/

Cavaco defende repetição de Governo social-democrata adaptado ao séc XXI

8

Miguel A. Lopes / Lusa

O ex-Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva

O antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva lança, no próximo mês, um livro no qual defende a repetição de um Governo social-democrata adaptado ao século XXI.

Em outubro, o ex-Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vai lançar um livro no qual defende a repetição da “única experiência governativa portuguesa” orientada por princípios da social-democracia, embora com adaptações ao século XXI.

Intitulado Uma experiência de Social-Democracia Moderna, o lançamento do novo livro de Aníbal Cavaco Silva foi “adiado sucessivamente” em virtude da pandemia de covid-19, mas deverá ir para as livrarias “muito em breve”, embora não haja ainda data definida, segundo uma fonte próxima do ex-chefe de Estado.

O também antigo primeiro-ministro considera que “os factos e os dados objetivos” apresentados no livro “demonstram bem que a única experiência governativa portuguesa de aplicação de um conjunto coerente de princípios da social-democracia que até hoje existiu foi altamente benéfica para Portugal e para os portugueses”.

“Estou firmemente convencido de que a repetição de uma experiência de social-democracia, adaptada aos tempos do século XXI, produziria resultados igualmente positivos”, escreve o antigo Presidente no livro.

Para Cavaco Silva, os valores da social-democracia moderna, “com destaque para a dignidade da pessoa humana, a democracia pluralista, a justiça social, a igualdade de oportunidades, o acesso aos cuidados de saúde, a difusão cultural, a defesa do ambiente, a economia de mercado e a livre iniciativa privada como fonte primária do crescimento económico, a concertação social e o reformismo, continuam a ser desafios para os governos da atualidade”.

Com 81 anos, Aníbal Cavaco Silva foi Presidente da República entre 2006 e 2016, depois de ter sido primeiro-ministro entre 1985 e 1995. Foi também ministro das Finanças do Governo chefiado por Francisco Sá Carneiro.

  ZAP // Lusa

8 Comments

  1. Será que no livro está lá o nome dos políticos do governo dele que entraram pobres e saíram empresários e banqueiros? E estará também no livro a que clientelas políticas ele deu os milhões que vieram da CEE desde 1985? Ou vem também as saudades que ele tem do antes do 25 de Abril que era da PIDE?

  2. Esta aberração, que enquanto Presidente da República nada ou pouco dizia, e quando dizia alguma coisa, só saía asneira, vem agora lançar mais um livro!
    Um individuo que enquanto Chefe de Estado, não teve vergonha de se recusar a receber o nosso Novel da Literatura, José Saramago, devia estar caladinho lá por Boliqueime; se o fizesse, de certeza que estava a prestar um bom serviço ao País! Assim, não.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.