas e admite que já fez um aborto

Um médico texano escreveu uma coluna de opinião no Washington Post a admitir que já fez um aborto no estado, depois da lei que proíbe interromper as gravidezes após seis semanas ter entrado em vigor. Em …

A cidade mais segura do mundo foi revelada (e é europeia)

Copenhaga foi eleita a cidade mais segura do mundo em 2021 pelo Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit. Quando se trata de escolher o destino a visitar, a segurança é um dos aspetos …

Benfica 3-1 Boavista | Águia evolui com Darwin para a vitória

Desde 1982/83 que o Benfica não vencia os primeiros seis jogos no Campeonato. Pois bem, na noite desta segunda-feira, os encarnados venceram o duelo ante o Boavista e fizeram xeque-mate graças ao bis de Darwin …

Milhões de pessoas em risco de tráfico e escravidão devido à crise climática, revela relatório

Milhões de pessoas forçadas a deixar as suas casas por causa da seca severa e ciclones correm o risco da escravidão moderna e de tráfico humano nas próximas décadas, alertou um novo relatório publicado esta …

Mercado teme corrida ao imobiliário com o fim dos vistos gold

A partir de janeiro, segundo as novas regras aplicáveis aos vistos gold, vão deixar de estar abrangidos os investimentos em imobiliário com destino a habitação em Lisboa, no Porto e no litoral. O regime que visa …

Desempregados inscritos no IEFP caem 10% em agosto

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a cair, pelo quinto mês consecutivo. Agosto fechou com 368.404 desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego De acordo com os dados …

Agora que a catedral de Notre-Dame está estabilizada, pode dar-se início à reconstrução

Dois anos e meio após o incêndio que devastou a catedral de Notre-Dame, o edifício encontra-se seguro para iniciar o processo de reconstrução, que se espera estar concluído em 2024. Os trabalhos de segurança e consolidação …