Da prisão perpétua ao cadastro étnico-racial. Chega aprova novo programa

Luís Forra / Lusa

André Ventura discursa no início do VII Conselho Nacional do Chega.

A inclusão da prisão perpétua e de um cadastro étnico-racial no programa do partido foram unanimemente aceites no Conselho Nacional do Chega.

O Conselho Nacional do Chega foi aprovado por maioria, sem votos contra e com uma abstenção, escreve o Observador. O documento foi aprovado na generalidade, estando agora a ser discutidos aditamentos e substituições de alguns pontos.

Entre os aditamentos, André Ventura sugeriu a inclusão da pena de prisão perpétua no programa do partido, que foi aprovada por unanimidade.

O líder do Chega sugeriu ainda incluir a ideia de criar um cadastro étnico-racial, um registo em que se procure compreender “problemas de subsidiodependência”, com informações de “natureza criminal ou comportamental”.

André Ventura defendeu na sexta-feira à noite a criação do cadastro étnico racial para identificar os problemas de algumas minorias em Portugal, com vista a tentar solucioná-los, rejeitando tratar-se de racismo.

“O partido deve defender não só a identificação das comunidades subsidiodependentes, onde estão localizadas, qual é a prevalência da subsidiodependência, qual é o nível de subsidiodependência, porque na verdade somos todos nós que estamos a pagar isso, como deve ter uma espécie de cadastro ou de identificação étnica ou racial”, afirmou.

Numa intervenção no arranque do VII Conselho Nacional do Chega, que acaba hoje em Sagres, no Algarve, André Ventura argumentou que nunca se conseguirá resolver problema nenhum “sem identificar primeiro” qual é o problema e qual a prevalência de comportamentos criminais.

“Este cadastro étnico racial que acho que devemos defender e que seria ímpar dentro da União Europeia não nos deve meter medo, porque nós sabemos que não somos racistas”, afirmou, sublinhando que se trata de “resolver” um problema.

“Entendo que nós temos em Portugal temos um problema grave de subsidiodependência em algumas comunidades, e que não devemos ter medo de pedir ao Estado que as identifique”, sublinhou, acrescentando que não defende o “ataque” às minorias.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Há tanta lama e vigarice em Portugal que só com medidas corajosas, como as do Chega, é possível limpar um pouco este país derretido.

  2. Perante propostas tão retrógradas, urge, democraticamente e através do voto, reduzir este partido político à expressão mais reduzida possível, por uma questão de saúde/higiene mental, quer individual quer coletiva. Por onde querem seguir não há caminho, apenas ódio e destruição. Os subsídios não se destinam a comunidades étnicas. Mas, se por acaso houver mais pessoas de uma determinada comunidade nessa situação, isso é apenas revelador da nossa incapacidade de desenvolver políticas efetivas de inclusão/integração. Diz mais sobre nós do que sobre grupos sociais minoritários. Por fim, se a ideia é atacar a comunidade cigana convém ter em atenção que apenas 3,8% dos beneficiários do RSI são de etnia cigana.

  3. Ora, ora, ora, raças, etnias, não somos racistas, pois somos o quê? homofóbicos? mas essas medidas tem alguma lógica se não é racismo? ó André andas de mal a pior, então Portugal precisa de isso para quê? olha concordo com o js. A prisão perpétua é para quem?

RESPONDER

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …