/

O controverso “Jurassic Park” indonésio vai mesmo para a frente

Linh Vien Thai / Flickr

Dragões de Komodo

Apesar dos vários alertas da UNESCO relativamente ao impacto ambiental desta atração turística, o Ministério do Ambiente da Indonésia reafirmou, esta quinta-feira, que a sua construção vai continuar.

No ano passado, soube-se que a Indonésia começou a construir uma atração turística ao estilo da saga “Jurassic Park” no Parque Nacional de Komodo, Património Mundial da UNESCO, para que os turistas possam ver mais de perto os famosos dragões de Komodo.

A notícia não foi bem recebida por muitos, que acusaram o país de estar a usar estes animais apenas com o único objetivo de gerar lucro, mas também gerando preocupações sobre as ameaças à economia local e ao frágil habitat destes lagartos.

No mês passado, conta a cadeia televisiva CNN, funcionários da UNESCO afirmaram que o projeto necessitava de uma nova avaliação de impacto ambiental, devido a preocupações relacionadas com a pesca ilegal e com os potenciais riscos para aquele ecossistema.

Esta quinta-feira, em declarações à agência Reuters, Wiratno, do Ministério do Ambiente indonésio, declarou que o “projeto vai para a frente”, pois “já foi provado que não terá qualquer impacto”.

Os funcionários da UNESCO revelaram que haviam solicitado uma avaliação atualizada do projeto por parte do Governo indonésio, mas que ainda não tinham recebido resposta. Confrontado com esta situação, Wiratno disse que está a ser elaborada e que deverá ser enviada ainda em setembro.

Num comunicado, a mesma fonte reafirmou que o projeto inclui, sobretudo, trabalhos de renovação das infraestruturas já existentes e que não representa nenhum perigo para os animais.

De acordo com os dados do Governo indonésio, existem cerca de três mil dragões de Komodo no país.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.