A comédia pode ajudar-nos a combater a crise climática

SXC

A comédia pode ser o segredo para combater as alterações climáticas. Aliada à tragédia, reconhecer a nossa própria vulnerabilidade pode desempenhar um papel importante.

As questões definidoras da sociedade raramente são apresentadas como factos e estatísticas brutas e as alterações climática não são exceção. Desde a realização de funerais para espécies extintas e glaciares até à alegação de que o melhor que podemos fazer é nos adaptarmos a uma catástrofe iminente, a crise climática é frequentemente narrada como uma tragédia clássica grega.

Erros no julgamento humano desencadeiam uma série de eventos que, uma vez em movimento, inevitavelmente trazem sofrimento extremo e um poderoso sentimento de desamparo para mudar o que sabemos que está por vir.

De muitas maneiras, estas perspetivas sombrias são apropriadas. Milhões de pessoas já estão a ser deslocadas ou mortas devido ao clima. E, no entanto, como apontam cientistas ambientais e especialistas em comunicação, estas narrativas são problemáticas porque tendem a inspirar inércia e ansiedade, em vez de ação.

Narrativas de esperança podem ajudar a mudar o guião e estimular uma resposta. Mas há uma história ainda mais adequada com a qual podemos complementar as nossas narrativas trágicas: a comédia.

Esta proposta pode parecer bizarra. Não há nada engraçado na perspetiva de colapso ambiental. Mas embora as comédias sejam engraçadas, elas não precisam de ser alegres ou triviais.

Muitas abordagens filosóficas da comédia sustentam que os efeitos cómicos surgem de incongruências: incompatibilidades entre o que esperamos e o que percebemos. Para o filósofo francês Henri Bergson, uma das incongruências centrais usadas na comédia é quando a vida orgânica – normalmente caótica, mutável e adaptável – age de maneira semelhante a uma máquina. Bergson argumenta que rir dessa incongruência é uma ferramenta social pela qual nos repreendemos uns ao outros por não sermos adaptáveis e flexíveis o suficiente.

Bergson alarga essa ideia explicitamente à maneira como os seres humanos se relacionam com a natureza. Ele dá o exemplo anedótico de uma dama convidada pelo astrónomo Cassini para observar um eclipse da lua. Chegando atrasada, ela pede ao astrónomo que comece a visualização novamente.

Esse tipo de atitude pode parecer ridículo, mas encapsula uma abordagem dominante para enfrentar a crise climática. Em vez de tentar infringir menos o meio ambiente e permitir que ele se recupere, muitos estão a aumentar o aproveitamento tecnológico do mundo natural que nos colocou nesta confusão.

Os protagonistas cómicos de Bergson comportam-se mecanicamente em relação à natureza, e rimo-nos deles. Mas, rindo deles, também rimos de nós mesmos. Eles podem ajudar-nos a refletir sobre as nossas ações e destacar o absurdo e a ineficiência de muitas respostas humanas à crise climática.

A tragédia destaca a vulnerabilidade daqueles que se pensam no controlo. A comédia mostra a força daqueles que reconhecem a sua própria vulnerabilidade. Precisamos das duas histórias para enfrentar a crise climática.

  ZAP // The Conversation

PARTILHAR

RESPONDER

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …

Luis Díaz será a prioridade do Newcastle

Valor de mercado será agora inacessível para os clubes italianos, escreve-se... em Itália. O novo Newcastle deverá atacar o mercado do futebol com estrondo, possivelmente já daqui a pouco mais de dois meses, e a prioridade …