Cientistas criam células artificiais capazes de produzir a sua própria energia

Cientistas desenvolveram em laboratório células artificiais capazes de produzir a sua própria energia química e sintetizar partes da sua própria construção.

Uma equipa de cientistas japoneses recorreu à fotossensibilização para produzir uma célula artificial capaz de produzir a sua própria energia. A investigação poderá levar ao desenvolvimento de sensores biológicos super inteligentes.

O facto de estas células conseguir produzir a sua energia faz com que elas sejam muito idênticas às células biológicas reiais. Esta semelhança permite aos cientistas entender como funcionam as células além de desempenhar um importante papel noutras áreas de pesquisa, nomeadamente na produção de órgãos artificiais e outros tecidos corporais.

Yutetsu Kuruma, do Instituto de Tecnologia de Tóquio, no Japão, tem tentado criar uma célula artificial há já vários anos, centrando as suas atenções na membrana da célula. Neste trabalho recente, as células foram envolvidas em membranas lipídicas. Estas, por sua vez, continham as proteínas ATP sintase e bacteriorodopsina, purificadas a partir de células vivas.

As proteínas foram pensadas para trabalhar em conjunto, usando a energia da luz para criar uma diferença de energia dentro da célula e, de seguida, usar essa diferença para construir mais moléculas e mais proteína.

Durante as experiências realizadas em laboratório, o processo de fotossíntese aconteceu tal e qual como os cientistas previram: as células artificiais imitaram as células reais criando RNA mensageiro (mRNA) a partir de ADN e, em seguida, produzindo proteína a partir de mRNA.

Neste processo, a característica que se destaca é a capacidade das células de produzir essa energia. Além disso, a célula artificial consegue produzir a sua própria síntese, potencialmente levando à criação de células artificiais independentes que podem ser sustentadas por conta própria.

No entanto, os cientistas têm ainda muito trabalho pela frente, uma vez que estas células ainda não foram capazes de duplicar toda a gama de proteínas que uma célula real consegue. No entanto, os investigadores acreditam que essa meta pode estar ao alcance com uma configuração atualizada.

Estas células podem ser vitais para uma série de outras áreas de investigação, representando um papel de destaque no estudo das protocélulas que, supostamente, surgiram antes das células modernas.

No que toca a protcélulas, há uma pergunta que se impõe: como é que estas protocélulas produziram energia para criar o seu próprio metabolismo? E é na resposta a esta pergunta que estas células artificiais criadas em laboratório serão fundamentais.

Se duas proteínas de membrana podem produzir energia suficiente para impulsionar a expressão genica (gerar energia), como mostra este estudo publicado recentemente na Nature Communications, então as protocélulas poderiam ter sido capazes de usar a luz solar para evoluir para o que conhecemos como células modernas.

Como a investigação continua, podemos ser capazes de observar o ponto de inflexão do desenvolvimento celular, como aconteceu na Terra primitiva.

PARTILHAR

RESPONDER

Tesla vai abrir a sua primeira fábrica na Europa

O construtor de carros elétricos Tesla vai abrir uma fábrica nos arredores de Berlim, anunciou o presidente executivo da empresa, Elon Musk, na terça-feira à noite ao receber um prémio na capital alemã. “Tenho uma informação …

Continental vai contratar 300 engenheiros para o Porto

A Continental vai instalar no Porto um centro de desenvolvimento de tecnologias que poderá empregar "cerca de 300 engenheiros" e apoiará o desenvolvimento de soluções para veículos elétricos, condução autónoma e cibersegurança, anunciou esta quarta-feira …

Comissão Europeia aprova comercialização da primeira vacina para o Ébola

A Comissão Europeia anunciou no início da semana que concedeu uma autorização para a comercialização da primeira vacina contra o Ébola, designada Ervebo e produzida pela farmacêutica Merck. A vacina estava a ser produzida desde o …

Facebook lança o seu próprio MB Way

O Facebook lançou nos Estados Unidos uma nova funcionalidade para facilitar pagamentos através das quatro principais aplicações do grupo, que é semelhante ao funcionamento das transações com o MB Way. Em comunicado, Deborah Liu, responsável do …

O dilema dos chumbos, o "engano" de Ventura e o "falso liberal". O primeiro debate aqueceu

O primeiro debate quinzenal da legislatura arrancou esta quarta-feira e ficou marcado pelas retenções até ao 9.º ano - Chumba ou não chumba?, quis saber a direita, bem como pelo aumento do salário mínimo nacional …

Sondagem europeia defende tratado internacional que proíba "robôs assassinos"

Quase três em cada quatro pessoas querem que o seu governo colabore com outros países para proibir sistemas letais de armas autónomas. A organização não-governamental Human Rights Watch (HRW) divulgou esta quarta-feira os resultados de uma …

Pentágono está a criar bactérias que detetam explosivos no subsolo

O Pentágono, em conjunto com a empresa de defesa Raytheon, está a desenvolver um sistema capaz de produzir bactérias geneticamente modificadas no subsolo, com o objetivo de detetar explosivos no subsolo. Neste projeto, iniciado pela Agência …

Hospitais voltam a não poder aumentar número de trabalhadores sem visto da tutela em 2020

Os hospitais vão continuar em 2020 impedidos de aumentar o número de trabalhadores sem a autorização prévia do Ministério da Saúde, segundo um despacho a que a agência Lusa teve acesso. O despacho assinado pelo secretário …

Onda crescente de ataques com explosivos alarma Suécia

A Suécia tem visto um aumento sem precedentes de ataques com explosivos. Em outubro, Estocolmo foi alvo de três ataques em apenas uma noite.  Se pensarmos num país com guerras de gangues constantes, o último nome …

Ruben foi libertado depois de passar 11 anos na prisão por crimes que não cometeu

Ruben Martinez Jr. saiu em liberdade do Supremo Tribunal de Los Angeles após ter passado 11 anos na prisão por uma série de assaltos à mão armada que não cometeu. Um homem que passou 11 anos …