Chinesas rapam a cabeça em protesto contra prisões arbitrárias no país

Quatro mulheres chinesas, esposas de advogados e activistas detidos, raparam a cabeça num gesto simbólico de protesto, em frente a um tribunal de Pequim, para denunciar a prisão de defensores dos direitos humanos no país.

Num vídeo divulgado no YouTube, as quatro manifestantes aparecem juntas no protesto. As activistas são Li Wenzu, Yuan Shanshan, que aparece com o filho ao colo, Liu Ermin e Wang Qiaoling, e gritaram “sem cabelo e sem lei”.

As quatro mulheres são vítimas colaterais do episódio conhecido como “709”, ocorrido a 7 de julho de 2015, quando 200 defensores dos direitos humanos foram detidos na China. Desde então, tentam alertar a opinião pública, organizando manifestações, nas quais acabam por se colocar também a si próprias em risco.

Li Wenzu, que luta há três anos pela libertação do marido, não sabe o que dizer a seu filho. “É muito duro. Ele tem cinco anos e não para de me perguntar por que o papá não volta para casa?”, conta a activista.

O marido de Wenzu, o advogado Wang Qhanzhang, defendeu casos de militantes dos direitos humanos na China até ao dia em que desapareceu. “O meu marido foi detido no dia 10 de julho de 2015. Contratei sucessivamente sete advogados, mas as autoridades negaram qualquer contacto. Nem sequer sei se ele ainda está vivo”, explica Li Wenzu.

A jovem mãe já foi vítima de violência policial, mas nunca deixou de lutar pela libertação do marido, acusado de subversão. “Em três anos, fui detida nove vezes, sem justificação. Tiraram-me a roupa, insultaram-me. O nosso filho não pode ir à escola. Já não temos residência fixa, e somos vigiados 24h por dia”, denuncia.

Também Yuan Shanshan foi vítima de abuso policial após a detenção do marido. “Quando fui ao tribunal de Tianjin, a polícia revistou-me toda. Queriam prender-me. Polícias invadiram o meu apartamento, puseram-me fora de casa. Tive que fugir, expulsa pela polícia”, contou Shanshan à RFI, em 2016.

“No dia 12 de julho de 2015, o meu marido desapareceu subitamente. E nem sei porquê. Entretanto, ele tornou-se pai, mas não pôde acompanhar a minha gravidez. A sua filha tem quatro meses e não tem nome”, lamentou então Yuan Shanshan.

Há cinco meses, no aniversário do início da onda de repressões, a organização não governamental Human Rights Watch publicou um comunicado altamente crítico acerca da situação dos Direitos Humanos na China. “Todos os dias, prisões injustas de advogados aumentam o triste balanço da China em matéria de direitos humanos”.

RFI ZAP // RFI

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Olha, olha os chineses querem ter direitos!…
    Assim lá se vai o objectivo de serem a maior economia o mundo; é que sem direitos, a economia funciona muito melhor!!

RESPONDER

Carlos Moedas "tem uma costela liberal". IL pondera apoio ao candidato à câmara de Lisboa

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, disse que Carlos Moedas, candidato à câmara de Lisboa apoiado pelo PSD, tem um "perfil liberal", mas que o partido precisa de perceber projeto do …

Primeiro-ministro da Arménia acusa militares de tentativa de golpe de Estado

O primeiro-ministro da Arménia referiu-se hoje a "tentativa de golpe de Estado" depois de o Estado Maior ter pedido o afastamento do governo num contexto de protestos por causa da derrota no último conflito com …

EUA condenam Coreia do Norte a indemnizar militares torturados em 1968

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) condenou Pyongyang a indemnizar em 2,3 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros) os tripulantes de um navio da Marinha norte-americana, que foram capturados e …

Ex-gestores do Novo Banco seguem para Banco do Fomento e para CGD

Os gestores Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso, que saíram do Novo Banco em divergência com a estratégia da Lone Star, vão desempenhar as funções de presidente do Banco de Fomento e de administrador na Caixa …

EUA acusado de prometer contrapartidas a Cabo Verde pela extradição de testa-de-ferro de Maduro

O antigo juiz espanhol Baltasar Garzón, que coordena a defesa de Alex Saab, detido em Cabo Verde e considerado testa-de-ferro do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusou na quinta-feira os Estados Unidos (EUA) de prometerem contrapartidas …

Bispo italiano sugeriu a padre que pagasse 20 mil euros a vítima de pedofilia

O bispo católico de Como, em Itália, afirmou ter sugerido a um jovem padre suspeito de pedofilia que pagasse 20 mil euros à suposta vítima para encerrar uma investigação interna ao caso ocorrido numa residência …

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …

UE retalia e declara chefe da missão venezuelana "persona non grata"

A União Europeia (UE) decidiu, esta quinta-feira, declarar a chefe da missão venezuelana em Bruxelas persona non grata, respondendo ao anúncio feito por Caracas de dar 72 horas à embaixadora comunitária para abandonar o país. "Por …