Chineses querem casar, mas não há mulheres que cheguem

IceNineJon / Flickr

-

Persistentes “tradições feudais” e três décadas de rígido controlo da natalidade geraram na China um excedente de 33 milhões de homens, envolvendo o país num drama social de consequências imprevisíveis.

As estatísticas oficiais falam por si: no final de 2014, a China tinha cerca de 700 milhões de homens e 667 milhões de mulheres e a diferença, à nascença, era de 115,8 rapazes por 100 raparigas.

Aquela desproporção, que há dez anos atingiu 121 por 100, está a diminuir, mas continua muito acima da média global de 103 a 107 por 100.

Neste aspeto, a China é mesmo considerada o país mais desequilibrado do mundo.

Em 2020, entre a população dos 25 aos 34 anos de idade, haverá mais treze milhões de homens do que mulheres, indicam algumas projeções.

Segundo a tradição chinesa, são os pais que transmitem o nome da família à geração seguinte. O apelido das mães não passa para os filhos.

Criticada pelas autoridades como “uma reminiscência do feudalismo“, a preferência por filhos do sexo masculino ganhou uma nova dimensão com a política de “um casal, um filho“, imposta no início da década de 1980.

“Tratei várias mulheres que fizeram múltiplos abortos apenas porque queriam um filho rapaz”, contou a ginecologista Lian Fang, citada na semana passada pela agência noticiosa oficial Xinhua.

Exceto em casos de comprovada “necessidade clínica”, os hospitais estão proibidos de apurar o sexo dos fetos, mas como Lian Fang denunciou, há médicos “sub-repticiamente” equipados para efetuar esse tipo de exames e que o fazem às escondidas.

“Se o feto for do sexo masculino, a gravidez continua. Se for do sexo feminino, normalmente, aborta-se”, afirmou a ginecologista na última sessão anual da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês na província de Shandong, costa leste da China.

Chai Ling, uma líder do movimento estudantil que ocupou a Praça Tiananmen em 1989, exilada nos Estados Unidos e convertida ao cristianismo, fundou uma organização chamada “All Girls Allowed” (“Aceitam-se todas as Raparigas”).

Uma em cada seis raparigas perdem-se actualmente na China através de abortos feitos em função do sexo”, diz aquela ONG.

Depois de a homossexualidade ter sido retirada da lista oficial de “perturbações mentais”, em 2001, uma conhecida socióloga, Li Yinhe, tem defendido publicamente a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas o assunto ainda não foi sequer agendado para discussão na Assembleia Nacional Popular.

Problema já se espalhou

A escassez de mulheres na China já se converteu também num problema regional, sobretudo no vizinho Vietname.

“De acordo com as autoridades vietnamitas, cerca de 22.000 mulheres e crianças do Vietname foram traficadas nos últimos dez anos para a China para casamentos forçados ou outros propósitos”, refere um relatório da UNICEF.

Em 2014, para tentar contrariar o envelhecimento da sociedade, o governo chinês decidiu “aliviar” o controlo da natalidade, permitindo que os casais em que um dos cônjuges é filho único possam ter um segundo filho.

As autoridades esperavam que a nova política suscitasse mais dois milhões de nascimentos, mas dos cerca de onze milhões de casais naquelas condições, apenas um milhão se candidatou ao segundo filho.

E, entretanto, o número de abortos praticados nos hospitais chineses continuou a exceder os treze milhões por ano.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não foi só a tradição, foram também razões económicas e legais. Os filhos (homens) são obrigados por lei e tradição a sustentar os pais na velhice, a assumir as suas dívidas, etc. As filhas (mulheres) estão isentas de tais obrigações; antes pelo contrário, serão os pais que têm de a suportar se ela tiver azar na vida (pode acontecer a qualquer um).
    Agora ponham-se no lugar de um casal chinês, que só pode ter um filho: escolheriam um rapaz ou uma rapariga?

    Pois é, nunca é tão fácil ou linear como parece…

  2. Se fosse cá, tinhas uma filha e não pagavas nada a ninguém! Com o dinheiro que “não pagavas” viajavas, ias para um belo lar.. mudavas de país!

    Como é óbvio estou a ser irónico, contudo somos cada vez menos as pessoas de valor e mais os gatunos!

RESPONDER

Mayflower 2.0: um navio autónomo pilotado por IA está a refazer a viagem do original

Quatro séculos e uma pandemia depois de o Mayflower original ter zarpado do porto de Southampton, numa jornada histórica para a América, outro veículo pioneiro com o mesmo nome partiu para refazer a mesma viagem. O …

Halterofilista neozelandesa será a primeira atleta transgénero a competir nos Jogos Olímpicos

A neozelandesa Laurel Hubbard, de 43 anos, classificou-se para os Jogos Olímpicos de Tóquio na categoria acima de 87kg feminina (super pesadas) do levantamento de peso, tornando-se a primeira atleta transgénero a participar na competição. "Estou …

República Checa 0-1 Inglaterra | Serviços mínimos valem topo

A Inglaterra, que tinha assegurado o apuramento na segunda-feira, garantiu o primeiro lugar do Grupo D do Euro 2020, ao vencer a República Checa por 1-0, com um golo madrugador, no mítico estádio de Wembley. Num …

Croácia 3-1 Escócia | Croatas de trivela rumo aos oitavos

A Croácia, liderada pelos ‘craques’ Luka Modric e Ivan Perisic, qualificou-se hoje para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer por 3-1 a Escócia, que eliminou, num Grupo D conquistado pela Inglaterra. Os …

Asteroide tem nome de astrofísico português Nuno Peixinho

O astrofísico português Nuno Peixinho dá nome a um asteroide, descoberto em 1998 e que tem pouco mais de 10 quilómetros de diâmetro, anunciou esta segunda-feira o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), …

"É inaceitável". Ana Mendes Godinho critica situações de trabalho temporário que "duram décadas"

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, insistiu esta terça-feira na relevância do combate à precariedade, sinalizando a intenção de restringir o trabalho temporário. "Tem de haver mecanismos mais fortes para combater a segmentação do mercado …

Hitler expulsou os soldados judeus há oito décadas. Agora, um rabino junta-se ao exército alemão

No início da Segunda Guerra Mundial, Hitler expulsou os judeus das Forças Armadas na década de 1930. Agora, Zsolt Balla irá assumir o cargo de rabino-chefe do exército alemão. Mais de 80 anos depois, aquilo que …

Rio critica Governo após "justa indignação" de Merkel

O presidente do PSD acusou esta terça-feira o Governo de estar a fazer Portugal passar “por uma vergonha desnecessária”, considerando que depois da “vexatória desconsideração” do Reino Unido, os portugueses têm que “ouvir a justa …

Amazon acusada de destruir milhões de itens não vendidos todos os anos

A Amazon foi acusada de destruir milhões de itens não vendidos todos os anos, segundo uma investigação da Newsweek, publicada na segunda-feira. "Uma investigação da ITV News num dos centros de distribuição da Amazon no Reino …

Enquanto o mundo lutava contra uma pandemia, a Guiné declarava o fim do segundo surto do Ébola

No passado sábado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou o fim do segundo surto de Ébola na Guiné-Conacri, que vitimou mortalmente 12 pessoas. "Tenho a honra de declarar o fim do Ébola na Guiné", disse …