David Cameron: “Sei que algumas pessoas nunca me vão perdoar”

The Prime Minister's Office / Flickr

Ex-primeiro-ministro britânico, David Cameron

David Cameron não está arrependido da decisão de realizar o referendo que abriu portas ao Brexit em 2016, mas está profundamente preocupado com o futuro do Reino Unido.

David Cameron, antigo primeiro-ministro britânico, quebrou o silêncio numa recente entrevista concedida ao Times. O antigo governante revelou que o resultado do referendo que abriu portas ao Brexit, em 2016, o deixou deprimido, apontando o dedo a Michael Gove e Boris Johnson pela forma como fizeram campanha pela saída da União Europeia.

Cameron é contra um Brexit sem acordo, e põe em cima da mesa a hipótese de um segundo referendo que, segundo o ex-primeiro-ministro, pode ser necessário para que o Reino Unido quebre o impasse a que chegou.

Sei que algumas pessoas nunca me vão perdoar por ter organizado um referendo. Outras por tê-lo organizado e perdido. Há ainda, claro, pessoas que queriam um referendo e que queriam sair que estão contentes que a promessa feita tenha sido mantida”, disse Cameron durante a entrevista, reconhecendo que não se arrepende da decisão, mas pensa na derrota sofrida “todos os dias”, preocupado pelas suas consequências.

Segundo o Expresso, Cameron está a menos de uma semana de lançar o seu livro For the Record (“Para que fique Registado”). Na obra, é particularmente duro com o ex-amigo Michael Gove, a quem chama “mentiroso”, incluindo nas críticas Boris Johnson. Os dois comportaram-se de “forma terrível”.

O atual Reino Unido preocupa-o, nomeadamente a crise entre conservadores e pela possibilidade de uma saída da União Europeia sem acordo. “Acho que podemos chegar a uma situação em que saímos, mas seremos amigos, vizinhos e parceiros. Podemos chegar lá, mas adoraria poder avançar para esse momento rapidamente, porque estamos perante uma lembrança dolorosa para o país, algo que é doloroso assistir.”

“Organizar um referendo não foi uma decisão que tomei de ânimo leve”, confessou, ao recordar que sofreu uma grande pressão política.

O referendo realizado no Reino Unido terminou com uma votação de 52% a favor da saída da União Europeia, contra os 48% que se manifestaram pela posição contrária. O resultado levou o ex-primeiro-ministro a demitir-se.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Os ingleses estão fraturados .
    Com tantas divisões os desentendimentos vão-se acumulando . Perante o exterior a má imagem revela-se e as negociações não se concluem.
    Se a saída for sem acordo vão pagar bem caro a sua teimosia.

  2. Este “artista” fez o referendo porque queria manter/credibilizar o seu “tacho” e nunca pensou que o Brexit iria ganhar!…
    Como ganhou, ele fez como os outros cobardes pro-Brexit – passou a barata quente e deu de frosques! .

RESPONDER

Chipre vai pagar despesas das férias a turistas que ficarem infetados no país

O Chipre vai pagar o custo das férias aos turistas que testaram positivo depois de viajarem para o país. Entre as despesas está o alojamento, a alimentação e os medicamentos. O Chipre comprometeu-se a pagar todas …

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …

Resgate à TAP deverá ser feito através de empréstimo obrigacionista

A ajuda do Estado à TAP deverá chegar através de um empréstimo obrigacionista convertível em ações, avança o jornal Expresso neste sábado. Este é o cenário mais provável para a TAP, apurou o semanário, que …

Lisboa pode receber a final deste ano da Liga dos Campeões

Istambul não está agradada com a ideia de receber a final da Liga dos Campeões sem adeptos no estádio. Por isso, outras hipóteses estão a ser consideradas, nomeadamente Lisboa. A final da Liga dos Campeões está …