“Mal-estar” no PSD. Deputados votaram à revelia de Rui Rio

PSD / Flickr

O presidente do PSD, Rui Rio

A direcção do PSD considera “gravíssima” a decisão da bancada social-democrata de votar a favor do projecto do CDS-PP sobre combustíveis, notando que foi tomada “à revelia” de Rui Rio. Um dado que surge numa altura de divisão no partido, com a estratégia de Rio a ser contestada.

A bancada do PSD contribuiu para aprovar, na generalidade, votando a favor o projecto de lei do CDS-PP que elimina o adicional do Imposto Sobre os Combustíveis (ISP), iniciativa que teve votos contra de PS e abstenções de PCP, BE e PEV.

Uma votação que aconteceu “completamente à revelia do doutor Rui Rio, que foi confrontado com a decisão já tomada”, assegura à Agência Lusa uma fonte da direcção do PSD.

“Se o presidente do PSD tivesse sido informado previamente, a decisão teria sido de rejeitar esta iniciativa”, constata a mesma fonte, frisando que a aprovação do projecto de lei do CDS “é incoerente” com o facto de os sociais-democratas terem também uma proposta sobre o tema “que apenas recomenda, não é imperativo”.

Além disso, o voto favorável contrasta com a posição manifestada por Rui Rio apenas dois dias antes, no encerramento das jornadas parlamentares do partido.

“A nossa função não é empurrar o Governo para a irresponsabilidade e populismo de dar aquilo que não pode dar”, frisou Rui Rio, considerando que o “milagre económico é aldrabice política”.

A direcção do PSD entende, assim, que a votação a favor do projecto do CDS “contraria completamente” o discurso e a estratégia de Rio. Além disso, se o projecto de lei for aprovado em votação final global, há o “risco” de “rebentar completamente com a receita do Orçamento do Estado e agravar o défice“, frisa a mesma fonte.

“Incompreensão” e “revolta”

Por outro lado, a entrevista que Silva Peneda, ministro-sombra do PSD para a área da Solidariedade e Sociedade de Bem-Estar, deu ao Público e à Renascença está também a causar mau estar no seio do partido.

Silva Peneda manifestou-se “a favor da estabilidade política”, considerando que “os mandatos devem ser cumpridos” e que é melhor para o PSD viabilizar o Orçamento de Estado do Governo PS do que haver eleições antecipadas.

Estas palavras geraram “incompreensão” e “revolta” entre vários sociais-democratas, como Carlos Abreu Amorim e Arménio Santos, que se manifestarem no Facebook contra as declarações de Silva Peneda.

Um ex-dirigente do PSD fala mesmo de uma “estratégia kamikaze” por parte da direcção de Rui Rio, em declarações ao Público, considerando que admitir viabilizar um Orçamento do PS “é estar a dar mais força a Costa nas negociações” com os aliados de Esquerda.

“O que Rio devia estar a fazer era encostar o PS às esquerdas radicais“, constata este ex-dirigente social-democrata não identificado, acusando a actual direcção de “desorientação”.

Num tom mais conciliador, o ex-vice-presidente do PSD, Marco António Costa, diz ao Público que “o melhor é aguardar por desenvolvimentos, nomeadamente, pelas propostas para o OE que serão apresentadas pelo PSD”. No fundo, ele desafia Rui Rio a manifestar-se para clarificar as águas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Finalmente há deputados a votar pela própria cabeça, sem precisar de indicação do leader.
    E votaram bem. E Rio também votaria assim.

RESPONDER

Professores "desenrolam" queixas em frente do parlamento (e pedem saída do ministro)

Dirigentes da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) colocaram esta quinta-feira grandes faixas com reivindicações junto da Assembleia da República e criticaram o ministro da Educação, que tem que “ir embora”. “Quem não sabe ter uma atitude …

Iniciativa Liberal quer retirar "carga ideológica" da Constituição

A Iniciativa Liberal vai apresentar um projeto de revisão constitucional com uma primeira parte dedicada a retirar "carga ideológica à Constituição", clarificando, por exemplo, que serviços públicos de saúde e educação podem ser prestados pelo …

Urgência do Hospital Santa Maria está a chegar ao limite

A urgência dedicada aos casos suspeitos de covid-19 do Hospital Santa Maria, em Lisboa, reflete a evolução da pandemia em Portugal com doentes a avolumarem-se à porta para realizar o teste e no interior a …

Novo Banco. BCP garante que não faz "favores a ninguém" ao emprestar dinheiro ao Fundo de Resolução

O presidente executivo do BCP, Miguel Maya, disse ontem que o banco não faz "favores a ninguém" ao entrar no empréstimo de 275 milhões de euros da banca ao Fundo de Resolução, que posteriormente financiará …

Máfia italiana "lavou" milhões de euros ganhos com fundos europeus na Madeira

Uma das mais violentas máfias de Itália, a Società Foggiana, utilizou a Madeira para branquear mais de 16 milhões de euros obtidos com um esquema de burla à União Europeia (UE). Em causa estão fundos comunitários …

Ajudas de custo para professores deslocados ficaram na gaveta (e não estão previstas no OE2021)

O Orçamento de Estado para 2020 (OE2020) previa um programa de ajudas de custo para professores deslocados como incentivo à fixação. No entanto, a medida não avançou. O Jornal de Notícias avança esta sexta-feira que a …

Biden ainda à frente, mas nada está perdido para Trump. A luta pelos "swing states" continua

O dia em que os norte-americanos vão saber quem é o próximo presidente dos EUA está muito próximo. Entres sondagens, parece fácil levantar a ponta do véu. No entanto, é importante não esquecer que não …

Nani entre os candidatos a melhor jogador da época na MLS

O internacional português, capitão dos Orlando City, está entre os 46 jogadores nomeados para o prémio de melhor da época na liga norte-americana de futebol (MLS), anunciou, esta quinta-feira, o organismo. A eleição decorre até 9 …

"Estranho, muito estranho". Ana Gomes comenta morte do marido de Isabel dos Santos e é criticada

O empresário congolês Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos, morreu no Dubai, durante a prática de mergulho. Uma morte prematura aos 48 anos que leva Ana Gomes a comentar o assunto como "estranho", "muito …

Conselho Europeu. Vacinas distribuídas de forma justa e fronteiras não vão fechar

O presidente do Conselho Europeu garantiu, esta quinta-feira, no final de uma videoconferência entre os líderes da União Europeia, que os 27 estão "unidos" para enfrentar a "luta difícil" contra a segunda vaga da covid-19. "A …