Cientistas descobrem fenómenos da física na técnica do pintor Jackson Pollock

O artista norte-americano Jackson Pollock (1912-1956) terá usado conhecimentos da física nas suas pinturas, consideradas muitas delas ícones da arte do século XX, revela o estudo de uma equipa de cientistas agora divulgado.

De acordo com o estudo publicado no jornal científico norte-americano Plos One, foram analisadas as telas que o artista pintava deitadas no chão, não com pincel, mas usando uma técnica de atirar tinta, que deixava filamentos sinuosos.

A equipa de investigadores, que também envolveu a Universidade Nacional Autónoma do México, analisou a forma de pintar de Pollock e descobriu que o artista – conscientemente ou não – usou conhecimentos de fenómenos da física, nomeadamente um fenómeno clássico da dinâmica de fluidos.

A técnica do pintor parece – segundo os cientistas – ter conseguido evitar intencionalmente um fenómeno conhecido por “instabilidade de enrolamento”, que é a tendência de um fluido viscoso frisar, criar ondas sobre si mesmo, em vez de se expandir, quando deitado para cima de uma superfície.

Os cientistas fizeram a experiência de medir a distância e velocidade a que o artista lançava a tinta, reproduzindo as suas técnicas, e eram esses fatores – conjugados com a tinta viscosa – que davam o efeito final ao seu trabalho.

“Tal como a maioria dos pintores, Jackson Pollock fez um longo caminho de experimentação para aperfeiçoar a sua técnica“, afirma Roberto Zenit, professor na Brown School of Engineering, e principal autor do estudo.

O que os investigadores tentaram descobrir foi que princípios da física e da mecânica o artista aplicou para conseguir criar os seus quadros abstratos, na forma que desejava. “A nossa principal conclusão é que os movimentos de Pollock e as tintas que usava eram combinadas de tal forma que evitavam esta ‘instabilidade de enrolamento'”, salientou.

A técnica deste artista implicava atirar tinta diretamente de uma lata para a tela horizontalmente colocada no chão, ou usando um bastão, e era habitualmente chamada de “gotejar”.

Na mecânica de fluidos, esta técnica provocaria marcas de gotas na tela, mas Pollock evitava-as fazendo filamentos ininterruptos de tinta.

Estas descobertas poderão ajudar os peritos a verificar as obras originais do autor, e a detetar cópias. Os coautores do estudo foram Bernardo Palacios, Alfonso Rosario, Monica M. Wilhelmus e Sandra Zetina.

// Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

João Almeida acaba em 4.º e faz história no Giro. É o melhor português de sempre na prova

O português João Almeida (Deceuninck-QuickStep) subiu este domingo ao quarto lugar final da 103.ª edição da Volta a Itália em bicicleta, no contrarrelógio da 21.ª etapa, que 'coroou' o britânico Tao Geoghegan Hart (INEOS). O português …

Santo Stefano paga 8.000 euros por ano a quem quiser viver na vila medieval italiana

Santo Stefano di Sessanio, uma vila medieval em Abruzzo, uma região no lado leste do centro-sul da Itália, está disposta a pagar a quem quiser mudar-se e começar um negócio nesta pequena localidade. Uma pequena vila medieval …

Portugal com mais 19 mortos e 2.577 casos confirmados

Portugal contabiliza este domingo mais 19 mortos relacionados com a covid-19 e 2.577 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim este …

Espanha decreta novo estado de emergência. Durará seis meses e terá recolher obrigatório

O Governo de Espanha aprovou este domingo o estado de emergência sanitária que permitirá a instauração do recolher obrigatório em todo o país para travar a de casos do novo coronavírus, anunciou o primeiro-ministro. O estado …

CDS quer saber se proibição de deslocações entre concelhos exclui assistir a espetáculos

O grupo parlamentar do CDS-PP questionou este sábado o Governo se a proibição de deslocações durante o fim de semana dos Fiéis Defuntos exclui deslocações para assistir a espetáculos culturais, querendo saber como justifica a …

Pandemia "roubou" dez anos à almofada financeira das reformas

O jornal Público escreve este domingo que dez meses de pandemia foram o suficiente para encurtar em uma década o prazo previsto até ao esgotamento do fundo que serve de almofada financeira para o sistema …

Chicago tem a maior praga de ratos dos Estados Unidos (pelo 6.º ano consecutivo)

Chicago, a cidade mais populosa do estado do Illinois, é, pelo sexto ano consecutivo, aquela que tem a maior praga de ratos dos Estados Unidos. Uma empresa de controlo de pragas garante receber mais chamadas …

Presidente da Samsung morre aos 78 anos

O presidente da Samsung Electronics, Lee Kun-hee, morreu este domingo aos 78 anos, disse o grupo sul-coreano em comunicado. Lee, que transformou o grupo num gigante global das telecomunicações, estava acamado desde um ataque cardíaco em …

Chuva de críticas à F1 em Portimão. Organização promete expulsar quem não cumprir distanciamento

Fotografias das bancadas da Fórmula 1 em Portimão começaram a correr este sábado nas redes sociais, gerando alguma polémica e descansando uma série de críticas, uma vez que as bancadas pareciam ter mais público do …

Ordem dos Médicos alerta para “grave sobrecarga” nas urgências pela Linha SNS 24

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) alertou que a atuação da Linha SNS 24, no âmbito da covid-19, causa uma “grave sobrecarga” nas urgências, pelo que defende alterações na referenciação dos …