DECO questiona Facebook sobre utilização de dados dos perfis portugueses

A DECO enviou uma carta ao Facebook, com o objetivo de perceber se os dados dos perfis portugueses foram utilizados indevidamente pela empresa norte-americana Cambridge Analytica.

“No seguimento das notícias que deram conta do uso indevido de dados pessoais por uma empresa norte-americana ligada ao Facebook – a Cambridge Analytica -, a DECO Proteste e as organizações suas congéneres da Bélgica, Itália, Espanha e Brasil pediram esclarecimentos à empresa de Mark Zuckerberg. Numa carta enviada hoje, questionam se os perfis dos utilizadores destes quatro países também estão incluídos na lista de utilizações abusivas”, lê-se numa nota publicada na página da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

A associação explica que, caso a resposta seja afirmativa, exige que o Facebook explique de que forma vai eliminar as consequências e riscos para os utilizadores afetados, como serão compensados, bem como irá garantir, no futuro, a “correta aplicação e o respeito” pelos direitos dos consumidores.

Na ausência de resposta por parte da rede social, as organizações em causa garantem que vão tomar as medidas necessárias para proteger os direitos dos consumidores.

“A confiança dos consumidores é essencial e não apenas dentro do processo de desenvolvimento económico. Na era digital, os direitos fundamentais dos cidadãos, como a privacidade, são cada vez mais expressos no contexto de espaços virtuais a que têm acesso como consumidores. A proteção e garantia dos direitos dos consumidores são o veículo e a garantia de acesso aos direitos fundamentais dos cidadãos”, concluiu.

Na quarta-feira, o psicólogo russo Alexandr Kogan, um dos autores da aplicação utilizada pela Cambridge Analytica para recolher dados de milhões de utilizadores do Facebook, afirmou-se convencido de ter agido dentro da legalidade, numa entrevista à BBC.

“Pensámos que estávamos a fazer uma coisa perfeitamente normal“, disse à BBC. “A Cambridge Analytica disse-nos que tudo estava a ser feito em plena legalidade e em conformidade com as condições de utilização” do Facebook, assegurou.

O Facebook tem estado no centro de uma vasta polémica internacional com a empresa Cambridge Analytica, acusada de ter recuperado dados de 50 milhões de utilizadores da rede social, sem o seu consentimento, para elaborar um programa informático destinado a influenciar o voto dos eleitores, favorecendo a campanha de Donald Trump.

A empresa fundada por Mark Zuckerberg afirmou-se “escandalizada por ter sido enganada” pela utilização feita com os dados dos seus utilizadores e disse que “compreende a gravidade do problema”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Surto de sarampo leva Samoa a fechar escolas e serviços. Ativista anti-vacinação detido

Com o objetivo de conter o surto de sarampo que já matou 60 pessoas, o governo de Samoa está a pedir à população que coloque uma bandeira vermelha em frente às casas nais as pessoas …

Poluição do ar leva Sarajevo a cancelar todos os eventos públicos

As autoridades bósnias consideram que a poluição na capital do país, Sarajevo, atingiu níveis perigosos nos últimos dias. Perante a densa nuvem de nevoeiro que paira na cidade, o governo regional decidiu cancelar todos os …

A banana colada à parede que custou 108 mil euros foi comida

A banana mais cara do mundo, presa a uma parede com fita adesiva, foi descascada e comida por um artista que visitava o stand da galeria Perrotin, na feira de arte contemporânea Art Basel, nos …

Empresas norte-americanas reforçam domínio na venda global de armas

O Instituto Internacional de Estudos de Paz de Estocolmo (SIPRI) revelou esta segunda-feira que as empresas norte-americanas aumentaram o domínio no comércio global de armas em 2018, para 59% do volume total entre as 100 …

Faltam medicamentos para doenças crónicas nas Farmácias (e ninguém sabe porquê)

Há medicamentos para doenças crónicas que estão, constantemente, em falta nas Farmácias Portuguesas. Uma situação preocupante, sobretudo para os pacientes que deles precisam, e que não tem uma explicação. A Associação Nacional de Farmácias está …

Mais de dois mil coalas mortos devido aos incêndios na Austrália

O presidente da Aliança das Florestas do Nordeste da Austrália disse que os incêndios florestais que deflagram no leste do país, desde o início de novembro, provocaram a morte a mais de dois mil coalas. O …

Regionalização sem referendo é “golpe de estado palaciano”

Luís Marques Mendes falou este domingo, no habitual espaço de comentário político na SIC, sobre a regionalização, os "tempos difíceis para a direita", Greta Thunberg e Joe Berardo. Houve ainda tempo para falar sobre o …

China diz que detidos em Xinjiang estão "formados" e "vivem felizes"

Um alto quadro do regime chinês afirmou, esta segunda-feira, que os membros de minorias étnicas chinesas de origem muçulmana mantidos em "centros de treino vocacional" no extremo oeste do país já se "formaram" e levam …

Greve geral volta a parar França. Filas de trânsito chegam aos 620 quilómetros

Os acessos a Paris estão, esta manhã, muito complicados devido ao quinto dia de greve contra a reforma das pensões e que afeta sobretudo a rede de transportes na capital francesa. De acordo com as autoridades, …

"Mário Centeno está a perder influência no Governo". Os (maus) sinais para o Orçamento de Estado 2020

A proposta de Orçamento do Estado para 2020 [OE 2020] vai ser apresentada daqui a uma semana e alguns economistas antecipam os riscos do documento, falando de uma "situação potencialmente perigosa para as contas públicas" …