Casal de Arouca faz negócio de broas com as abóboras dos vizinhos

A Broa de Abobora e Castanha na loja Gostos com Memória, no Mercado do Bom Sucesso, no Porto (foto: facebook//Gostos-Com-Memória)

A Broa de Abobora e Castanha na loja Gostos com Memória, no Mercado do Bom Sucesso, no Porto (foto: facebook//Gostos-Com-Memória)

Um casal de Arouca está a desenvolver um negócio de broas que começou como forma de aproveitamento do excedente de abóboras que apodreciam nos campos de Souto Redondo e agora lhes são oferecidas pelos habitantes da aldeia.

Naturais da freguesia de Manhouce, mas agora a residir na referida aldeia de Urrô, Cláudia Rio Pinho e Vítor Fernandes arrancaram com o fabrico da receita familiar de broa de abóbora há alguns anos, quando, após uma licença de maternidade, ela se viu sem emprego na sua antiga fábrica de calçado e precisou encontrar uma nova forma de subsistência.

“As abóboras ou iam como comida para os porcos ou ficavam a apodrecer nos campos”, conta Cláudia, admitindo que só uma porção muito pequena desse vegetal era usada na confeção de sopas ou de bilharacos para o Natal. “Então pegámos numa receita que já tínhamos de família, melhorámo-la e começámos a cozer as broas – que são mais tipo regueifa, por serem doces, mas a que chamámos broa porque têm mesmo esse aspeto”, acrescenta.

Cozidos em forno a lenha, os pães começaram por destinar-se apenas a consumo próprio. “Depois, a Cláudia começou a levar umas broas para os colegas da formação em que andava, para comerem todos ao lanche, e, como as pessoas gostaram muito, começaram a dizer que ela devia comercializá-las”, recorda o marido.

Foi assim que a agora padeira passou a dedicar os dias de semana ao cultivo dos campos – enquanto o marido se manteve empregado no setor do calçado – e as sextas-feiras e os sábados ficaram reservados para o fabrico de broas a vender em feiras e mercados.

Um dia, estava o filho do casal a comprar dezenas de quilos de farinha no supermercado Cavadinha, quando a funcionária da caixa brincou com tamanha quantidade de embalagens e perguntou ao miúdo se ele fazia assim tantos bolos.

Quando o rapaz explicou a que se destinava o stock, a funcionária propôs então uma conversa com a proprietária do estabelecimento, para avaliar da possibilidade de as broas serem vendidas no local.

“Senti muita empatia com a Cláudia e gostei muito da broa quando a experimentei”, revela Teresa Sousa, a proprietária do supermercado. “Então propus-lhe que começasse a vender, mas, como não podia ter cá o produto sem ele estar legalizado, primeiro tivemos que tratar das licenças na Câmara, nas Finanças e dessas coisas todas”, refere.

Superada a parte da burocracia, Cláudia Rio Pinto passou as primeiras temporadas a tentar acertar com a fórmula ideal para a sua broa de abóbora e “esteve quase a desistir”, mas Teresa Sousa deu-lhe o incentivo para continuar.

“Hoje há clientes certos que perguntam sempre pela broa, mas isso foi precisamente porque, em vez de cozer muitas de qualidade razoável, ela preferiu perder algumas fornadas no início até perceber como é que podia ter sempre a melhor broa possível”, explica a apoiante do negócio.

Este ano, na época da colheita, Cláudia Rio Pinho recebeu cerca de 500 abóboras em casa, “quase todas oferecidas por pessoas da terra”, cada uma com 15 a 30 quilos de peso – “já para não falar das de 50 quilos ou de uma de 70 que me deu aqui uma senhora há uns meses atrás”, realçou.

Nos seus pontos de venda em Arouca ou no Mercado do Bom Sucesso, no Porto, a broa está depois à venda ao preço médio de 6 euros o quilo – “um preço barato que só é possível porque tanto as abóboras como a lenha dos fornos saem dos campos a custo zero”, observou o marido de Cláudia.

“Às vezes, a broa é comercializada noutros locais, mas quem nos tem contactado são sobretudo revendedores e não os gerentes de cada estabelecimento em si mesmo”, declara Vítor Fernandes. “Isso traz duas desvantagens, porque encarece muito o produto, à custa do transporte e dos intermediários, e faz com que ele já não chegue tão fresco ao consumidor final”, lamentou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PJ faz buscas na Madeira e em Lisboa por fraude na obtenção de fundos europeus

Cerca de duas dezenas de buscas foram efetuadas, esta terça-feira, na Madeira e na Grande Lisboa no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público (MP) que investiga crimes de fraude na obtenção de fundos …

França em choque com ação da polícia em acampamento de migrantes

A atuação da polícia durante o desmantelamento de um acampamento improvisado de migrantes no centro de Paris, na noite de segunda-feira, está a gerar críticas e indignação. Na noite desta segunda-feira, a polícia francesa dispersou algumas …

Centro Europeu de Controlo de Doenças alerta: países que retirem medidas para o Natal terão aumento de internamentos

O Centro Europeu de Controlo de Doenças estima que se os países que em outubro e novembro tomaram novas medidas para controlar a pandemia as levantassem a 21 de dezembro, os internamentos hospitalares aumentariam na …

Pensilvânia certifica vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais

As autoridades da Pensilvânia certificaram, esta terça-feira, a vitória do democrata naquele estado nas eleições presidenciais norte-americanas. Na sua conta do Twitter, o governador local, o democrata Tom Wolf, escreveu que o Departamento de Estado da Pensilvânia …

Nos Países Baixos, há drive-ins para as crianças poderem visitar o Pai Natal em tempo de pandemia

Muito se tem falado de como será o Natal neste ano atípico. Contudo, há países que já começam a arranjar alternativas para a época festiva. Nos Países Baixos, os drive-ins estão a ser usados para …

Vereador da Educação de Lisboa ameaça autarca com “um par de murros”

O vereador da Educação da Câmara de Lisboa afirmou, num comentário no Facebook, em resposta a uma publicação de um vogal da Junta de Freguesia do Areeiro, estar disponível para lhe dar "um par de …

Papa Francisco critica negacionistas da covid-19 e fala da morte de George Floyd

O papa Francisco, num livro esta segunda-feira publicado, criticou os opositores ao uso de máscaras ou outras restrições impostas para conter a pandemia de covid-19, sublinhando que nunca se manifestariam contra a morte do afro-americano …

Fenprof reconhece abertura da tutela do Ensino Superior para negociar apesar de divergências

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) reconheceu esta segunda-feira a abertura do Governo para negociar algumas questões do Ensino Superior, depois de uma reunião em que a tutela e a organização sindical nem sempre estiveram …

Bombeiros vão receber verba adicional de três milhões de euros

As associações humanitárias de bombeiros vão receber uma verba adicional de três milhões de euros em 2021 para fazer face aos constrangimentos financeiros devido à pandemia de covid-19, segundo uma proposta do PS hoje aprovado. Este …

Media Capital desafia ERC e elege Mário Ferreira como presidente

Os acionistas da Media Capital elegeram, esta terça-feira, o empresário Mário Ferreira presidente da dona da TVI. A assembleia-geral esteve inicialmente convocada para 28 de outubro, tendo sido suspensa, retomando hoje os trabalhos e com uma …