Constâncio garante que não esteve na reunião que aprovou posição de Berardo no BCP

Manuel de Almeida / Lusa

Vítor Constâncio na comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da CGD

Vítor Constâncio garantiu este sábado que não participou na reunião do Conselho de Administração do Banco de Portugal (BdP) que autorizou a participação qualificada do investidor Joe Berardo no Banco Comercial Português (BCP).

Numa nota enviada à Lusa, o ex-vice-presidente do Banco Central Europeu, que à data dos factos liderava o BdP, diz que recebeu essa informação da instituição que liderou. “Recebi hoje do Banco de Portugal a informação de que não participei na Reunião do Conselho de Administração de 21 de Agosto de 2007, que decidiu não objetar à participação superior a 5% da Fundação Berardo no capital do Banco Comercial Português”.

Este facto, ainda segundo a mesma nota de Vítor Constâncio, “prova como as decisões de uma instituição não devem ser pessoalizadas”. Para Constâncio, o não ter participado na reunião demonstra também que não autorizou “pessoalmente” a “operação de compra de ações bem como a operação de crédito e o levantamento de elevado montante de fundos, que, aliás, já tinha sido legalmente concedida pela CGD meses antes”.

“Reitero, portanto, que a decisão que foi tomada pelo Conselho do BP [Banco de Portugal] não implicou, nem um aval à concessão desse crédito que já tinha sido legal e autonomamente decidido pela CGD [Caixa Geral de Depósitos], nem um julgamento sobre a natureza da operação”, conclui o economista.

Os esclarecimentos de Vítor Constâncio surgem depois de na sexta-feira o jornal Público ter revelado documentos, a que posteriormente a Lusa também teve acesso, que mostram que a operação de entrada de Joe Berardo no BCP tinha sido autorizada pelo BdP, mesmo sabendo que as verbas necessárias para essa operação provinham de um crédito de 350 milhões de euros contraídos junto da CGD.

Segundo esses documentos, dois membros da supervisão bancária do BdP, Carlos Nunes e Virgílio Mendes, assinaram uma carta em que se pode ler que “o Conselho de Administração do Banco de Portugal, em sessão de 21 de agosto de 2007, deliberou não se opor à detenção por parte da Fundação José Berardo de uma participação qualificada superior a 5% e inferior a 10% no capital social do Banco Comercial Português SA e inerentes direitos de voto”.

É essa reunião realizada em 21 de agosto que Vítor Constâncio vem agora dizer que não participou.

Numa cópia do extrato da ata da referida reunião, a que a Lusa teve acesso, pode confirmar-se que a mesma foi presidida pelo vice-governador José de Matos, tendo estado ainda presentes, o vice-governador Pedro Duarte Neves, e os administradores Manuel Sebastião e Silveira Godinho e ainda, em representação do Conselho de Auditoria, Sérgio Nunes.

Em 2015, segundo uma auditoria da EY à Caixa Geral de Depósitos (CGD), a exposição do banco público à Fundação José Berardo era de 268 milhões de euros, depois de uma concessão de crédito de 350 milhões de euros para compra de ações no BCP, dando como garantia as próprias ações, que desvalorizaram consideravelmente e geraram grandes perdas para o banco.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Portanto ele não esteve lá mas aprovou, ainda é pior!Demonstra a falta de responsabilidade deste nem sei o que lhe chame!

  2. Nunca compreendi como é que esta nulidade chegou a vice-governador do BCE. Por cá tinha feito um péssimo trabalho enquanto governador do BP. Ficará para a história seguramente como o pior governador de sempre do BP. E depois mandam-no para o BCE?!!!!

Ordenados "não podem ser cortados", diz comissário. Proposta sobre salário mínimo apresentada em outubro

O comissário europeu do Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit, reconheceu as limitações da Comissão Europeia quanto a salários, defendendo que o sistema que no qual está a trabalhar permitirá que os rendimentos aumentem na Europa. Em …

Chega quer expulsar autor de moção pela remoção de ovários a mulheres

A direção do Chega vai propor a “suspensão imediata” do militante Rui Roque que defendia a extração dos ovários numa moção de estratégia que foi rejeitada em congresso, informou esta segunda-feira o partido. Mais de uma …

Precários à espera de apoio extraordinário estão a receber multas do fisco

A Associação de Combate à Precariedade denunciou que a Autoridade Tributária (AT) está a aplicar multas de 75 euros a trabalhadores precários que ficaram sem rendimento e estão a recorrer ao novo apoio extraordinário a …

Portugal regista mais seis óbitos e 688 novos casos

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais seis mortos relacionados com a covid-19 e 688 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

Novo lay-off é para "aguentar o emprego e as empresas" (mas agrava cortes dos trabalhadores)

O novo regime de lay-off anunciado pelo Governo, para apoiar as empresas com "perdas mais significativas", nomeadamente na área do turismo, visa "aguentar o emprego e as empresas", segundo o ministro da Economia, Siza Vieira, …

Jornal "The Guardian" sugere que Portugal é um país racista e compara Ventura a Bolsonaro

O jornal britânico "The Guardian" noticiou, esta segunda-feira, alguns dos mais recentes acontecimentos racistas que têm ocorrido no país, afirmando no seu título que "Portugal regista um aumento da violência racista com ascensão da extrema …

Jornal Washington Post declara apoio a Biden e quer afastar "o pior presidente dos tempos modernos"

O jornal de referência Washington Post declarou esta segunda-feira o seu apoio ao candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, para derrotar o republicano Donald Trump, que considera “o pior Presidente dos tempos modernos”. No …

Portugal não recorrerá aos empréstimos do fundo de recuperação da UE

O primeiro-ministro António Costa salientou esta terça-feira que Portugal "recorrerá integralmente" aos cerca de 15,3 mil milhões de euros em subvenções que poderá receber do fundo de recuperação europeu, mas adiantou que não utilizará a …

Isabel dos Santos impugna nacionalização da Efacec

A empresária angolana Isabel dos Santos avançou com uma ação para impugnar a nacionalização da Efacec, decisão que foi anunciada pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no início de julho. Numa nota enviada às …

Brexit. Na nona e última ronda, Von der Leyen está convencida de que acordo é possível

A União Europeia (UE) e o Reino Unido voltam esta terça-feira às negociações, na nona e última ronda para sair do impasse em questões como as pescas e concorrência e chegar a um acordo de …