/

Trump cancela cimeira com Kim Jong-un

2

Michael Reynolds / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Esta quinta-feira, o Presidente norte-americano cancelou a cimeira com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, prevista para 12 de junho em Singapura. Trump justifica o cancelamento da reunião pela “hostilidade” da Coreia do Norte.

Donald Trump cancelou a cimeira entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, marcada para o dia 12 de junho, em Singapura. O anúncio foi feito numa carta enviada a Kim Jong-un, publicada no site oficial da Casa Branca.

Na carta dirigida ao líder norte-coreano, Trump começa por agradecer o “tempo, paciência e esforço” nas negociações dos últimos dias. Contudo, acaba por acusar a Coreia do Norte de ser hostil, impedindo assim a realização do encontro.

“Eu estava muito ansioso por me encontrar lá consigo. Infelizmente, tendo em conta a raiva tremenda e hostilidade aberta demonstrada na sua declaração mais recente, eu considero ser inapropriado, neste momento, realizar este encontro, há muito planeado”, afirma o Presidente dos Estados Unidos.

“Para bem de ambas as partes, mas para prejuízo do mundo” a cimeira entre as duas potências não irá acontecer.

Depois desta anúncio, refere o Eco, as bolsas norte-americanas agravaram as quedas registadas na abertura da sessão desta quinta-feira.

Coreia do Norte chama “idiota” a Mike Pence

A vice-ministra norte-coreana dos Negócios Estrangeiros, Cheo Son-hui, emitiu um comunicado no qual garantiu que Pyongyang não irá “suplicar” aos Estados Unidos por um encontro com Donald Trump, acrescentando que a cimeira marcada para dia 12 de junho pode estar em risco.

“Caso os EUA ofendam a nossa boa vontade e cometam atos ilegais e revoltantes, sugerirei à nossa liderança suprema que reconsidere a cimeira entre a República Popular da Coreia e os Estados Unidos”, afirmou.

Na última semana, tanto a Coreia do Norte como os Estados Unidos têm cimentado um clima de instabilidade em torno do encontro marcado entre Kim e Trump, entretanto cancelado por Trump. O mau estar entre os dois países reflete o problema em cima da mesa que separa os EUA da Coreia do Norte: a chamada “desnuclearização“.

Segundo o Público, enquanto Washington quer ver passos concretos e imediatos de desmantelamento total das instalações, Pyongyang quer uma desnuclearização mais gradual, acompanhada de gestos recíprocos por parte dos EUA, como apoio económico, um tratado de paz e até um pacto de não-agressão.

gageskidmore / Flickr

Donald Trump com o seu vice-presidente, Mike Pence

Mas o grande alvo das mais recentes declarações norte-coreanas foi o vice-Presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, que numa entrevista à FOX News faz uma analogia com a Líbia.

“Não posso esconder a minha surpresa perante as observações idiotas e estúpidas vindas da boca do vice-Presidente norte-americano”, salientou a vice-ministra norte-coreana dos Negócios Estrangeiros, em declarações citadas pela agência de notícias oficial do país, a KCNA.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A governante norte-coreana referia-se a uma entrevista a Mike Pence, na qual este afirmava que o processo de desnuclearização da Coreia do Norte podia seguir o modelo da Líbia, que terminou com a morte de Muammar Kadhafi, após este ter renunciado ao projeto de construir a bomba atómica.

Cheo Son-hui qualificou a entrevista de “imprudente“, prevenindo que Pyongyang não irá sentar-se à mesa das negociações sob ameaça, questionando se valeria a pena realizar a cimeira com Donald Trump se estas declarações refletem a posição de Washington.

Trump antecipou-se, tendo a cimeira sido hoje cancelada pelo líder norte-americano.

Coreia do Norte destrói complexo nuclear

A Coreia do Norte demoliu, esta quinta-feira, o que diz ser o seu campo de testes nucleares com uma série de explosões durante várias horas e na presença de jornalistas estrangeiros convidados para assistir ao momento, cumprindo a promessa que fez aos EUA perante jornalistas internacionais.

As explosões ocorreram nas profundezas das montanhas num local pouco povoado no nordeste do país, centrando-se em três túneis no subsolo e em várias torres de observação na área circundante.

O desmantelamento deste local de testes nucleares já havia sido anunciado anteriormente por Kim Jong-un, e ocorreu antes de a cimeira com Donald Trump ter sido cancelada.

  ZAP // Lusa

2 Comments

  1. Parece que estou a ver o Trump “Epá, os gajos já arrabentaram lá com o campo de testes das bombas… Caga lá nisso da cimeira. Já não é preciso. Ele cumpriu a parte dele, nós já não temos de cumprir nada. Cancela aí!..”

    • Chama-lhe burro. Um gajo que já matou centenas ou milhares de pessoas também não merece um tratamento muito melhor. Fod#%$-se

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.