Carlos Silva alega falta de apoio do PS e anuncia saída da liderança da UGT

Pedro Nunes / Lusa

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva

O secretário-geral da UGT não é candidato a um novo mandato na central sindical, alegando que o “desgaste tem sido tremendo” e que é visto como força de bloqueio.

“Não quero continuar”, “já está decidido e a UGT já sabe disso”, anunciou Carlos Silva, numa entrevista no programa “Gente que Conta”, do Porto Canal, que será transmitida este domingo à noite.

O secretário-geral da UGT, que assumiu a liderança da central sindical em 2013, e se recandidatou em 2017, justificou a decisão de não avançar para um terceiro mandato com o desgaste e com a falta de apoio que sente dentro do PS para tal.

“O desgaste tem sido tremendo. Sinto que hoje, mesmo ao nível do PS, não tenho o necessário apoio, nem a necessária compreensão para me poder recandidatar. Não vale a pena continuar a chover no molhado”, afirmou, para sublinhar que sente que é visto como “uma força de bloqueio”.

Ainda sobre este tema precisou, por isso, a necessidade de todos fazerem esforços no sentido de preparar uma candidatura “de um camarada” “da tendência sindical socialista da UGT”, que assuma em 2021 o comando da central.

Na entrevista conduzida por Paulo Baldaia, Carlos Silva criticou o facto de o Governo ter decidido convocar os sindicatos para novas negociações sobre os aumentos salariais na função pública para uma data posterior à da votação final global do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

A votação final global do OE2020 está marcada para dia 6 de fevereiro, tendo, na sexta-feira, a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, anunciado no Parlamento que tinha convocado os sindicatos da função pública para uma nova reunião no dia 10 de fevereiro.

“Nós gostaríamos que a reunião tivesse lugar antes do dia 6 de fevereiro. O facto de o Governo vir dar nota que vai convocar a Fesap [Federação dos Sindicatos da Administração Pública] e outras estruturas sindicais para dia 10 significa que vai apresentar um facto consumado”, precisou Carlos Silva.

Nesta entrevista, o secretário-geral da UGT acusa ainda o Governo de “ostensivamente” ignorar os sindicatos nesta negociação dos aumentos salariais da função pública e considera que a atualização de 0,3% “é uma ofensa” e “humilhante”, pelo que a UGT apoiará com “todas as forças” a greve geral da função pública que está marcada para 31 de Janeiro.

“A negociação faz parte do comportamento democrático”, referiu, para precisar que os Governos, nomeadamente um Governo de esquerda como é o do PS, “têm obrigação de se sentar à mesa com os sindicatos”, porque “sem negociação o que há é imposição e a imposição não joga com democracia”.

Apesar de achar que é “errado” fazer a reunião depois da aprovação final do OE2020, Carlos Silva afirmou que os sindicatos da UGT estarão presentes. “A UGT e os seus sindicatos nunca ficarão com o ónus de rejeitar uma reunião, um entendimento com qualquer Governo, mesmo que seja depois do Orçamento”, afirmou.

Na entrevista, Carlos Silva criticou a atitude do primeiro-ministro para com a central sindical, afirmando que este tem relegado a UGT para segundo plano, apontando como exemplo um pedido de reunião urgente que fez a semana passada e que foi delegado na ministra do Trabalho.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já há 100 mortos por Covid-19 em Portugal. Infectados sobem para 5170

O número de pessoas infectadas com o coronavírus em Portugal subiu para 5170. São 902 novos casos confirmados nas últimas 24 horas, o que representa um acréscimo de 21%. Já morreram 100 pessoas.  A taxa de mortalidade …

Trump invoca lei de guerra para conseguir mais ventiladores

Donald Trump invocou uma lei de guerra para obrigar a General Motors a fabricar ventiladores. Os Estados Unidos são o país com o maior número de infetados em todo o mundo. Os Estados Unidos tornaram-se nesta …

Jackson Martínez recorda penálti falhado: "Adeptos do Benfica pensam que me vendi"

Os adeptos do Benfica não esquecem o penálti falhado por Jackson Martínez frente ao FC Porto, esta temporada. O golo teria colocado o Portimonense na frente do marcador. Em entrevista ao jornal Record, o avançado do …

"Solidariedade não é dar dinheiro." Holanda finca o pé e até critica Itália por "internar os mais velhos"

Há um novo braço-de-ferro na União Europeia (UE) entre os países do Norte e do Sul. Tudo por causa dos famigerados "coronabonds", instrumentos de dívida comum que países como Portugal, Espanha e Itália defendem para …

Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS "inacessível"

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS "inacessível" no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares. As idas à urgência nas …

CDS quer cheque de emergência para empresas encerradas

Uma das medidas, apresentadas por Francisco Rodrigues dos Santos, é a atribuição, às pequenas e médias empresas “encerradas ou com a actividade suspensa, um cheque de emergência no valor máximo de 15 mil euros”. O CDS …

Espanha regista 832 mortos nas últimas 24 horas. É o dia mais mortífero no país

A Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das …

"O Brasil não pode parar". Bolsonaro compra campanha contra o isolamento social

Jair Bolsonaro gastou cerca de 800 mil euros numa campanha contra o isolamento social com o mote "O Brasil Não Pode Parar". O presidente brasileiro tem desvalorizado a pandemia de covid-19. Face à pandemia de covid-19, …

Crise leva Costa a reforçar intenções de voto. Ventura chega ao quarto lugar

Na mais recente sondagem às intenções de voto, os portugueses mostram estar de confiança reforçada em António Costa. O Chega ganha força e chega ao quarto lugar. Numa sondagem que apenas capta os primeiros dias do …

Descoberta criatura que pode ser o antepassado de quase todos os animais

Cientistas podem ter descoberto um dos primeiros ancestrais da árvore genealógica: uma criatura semelhante a um verme chamado Ikaria wariootia. Segundo a revista Newsweek, a minúscula criatura, parecida com um verme, é o exemplar mais antigo …