Os arcos dourados estão a caminho da Coreia do Norte (e levam a paz na Terra)

Será um McDonald’s no país de Kim Jong-Un capaz de evitar uma guerra? Não sabemos. Certo é que as pequenas cedências no foro económico e político, que recentemente vieram à tona, podem mesmo trazer paz à Coreia do Norte… e ao mundo.

Primeiro, anunciou o desmantelamento do seu principal centro de testes nucleares. Agora, a Coreia do Norte está a ponderar abrir um McDonald’s. E se, por um lado, a CIA desconfia que o país mais isolado do mundo se desnuclearize, por outro, acredita que há a hipótese de a Coreia do Norte se abrir à primeira empresa ocidental dentro das suas fronteiras.

Não se encontram cadeias de fast food na Coreia do Norte em cada esquina, e muito menos cadeias ocidentais. O cenário não era sequer previsível. No entanto, há agora a possibilidade de o regime de Kim Jong-un permitir uma cadeia ocidental de fast food em Pyongyang.

A notícia é avançada num relatório, divulgado pela CNBC e a decisão está a ser encarada por muitos como um “braço a torcer” da Coreia do Norte às forças do mundo capitalista. Aliás, este pode ser mais um esforço para suavizar a relação de Kim com Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos.

De acordo com a imprensa internacional, no encontro das Coreias, no mês passado, as autoridades norte-coreanas terão expressado a sua abertura. “O país recebe investimentos da América. Queremos atrair as empresas afiliadas ao McDonald’s e ao Presidente Trump. Esperamos que a América nos veja como um país normal“, cita o Shifter.

Mas a menção à famosa cadeia de fast food foi apenas uma avaliação de um assunto muito mais sério: a desnuclearização. A CIA suspeita de que Kim Jong-un não queira livrar-se do seu armamento nuclear, pelo menos para já. Aliás, muitos especialistas na Coreia do Norte acreditam exatamente no mesmo.

No entanto, a cimeira entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, marcada para o dia 12 de junho, em Singapura, parece estar (por enquanto) no bom caminho, depois de a semana passada Donald Trump a ter cancelado.

Ainda que comer um cheeseburguer em Pyongyang seja uma perspetiva interessante, a mais curiosa delas todas é o facto de estarem em causa pequenas cedências de foro económico, como a concessão de licenças ao McDonald’s e outras decisões de grande impacto, tal como a desnuclearização.

Teoria dos Arcos Dourados

Sabia que nunca houve uma guerra entre dois países onde haja McDonald’s? O fenómeno parece bizarro, mas é um facto incontornável – e é explicado pela famosa “Teoria dos Arcos Dourados da Prevenção de Conflitos”, postulada em 1996 pelo colunista do jornal New York Times Thomas Friedman.

A teoria estabelece que quando um país atinge o nível de desenvolvimento económico no qual passa a ter uma classe média suficientemente grande para sustentar uma rede McDonald’s, transforma-se num país McDonald’s.

Alguns (Friedman incluído) defendem que pessoas que vivem num país McDonald’s não gostam de estar em guerra: preferem esperar na fila por um hambúrguer. No entanto, há também quem defenda que a empresa de fast food só se instala em países nos quais a guerra não tem espaço para brilhar – ou, pelo contrário, tornar tudo mais cinzento.

Segundo esta teoria, a Coreia do Norte pode então estar perto de se tornar um país livre de guerra – pelo menos, de uma guerra com um país onde haja McDonald’s. Aliás, podemos assim afastar a hipótese de uma III Guerra Mundial estar iminente.

Será o McDonald’s um elo de paz entre os países? Não sabemos. Certo é que a Coreia do Norte – inconscientemente ou não – quer fazer parte do leque de países que comem um cheeseburguer sem se preocupar se existem tanques de guerra ao virar da esquina.

Há quem saliente que a Teoria dos Arcos Dourados não é infalível, apresentando exemplos como o da guerra de 2006 entre o Líbano e Israel. Havia na altura restaurantes McDonald’s nos dois países, nos quais a cadeia de fast food se tinha estabelecido, respectivamente, em 1993 e 1998.

Mas, na realidade, as Forças Armadas libanesas não intervieram no conflito. Os combates decorreram apenas entre as forças israelitas e o Hezbollah. E, que se saiba, não havia McDonald’s nos acampamentos do grupo paramilitar libanês.

