Costa pede estabilidade e diz que “a política é como o futebol, em equipa que ganha não se deve mexer”

Manuel de Almeida / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, durante a cerimónia de assinatura do contrato de investimento do Governo português com a Repsol

O primeiro-ministro, António Costa, destacou esta quarta-feira a importância da estabilidade económica e financeira do país na atração de investimento estrangeiro e frisou, em Sines, a necessidade de dar continuidade às políticas que a têm permitido.

Numa altura em que está em causa a viabilidade da aprovação do Orçamento do Estado de 2022, na Assembleia da República, o primeiro-ministro aproveitou os resultados conseguidos no investimento direto estrangeiro para sublinhar que a estabilidade deve ser assegurada.

António Costa falava em Sines após assinatura do contrato de investimento entre a Repsol e o Governo, que prevê incentivos fiscais de até 63 milhões de euros para um projeto de 657 milhões de euros, apontado com “o maior investimento industrial da última década”.

“É absolutamente fundamental Portugal continuar a ser um país seguro, mas também um país, como disse o ministro da Economia, que seja previsível na sua trajetória económica e na sua estabilidade financeira”, afirmou o primeiro-ministro.

A título de exemplo, António Costa lembrou que “foi possível virar a página da austeridade com contas certas” e destacou a “notável resiliência das empresas e, em particular, do emprego” na capacidade do país para enfrentar a crise.

Nesse sentido, destacou a importância de dar continuidade às políticas de investimento desenvolvidas na última década e que permitiram, com a assinatura do contrato de investimento com a Repsol, “ultrapassar o recorde de investimento direto estrangeiro que tínhamos alcançado em 2019”.

“Isto significa que temos boas condições para dar continuidade às políticas que têm produzido bons resultados. Como se diz no futebol, em equipa que ganha, não se mexe. Em política podemos dizer que em políticas que ganham, também convém não mexer. Há que dar continuidade e essa continuidade implica necessariamente estabilidade, para que possamos, passo a passo, continuar a construir o futuro”, apontou o chefe do Governo.

Antes, e tal como mencionado inicialmente por Costa, também já o ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, tinha vincado a importância da estabilidade oferecida pelo país na sua capacidade de atrair investimento estrangeiro.

“Este movimento de atração do investimento estrangeiro é crítico para o nosso futuro. Porque para conseguirmos assegurar o continuado esforço de atração desse investimento temos, seguramente, de oferecer aos investidores aquilo que mais valorizam”, assinalou o ministro.

E aquilo que os investidores mais valorizam, segundo Siza Vieira, é “não apenas a qualidade dos nossos recursos humanos e a localização geográfica, mas também a estabilidade política e fiscal” que o país tem conseguido assegurar “ao longo da última década”.

“A estabilidade política, a estabilidade legislativa, a estabilidade fiscal, aquilo que dá previsibilidade aos agentes económicos no momento em que tomam as suas decisões de investimento. E tem sido importante verificar como essa estabilidade, a capacidade de o país ter uma trajetória responsável no plano das finanças públicas, tem permitido, cada vez mais, aumentar este volume de investimento estrangeiro”, assinalou Pedro Siza Vieira.

O contrato assinado hoje entre a empresa e o Governo, no Complexo Industrial de Sines, vai permitir à Repsol investir na construção de duas fábricas de polímeros, cada uma com uma capacidade de 300 mil toneladas por ano, com produtos 100% recicláveis.

De acordo com a empresa, as tecnologias das duas fábricas, cuja conclusão está prevista para 2025, “garantem máxima eficiência energética, são líderes de mercado e as primeiras do género a serem instaladas na Península Ibérica”.

A Repsol prevê que, na fase de construção, o projeto empregue uma média de 550 pessoas, atingindo um pico de mais de mil postos de trabalho. Prevê igualmente “o aumento líquido de postos de trabalho” de “cerca de 75 empregos diretos e 300 indiretos”.

O presidente da Repsol, António Brufau, recordou que a multinacional espanhola, nos últimos 17 anos, investiu 1750 milhões de euros em Portugal e referiu que as duas novas fábricas, que são as primeiras do género na Península Ibérica, vão “tornar o complexo de Sines um dos mais avançados da Europa”, cita o Público.

  ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. E que equipa é que ganha?!!!!!!!! Só se estiverem a ganhar por fora… Espero que não sejam como os anteriores do mesmo partido!

    • O Costa, conhecido por Sr. Adicional, está a ganhar bem de certeza.
      Se até o padeiro, que nem padeiro era e que só tinha um 12º ano miserável, foi nomeado especialista da protecção civil, com um vencimento de mais de 3.500€, imaginem o ilusionista do Costa.
      Quem sai aos seus não degenera e o Costa aprendeu bem com o seu antigo patrão, o famoso 44.
      Os únicos que não ganham são os portugueses trabalhadores, que entre taxas, taxinhas e adicionais já nem dinheiro para casa e carro conseguem ter.

    • Com o adicional do ISP está a ganhar bem de certeza, e nem tem vergonha de mentir descaradamente.
      Quem perde são os portugueses, mas este incompetente e espalha-misérias não se chateia nada com isso, e muitos portugueses parece que também não!

  2. Comparar responsabilidade Politica ao Futebol, estamos falados !…..Ele está de Saída e sabe-o !….o que vier a seguir talvez melhor não seja, mas como se costuma dizer “M….a por M….a, ao menos muda-se de M….a” !….porque Políticos Integres e honestos não Há !….e se os há não se querem sujar neste lamaçal !

RESPONDER

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …

Carlos Moedas

Moedas vai "dar tudo como presidente" e exige que seja respeitada a legitimidade do seu mandato

Carlos Moedas tomou posse, esta segunda-feira, como novo presidente da Câmara de Lisboa, tendo falado dos objetivos para o próximo quadriénio e deixado um elogio ao seu antecessor e alguns avisos à esquerda. Depois dos cumprimentos …

Chanceler austríaco Sebastian Kurz

Sondagens falsas e notícias favoráveis. O lado negro de Sebastian Kurz foi desmascarado

Sebastian Kurz e pessoas que lhe são próximas foram acusados de tentar garantir a sua ascensão à liderança do partido e do país com a ajuda de sondagens manipuladas e notícias favoráveis na imprensa, financiadas …

Tem uma carreira de sonho na Nike, mas cometeu um homicídio há 65 anos

O presidente da Jordan Brand, Larry Miller, revelou que, há 56 anos, matou um adolescente nas ruas de Filadélfia, nos Estados Unidos. O presidente da Jordan Brand — marca do ex-jogador de basquetebol Michael Jordan — …

Rio diz que decisão sobre eventual recandidatura está "quase tomada"

O presidente do PSD afirmou, esta segunda-feira, que a decisão sobre a sua eventual recandidatura está "quase tomada" e será anunciada em breve. Em declarações aos jornalistas à chegada à tomada de posse do novo presidente …

Mihajlovic: "Vou tentar manter a calma, mas é difícil"

Treinador do Bolonha furioso com os cartões amarelos mostrados para "compensar" uma expulsão. Beto voltou a marcar. Udinese e Bolonha entraram em campo neste domingo como protagonistas de um dos jogos menos mediáticos da oitava jornada …

Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo avisa que não pode haver "casos de mau uso e de fraude" com os fundos europeus

O Presidente da República avisou, esta segunda-feira, que a "última coisa" que pode acontecer com os fundos europeus são "casos de maus uso e de fraude", garantindo que os portugueses "não perdoariam" que isso acontecesse. Questionado …

O empresário John Textor

Nova direção do Benfica vai reunir-se com John Textor

O empresário John Textor, que celebrou um acordo com José António dos Santos para aquisição de 25% do capital social da SAD do Benfica, vai ser recebido pela nova direção do clube esta quinta-feira. "Após explícita …

Vítimas do ataque na Noruega foram mortas com facadas e não com arco e flecha

A polícia norueguesa esclareceu, esta segunda-feira, que as cinco vítimas mortais do ataque perpetrado na semana passada foram esfaqueadas, afastando assim a tese inicial que as mortes tinham sido provocadas por um arco e flechas. Segundo …