Catarina Martins diz que há neste momento um acordo entre PS e PSD

Luís Forra / Lusa

A líder do BE, Catarina Martins, considerou hoje que “o Orçamento Suplementar não é uma primeira parte do Orçamento do Estado”, mas avisou que o que está a acontecer neste momento no país “é um acordo” entre PS e PSD.

Catarina Martins falou aos jornalistas nos Passos Perdidos do parlamento, depois da aprovação em votação final global do Orçamento Suplementar, registando, em relação ao que tinha dito antes o primeiro-ministro, António Costa, no mesmo local, que “vontade negocial tem de ser concreta”.

“E na verdade o que estamos a observar neste momento no país é um acordo – chame-se negociação ou não – entre PS e PSD”, avisou.

Na perspetiva da líder do BE, este acordo “não só aconteceu no Orçamento Suplementar, com o PSD a mudar a sua posição inicial para ir ao encontro do Governo, mas também um acordo para alterações regimentais no parlamento” e “mesmo acordo para eleição de órgãos externos à Assembleia da República”.

“O Orçamento Suplementar não é uma primeira parte do Orçamento do Estado. são documentos diferentes. O Orçamento Suplementar tem a ver com a resposta de emergência face à pandemia”, referiu.

Para Catarina Martins, o próximo “Orçamento do Estado é um outro momento que não se confunde com este”.

Questionada sobre se estes acordos entre PS e PSD é o fim da chamada “geringonça” da legislatura passada, a líder do BE começou por lembrar que o partido “propôs ao PS a continuação de um modelo de acordo” após as eleições, mas que “o PS esteve indisponível para esse acordo”.

“Portanto essa é uma questão que não se coloca agora. Sobre as indisponibilidades do PS devem perguntar ao PS, não posso ser eu a responder”, disse.

A dirigente bloquista começou por lembrar que o partido, quando o Governo apresentou a sua proposta, afirmou que “iria abster-se por duas razões”.

“Por um lado, porque considerava o Orçamento Suplementar insuficiente para responder à crise, mas também porque considerava que não havia condições para qualquer problema institucional parlamentar face a uma emergência pandémica de um Orçamento Suplementar que tinha dois critérios muito importantes para o Bloco de Esquerda: o reforço do Serviço Nacional de Saúde e da Segurança Social públicas e responder com medidas de emergência social às pessoas que perderam mais com a crise”, elencou.

Estes critérios, de acordo com Catarina Martins, “são os que guiaram o Bloco de Esquerda durante todo o tempo e, portanto, o voto de abstenção final” foi mantido.

“Como todos sabem e ao longo do tempo e dos vários orçamentos do Estado, no Bloco de Esquerda levamos as negociações a sério, levamos as tomadas de posição a sério e não mudamos aquilo que é o nosso compromisso”, referiu.

Apesar de registar “alguns avanços positivos” na especialidade orçamental, a coordenadora do BE defendeu que “teria sido possível ir mais longe” e “que esta resposta, ainda que de emergência, podia ser mais robusta e podia permitir ao país mais condições para reagir à crise”.

“Lamentamos que não tenha sido possível ir mais longe”, disse.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A Catarina avisou que o que está a acontecer neste momento no país “é um acordo” entre PS e PSD????
    E então, o que tem de especial???
    Será muito diferente do acordo da geringonça?

RESPONDER

Uma só teoria da conspiração sobre a covid-19 matou 800 pessoas. 60 ficaram totalmente cegas

Pelo menos 800 pessoas morreram e 60 ficaram cegas na sequência de uma teoria da conspiração sobre a covid-19, concluiu um novo estudo. A investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica American Journal …

Apple e Google removem das suas lojas de aplicações um dos jogos mais populares do mundo

As gigantes tecnológicas Apple e Google removeram esta semana das suas lojas de aplicações, a App Store e a Google Play Store, respetivamente, o Fortnite, um dos jogos mais populares de todo o mundo. As …

Encontrado tesouro de artefactos nazis no "Covil do Lobo", o quartel-general ultrassecreto de Hitler

Quando os nazis se prepararam para invadir a União Soviética, em 1941, construíram um quartel-general militar secreto na floresta Masúria, na Polónia, ao qual chamaram "Wolfsschanze" ou "Covil do Lobo". Desde a sua descoberta após a …

Itália vai construir um túnel submarino para unir Sicília ao continente

Itália está a planear construir um túnel para ligar a região insular da Sicília ao continente italiano. O projeto de cinco mil milhões de euros vai ser pago com a parte do Fundo de Recuperação …

Point Roberts tinha um pé nos EUA e outro no Canadá (mas agora não "pertence" a nenhum)

Point Roberts, em Washington, está numa posição única. Localizada na ponta da Península de Tsawwassen, a cidade fica totalmente abaixo do paralelo 49, a linha que separa o Canadá dos Estados Unidos. Agora, a cidade …

Milhares de processadores quebraram um trilião de chaves para resgatar um Zip com bitcoins

Um misterioso homem perdeu o acesso a um ficheiro Zip onde estavam encriptadas as suas chaves privadas de bitcoins. Os 300 mil dólares foram resgatados por dois especialistas em criptografia — e por muitos milhares …

Reino Unido com mais de mil novas infeções pelo quarto dia consecutivo

O Reino Unido registou mais 11 mortos e 1.441 infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde britânico, que manteve restrições sobre a área metropolitana de Manchester e parte do norte …

Governo não pondera (para já) proibição de fumar ao ar livre

O Governo não está a ponderar, neste momento, proibir fumar ao ar livre como foi decretado em Espanha, mas há “muitos aspetos em aberto” que serão acompanhados, disse esta sexta-feira a ministra da Saúde, Marta …

Lotação do Avante reduzida a um terço. Visitantes terão uma "área superior à que está estabelecida para as praias"

O PCP anunciou que vai limitar a entrada na sua anual Festa do "Avante!" a um terço da capacidade total, em virtude do contexto de pandemia de covid-19. O espaço de 30 hectares das Quinta da …

Governo da Guiné Equatorial demitiu-se em bloco

O Governo da Guiné Equatorial, liderado pelo primeiro-ministro Francisco Pascual Obama Asue, apresentou a sua demissão em bloco. Em declarações aos jornalistas, o ministro da Comunicação e porta-voz do Governo em funções, Eugenio Nze Obiang, explicou …