Ainda assim, a teoria foi entretanto atualizada para “Teoria da Dell sobre Prevenção de Conflitos”, e sustenta agora que dois países que fazem parte da mesma cadeia de fornecimento económico de grandes empresas (como a Dell) nunca entrarão em guerra, graças à interdependência económica que se estabelece entre eles.

Estará a Coreia do Norte a um passo de se tornar um país pacífico? Talvez sim, talvez não. Enquanto a resposta continua no ar, comemos um cheeseburguer.

Liliana Malainho LM, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Absurdo. Os EUA são sedentos de sangue e guerra e o seu único interesse é a destruição de todos os países que se lhe opõem.

    Isto era sarcasmo, para quem não percebeu, e destina-se ao gang que por aqui aparece em todas estas notícias, sempre pronto a defender a Rússia e atacar os EUA.

    Quem tem 2 dedos de testa percebe que os EUA não têm interesse em fazer guerra. O objetivo dos EUA é sempre o mesmo: garantir que todos os países estão alinhados com a globalização e permitem a instalação de empresas Americanas.

    Essa é a razão pela qual não existe hoje guerra na maior parte do mundo: a globalização, o capitalismo e a forma como todos os países estão interligados economicamente, faz com que a guerra não interesse a ninguém.

RESPONDER

Descoberto "gasoduto" espacial que alimenta uma galáxia gigante

Um recente estudo forneceu a primeira evidência direta de "gasodutos" de gás frio que alimentaram as primeiras galáxias massivas do Universo. Uma equipa de astrónomos norte-americanos, liderada pela Universidade de Iowa, observou evidências de fluxos de gás …

A icónica tapeçaria "Guernica" de Picasso foi retirada da ONU. Rockfeller pediu-a de volta

A icónica tapeçaria "Guernica", de Pablo Picasso, foi retirada do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) onde estava há mais de 30 anos. A pintura “Guernica”, considerada uma das obras-primas de Picasso …

Este robô-tartaruga não precisa de circuitos eletrónicos para andar. Basta ar

O robô macio de quatro patas, criado por uma equipa da Universidade da Califórnia, não precisa de nenhum circuito eletrónico para funcionar. Os robôs macios têm captado a atenção dos cientistas e o mais recente, criado …

Norte-americano cria secretária para manter crianças seguras durante os tiroteios nas escolas

Um norte-americano desenvolveu uma secretária à prova de bala para assegurar um lugar seguro às crianças dos Estados Unidos em situações de tiroteio. Passaram três anos desde que, a 14 de fevereiro de 2018, Nikolas Cruz entrou …

A Cidade do México proibiu tampões menstruais com aplicador. Agora, as mulheres estão furiosas

A Cidade do México já tinha proibido outros objetos compostos por plástico, como é o caso de copos e palhinhas, mas agora foi mais longe e resolveu banir os tampões menstruais que contém aplicadores. No …

Benfica 2-0 Rio Ave | Águia volta a voar

O Benfica regressou às vitórias na Liga NOS, três jogos depois. A formação “encarnada” recebeu e venceu o Rio Ave por 2-0, com os dois golos apontados por Haris Seferovic e Pizzi numa segunda parte …

Criança de dois anos cai do 12º andar (mas acaba por ser salva por estafeta)

No passado domingo, em Honói, na capital do Vietname, um estafeta salvou a vida de uma criança de dois anos que caiu do 12° andar de um prédio. Nguyen Ngoc Manh é agora conhecido como …

Em França, livrarias e lojas de discos são agora "comércio essencial"

O decreto de lei do Governo francês, publicado na última sexta-feira, incluiu as livrarias e lojas de discos na lista do chamado "comércio essencial", podendo permanecer abertas em caso de confinamento. Em declarações à agência France-Presse, …

Icebergue maior que Nova Iorque parte-se perto de estação de investigação na Antártida

Um icebergue gigante partiu-se esta sexta-feira na plataforma de gelo de Brunt, na Antártida, perto de um posto de investigação do British Antartic Survey (BAS). O bloco de gelo, com 1.270 quilómetros quadrados, será ainda maior …

A Greenpeace está a atirar pedras gigantes para o Mar do Norte. Eis a razão

Na semana passada, a Greenpeace atirou pedras gigantes ao mar ao redor do Reino Unido. Esta ação faz parte do objetivo da organização de acabar com os barcos de pesca de arrasto no fundo do …