//

China desmantela esquema de pirâmide de 4,6 mil milhões de euros

O alegado cérebro de um esquema que custou milhares de milhões de dólares a investidores chineses vivia num apartamento de luxo, adornado com fontes e pavões, avançou hoje a imprensa local, após difundir a sua confissão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Descrito como o responsável pela firma Zhongjin Asset Management e suas subsidiárias, Xu Qin consta entre os 35 executivos e funcionários presos na semana passada, de acordo com a televisão estatal Dragon Television.

Funcionários da Zhongjin terão alegadamente burlado milhares de investidores com um gigantesco esquema em pirâmide que terá arrecadado 34.000 milhões de yuan (4.620 milhões de euros).

Xu Qin admitiu que “a empresa pagou juros aos investidores antigos com o dinheiro de novos investidores”, referindo que se tratava “basicamente, de um esquema ‘Ponzi'”.

A mesma reportagem diz que Xu Qin, de 35 anos, gastou em conjunto com a esposa 500 milhões de yuan dos investidores em casas e carros de luxo.

Ambos tinham arrendado um apartamento com 1.200 metros quadrados num dos mais caros condomínios da China, o Tomson Riviera, em Xangai, onde criavam pavões e construíram fontes na sala de estar, revela hoje o jornal oficial Jiefang Daily.

Trata-se do caso mais recente na China envolvendo um suspeito a confessar em direito na televisão estatal antes de ser julgado.

Xu Qin foi detido no mês passado pela polícia no aeroporto quando se preparava para deixar o país rumo a Itália num avião fretado.

/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.