Contu Mil Sonhos: 5 anos a mudar 50 crianças

(dr) Contu Mil Sonhos

Equipa da Contu Mil Sonhos

Projecto centra-se em crianças de famílias carenciadas do bairro de Contumil. Uma criança não está condenada pelo sítio onde nasceu ou viveu.

O bairro de Contumil fica no Porto, muito perto do Estádio do Dragão – para localizar os adeptos de futebol, por exemplo.

Nesse bairro vivem famílias com dificuldades económicas e, por consequência, vivem crianças com recursos limitados (ou quase nulos, comparando com outras realidades).

Foi para ajudar essas crianças que, em 2017, surgiu o Contu Mil Sonhos, um projecto sem fins lucrativos em Campanhã, no Porto, focado na inclusão social das crianças provenientes das famílias carenciadas do bairro de Contumil.

“Queremos mudar o paradigma de que uma criança está condenada pelo sítio onde nasceu ou viveu”, explica Nuno Dias, da direcção da Contu Mil Sonhos e estudante da Universidade do Porto.

São 30 voluntários – a maioria estudantes – que organizam acções mensais e um campo de férias que se realiza uma vez por ano. Os voluntários acompanham e fomentam a inclusão social dos mais novos.

O criador foi o missionário da Verbum Dei, Oswaldo Jesus, que vivia precisamente em Contumil. Percebeu que as crianças locais não tinham muito convívio e momentos de lazer.

Juntou-se a oito estudantes da FEP, a Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e começaram por criar o tal campo de férias, no Verão de 2017. O foco era dar-lhes ferramentas para crescerem, quer a nível de experiências, quer a nível emocional e espiritual.

A base do Contu Mil Sonhos – inserido na associação Gesto e Palavra – continua a ser o campo de férias anual, com diversas actividades para estimular o crescimento pessoal e para proporcionar experiências inesquecíveis para as crianças, entre desporto, cultura e solidariedade.

Uma vez por mês as crianças juntam-se para jogos lúdicos. Nesses encontros os animadores cuidam de cada criança de forma personalizada e individualizada.

“Reparamos que, à medida que os acompanhamos, o seu comportamento evolui imenso. Vemo-los a transformarem-se em pessoas mais maduras, responsáveis e emocionalmente inteligentes”, analisa Nuno Dias.

O projecto assinala agora cinco anos e, ao longo deste lustro, já ajudou mais de 50 crianças em situação de pobreza infantil.

“Trabalhamos há meia década para dar o melhor a todas as crianças. Mal elas sabem que, com os seus sorrisos, são elas que nos dão o melhor do mundo”, diz o responsável.

No ano passado mereceu o 1.º Prémio de Voluntariado da Universidade do Porto.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.