Catarina Martins não se compromete com novo acordo político. “Não há renovação do que já foi feito”

Esquerda.Net / Flickr

Catarina Martins

Esta segunda-feira, no jornal da TVI, a líder do Bloco de Esquerda disse que só não haverá nova Lei de Bases da Saúde “se o PS não quiser” e não se comprometeu com um novo acordo político.

Catarina Martins foi a convidada de Miguel Sousa Tavares, no seu habitual espaço de comentário semanas no jornal da TV, onde não se comprometeu com um novo acordo político com o PS.

“Não há renovação do que já foi feito”, começou por dizer em resposta à pergunta sobre uma eventual renegociação à esquerda. Catarina Martins terminou afirmando que “o que acontecer no futuro vai depender da relação de forças” que sair das próximas Legislativas.

Segundo o Expresso, a bloquista tocou também no nome do líder parlamentar socialista. “Carlos César quer muito uma maioria absoluta, mas as pessoas lembram-se do que isso representa. O Bloco nunca irá para o Governo porque alguém decidiu levá-lo. Irá quando tiver força para isso”, afirmou.

A líder do Bloco de Esquerda voltou também a abordar um dos temas mais quentes dos últimos tempos: a Lei de Bases da Saúde. A líder do BE frisou a importância de uma “nova Lei de Bases”, defendendo que o seu partido “aceitou negociar” com o Governo com base na proposta por ele apresentada e não com base na proposta do Bloco.

Durante a entrevista, a bloquista apontou aqueles que considera serem os pontos importantes nesta discussão: “O acesso universal à saúde, acabar com a promiscuidade entre o público e o privado e acabar com as Parcerias Público-Privadas na gestão da saúde”.

Sobre este último ponto, Catarina Martins defendeu que “entregar a gestão de hospitais públicos ao setor privado é como se entregássemos a gestão das nossas esquadras à Prosegur ou a gestão das escolas aos colégios privados”.

Ainda a propósito deste tema, a coordenadora lembrou que “quando houve cortes nos hospitais no tempo da troika, as PPP não tiveram cortes”, ao que Miguel Sousa Tavares retorquiu: “Porque estavam contratualizados”.

Sobre o fim das taxas moderadoras, uma questão que também mereceu o recuo do Governo, Catarina Martins garantiu que as “35 horas não são culpadas por nenhum problema de saúde”. Esta foi a resposta da líder do bloco, depois de Miguel Sousa Tavares ter referido que esta alteração no horário fez com que houvesse menos funcionários nos serviços públicos.

O “problema da saúde é que se deixou sair pessoas e não se contratou”, explicou Catarina Martins, denunciando também as “carreiras” existentes que “as pessoas não querem e, por isso, fogem para o privado” ou emigram como aconteceu com os enfermeiros.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Bla bla bla uuuu blai blablabla txii bla bla ….Todos sabem que o Ps vai vencer as eleiçoes e todos sabem se o Ps nao vencer com maioria que o bloco vai fazer panelinha … se isso nao fosse tao real assim o governo teria caido antes de completar 4 anos …tudo o resto é conversa fiada …a politica portuguesa é tao inutil e prevísivel que chega a ser enfadonha

RESPONDER

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …

CM Lisboa vai negociar avenças em parques para moradores da envolvente da Baixa

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou, esta sexta-feira, que a autarquia irá tentar acordar com os operadores dos parques de estacionamento da envolvente da Zona de Emissões Reduzidas da Baixa-Chiado a criação de "avenças …

Caso Marega. PGR tinha brigada anti-racismo no jogo de Guimarães

A equipa do Ministério Público estava de serviço, no jogo entre V. Guimarães e FC Porto, quando o jogador maliano decidiu abandonar o campo na sequência de cânticos racistas. De acordo com o semanário Expresso, a …

Cientistas descobriram o que comiam os primeiros australianos

Uma equipa de arqueólogos e anciões aborígines encontraram sobras carbonizadas de há 65 mil anos, que estão a mostrar o que comiam as primeiras pessoas a viver na Austrália. Os investigadores e anciões aborígines locais recuperaram recentemente …

Estivadores avançam para greve total no Porto de Lisboa

Os estivadores do porto de Lisboa decidiram, esta sexta-feira, convocar uma greve total, de 9 a 30 de março, face à decisão das empresas de estiva de pedirem a insolvência da A-ETPL, Associação – Empresa …

Rui Rio quer controlar contactos entre a bancada do PSD e jornalistas

A direção do PSD enviou, esta sexta-feira, um comunicado aos deputados no qual determina que os contactos com os jornalistas deverão ser efetuados de forma articulada através da assessoria de imprensa. De acordo com a revista …

Medusas lançam granadas de muco e deixam a "água dormente"

Uma espécie de medusa caça as suas presas lançando granadas de veneno para deixar a "água dormente". Esta é a resolução de um mistério de longa data, que também afeta seres humanos. As águas-vivas-de-cabeça-para-baixo (Cassiopea xamachana), …

Coronavírus faz duas vítimas mortais em Itália

Duas pessoas morreram, em menos de 24 horas, infetadas com o coronavírus, em Itália. Já há a registar três mortes na Europa devido ao Covid-19. A segunda morte está a ser avançada pela agência noticiosa italiana …