Cavaco retoma apelo a compromisso de salvação nacional

presidencia.pt

O Presidente da República, Cavaco SIlva

O Presidente da República, Cavaco SIlva

O Presidente da República retomou hoje o apelo às forças políticas para um “compromisso de salvação nacional”, considerando que os portugueses beneficiariam desse acordo no período pós-troika e apelou ao “espírito construtivo”.

Na mensagem habitual de Ano Novo, Cavaco Silva lembrou que em Julho passado, na sequência da crise política, propôs que as forças políticas alcançassem “um acordo de médio prazo”, um “Compromisso de Salvação Nacional”.

Cavaco Silva reafirmou hoje estar “firmemente convicto” de que o “crescimento da economia, a criação de emprego e as condições de vida dos portugueses no período pós-troika beneficiariam de forma decisiva se fosse estabelecido um compromisso político de médio prazo em torno de grandes objectivos nacionais e de políticas públicas essenciais”.

“Exige-se a todas as forças políticas, sem excepção, que compreendam de uma vez por todas: o que está em causa é o futuro de Portugal, o futuro das novas gerações”, afirmou.

O Presidente da República afirmou que “Portugal é um dos países europeus onde o diálogo e o consenso entre os partidos políticos têm sido mais difíceis”, considerando que “deveria ocorrer precisamente o contrário”.

Na mensagem, o Presidente da República reforçou este apelo ao diálogo a propósito dos 40 anos do 25 de Abril, que se completam em 2014 e anunciou que irá assinalar a data com a realização de uma conferência internacional com o tema “Espírito da Democracia, Cultura do Compromisso” e “Desafios do Desenvolvimento”.

O chefe de Estado defendeu que se deve “seguir as lições que a História legou”, dando vários exemplos passados de momentos em que “os portugueses se uniram”.

Quando “os portugueses se uniram aos militares em nome da liberdade, foi possível construir um novo regime” e, quando “os portugueses lutaram contra as forças antidemocráticas, foi possível construir uma democracia constitucional”.

“Quando as forças democráticas, largamente representativas do povo português, souberam alcançar um entendimento patriótico, passámos a dispor de um texto constitucional mais favorável ao processo de transformação e modernização da economia e da sociedade”, destacou.

O Presidente da República destacou que “quando os portugueses se uniram àqueles que lideraram a adesão às Comunidades Europeias” foi possível integrar “um projecto partilhado por milhões de seres humanos”.

Cavaco Silva apontou um “património colectivo” de “democracia, liberdade, progresso e desenvolvimento e pertença à União Europeia” que não se pode perder “por causa de querelas conjunturais”.

Para Cavaco Silva, em 2014, o país vive um “momento essencial” que torna “imprescindível que as forças políticas atuem com espírito construtivo”, colocando os interesses do país acima dos interesses partidários.

“Espero, pois, que todos os agentes políticos, económicos e sociais saibam estar à altura das exigências do futuro e das legítimas aspirações do nosso povo”, disse Cavaco Silva.

Mensagem sem referências à constitucionalidade do OE

O Presidente da República, Cavaco Silva, não se referiu na mensagem de Ano Novo a eventuais dúvidas sobre a constitucionalidade do Orçamento do Estado para 2014, ao contrário do que fez o ano passado.

Na mensagem que dirigiu hoje aos portugueses, o Presidente da República refere o Orçamento do Estado para 2014 como um “instrumento da maior relevância” para atingir o “objetivo fulcral” de terminar o programa de assistência financeira “com sucesso” e para aceder aos mercados de financiamento externo a “taxas de juro razoáveis”.

Cavaco Silva promulgou na segunda-feira o OE para 2014, decisão que foi conhecida na terça-feira com a publicação em Diário da República, com os partidos da oposição a reiterar que o diploma contem normas inconstitucionais.

Em 2013, o chefe de Estado aproveitou a mensagem de Ano Novo para anunciar que iria solicitar a fiscalização sucessiva de algumas normas do Orçamento.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Isabel dos Santos não vai ser detida se for a Angola, garante PGR

O procurador-geral da República de Angola afirmou, esta sexta-feira, que a justiça quer esgotar todos os procedimentos para notificar a empresária angolana antes de pedir um mandado internacional de captura. "Primeiro vamos esgotar a possibilidade de …

Assange deixa ala médica da prisão e passa para área com outros reclusos

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, foi transferido da ala médica da prisão de Belmarsh, no sudeste de Londres, onde estava isolado, para uma área da prisão com outros presos, anunciou hoje um membro do …

"Saudações da Tailândia." Depois de fugir da prisão, Sekkaki enviou um postal aos diretores

Depois de fugir da prisão, Oualid Sekkaki provocou os responsáveis do estabelecimento prisional e enviou-lhes um postal. Em dezembro do ano passado, Oualid Sekkaki e outros quatro indivíduos fugiram do estabelecimento prisional de Turnhout, na Bélgica. …

Irlanda. Tribunal decide extraditar motorista acusado da morte de 39 migrantes vietnamitas

O tribunal de Dublin sentenciou, esta sexta-feira, que o motorista acusado da morte de 39 imigrantes vietnamitas - encontrados em outubro num contentor refrigerado, perto de Londres - pode ser extraditado para o Reino Unido, …

Atriz norte-americana confronta em tribunal Weinstein com acusação de violação

A atriz americana Annabella Sciorra, conhecida por ter participado na série "Os Sopranos", confrontou na quinta-feira o produtor Harvey Weinstein em tribunal, acusando-o de a ter violado, em meados dos anos 1990. Segundo avançou o Expresso, …

Mulher agride médica na Urgência do Hospital de Águeda

Uma médica foi agredida, esta quinta-feira, na Urgência do Hospital de Águeda, por uma mulher que acompanhava o filho a uma consulta. De acordo com o Jornal de Notícias, a médica, de 33 anos, que estava …

Polícia do Rio de Janeiro matou cinco pessoas por dia em 2019

A polícia do Rio de Janeiro matou 1.810 pessoas em 2019, um recorde de cinco mortes por dia e um aumento de 18% em relação ao ano anterior, informou o Instituto de Segurança Pública (ISP) …

Governo dedica 20 milhões do Orçamento ao combate à violência doméstica

O orçamento total para combater a violência doméstica em 2020 é de 20,3 milhões de euros, adiantou na quinta-feira a ministra de Estado e da Presidência no Parlamento, Mariana Vieira da Silva, sublinhando o reforço orçamental …

Chega quer câmaras nas fardas e nos carros-patrulha

O Chega, liderado por André Ventura, apresentou um projeto de resolução a defender que os agentes das forças de segurança nacionais devem poder utilizar câmaras, que seriam introduzidas nas fardas e nos carros-patrulha. O partido liderado …

"Não tenho o apoio de Assunção Cristas", diz João Almeida

O candidato à liderança do CDS-PP defende que o partido deve, no imediato, fortalecer-se e depois participar numa "plataforma à direita" de alternativa ao PS, com o PSD, mas sem o Chega. "A alternativa à governação …