Capitã alemã enfrenta pena de prisão até 20 anos por salvar migrantes

A capitã alemã de uma embarcação de salvamento que resgatou centenas de migrantes do Mediterrâneo poderá ser condenada a uma pena de até 20 anos de prisão em Itália por alegado auxílio à migração ilegal.

De acordo com o jornal alemão Basler Zeitung, citado pela Rádio Renascença, Pia Klemp enfrenta uma pena de até 20 anos de prisão por, segundo as autoridades italianas, auxiliar a migração ilegal.

O governo italiano garante que Pia Klemp, bióloga e ativista, esteve diretamente envolvida no resgate de pelo menos mil pessoas que estavam a tentar entrar em Itália pelo mar. A capitã esteve a cargo do navio Sea Watch III, a embarcação que auxiliou migrantes que foram acolhidos por Portugal em março, e do navio Iuventa.

Essa última embarcação acabaria por ser apreendida em 2017, altura em que a ativista passou a estar na mira das autoridades italianas por ajudar quem seguia em barcos inseguros de África rumo à Europa.

Pia Klemp pertence à Sea Watch, uma organização não governamental. É bióloga e trabalhou muito tempo como instrutora de mergulho antes de se juntar a outra organização do género, a Sea Shepherd, que usa “táticas de ação direta” para combater atividades ilegais no alto mar.

Em tempos, garantiu numa entrevista à Sea Watch que aprendeu a comandar embarcações porque o seu “dever enquanto capitã” é salvar pessoas de se afogarem. “Apenas seguimos o direito internacional, especialmente a lei do mar, onde a principal prioridade é salvar pessoas”, referiu noutra entrevista.

Para além do envolvimento com a Sea Watch e a Sea Shepherd, Pia Klemp é, ainda, diretora executiva da Aquascope, uma organização que combate a pesca ilegal.

Pia Klemp já declarou que, se for condenada, irá lutar até ao fim, recorrendo ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos para garantir a sua liberdade. No entretanto, uma petição a exigir a sua libertação, sob o mote #FreePia, já conta com mais de 94 mil assinaturas.

Missões de resgate marítimo foram criminalizadas

Em Bonn, sua cidade-natal, Pia Klemp confessou-se preocupada com o processo contra si, mas disse que “o pior já aconteceu”. “As missões de resgate foram criminalizadas. Nós estamos paralisados e as pessoas estão a morrer no Mediterrâneo”, lamentou.

Apesar disso, não acredita numa condenação efetiva, admitindo que a acusação que recai sobre a tripulação dos barcos da Sea Watch pode ser apenas “um processo de fachada”, incentivado pelo governo italiano e pelo líder do partido de extrema-direita Liga e vice-primeiro-ministro, Matteo Salvini. Este fez aprovar, no final de 2018, um decreto-lei para abolir as autorizações de residência atribuídas por razões humanitárias.

“Recuso-me a acreditar que vivemos numa Europa onde uma pessoa pode ir parar à cadeia por salvar vidas”, rematou a capitã alemã.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Soleimani foi assassinado de forma "ilegal e arbitrária", considera perita da ONU

A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, considera que os Estados Unidos não apresentaram provas suficientes para justificar o ataque. Uma especialista da ONU concluiu que o general iraniano Qasem Soleimani, morto num raide norte-americano …

Bolsonaro infetado com covid-19

A imprensa brasileira confirmou, esta terça-feira, que o Presidente Jair Bolsonaro está infetado com covid-19. O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, testou positivo à covid-19. De acordo com a Globo, a informação foi avançada pelo próprio, …

Costa avisa que vem aí a "fase mais crítica" dos incêndios e pede prevenção

O primeiro-ministro participou numa reunião de acompanhamento e monitorização sobre prevenção e combate a fogos florestais e advertiu, esta terça-feira, que Portugal entra agora na fase mais crítica. Esta terça-feira, o primeiro-ministro advertiu que Portugal entra …

"Fracasso" no combate à covid-19. Diretora de Saúde de Israel demite-se

Siegal Sadetzki, diretora dos serviços públicos do Ministério da Saúde de Israel, denunciou o "fracasso" das autoridades em retardar a propagação da covid-19 no país, apresentando a sua demissão. Uma responsável do Ministério da Saúde de …

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação, no âmbito do concurso externo imposto ao Estado pela União Europeia. Mais de 800 professores passaram a integrar os quadros do Ministério da Educação através …

Após saída do primeiro-ministro, Macron faz remodelação governamental e muda ministros-chave

O Presidente francês Emmanuel Macron aproveitou a mudança de primeiro-ministro para levar a cabo uma profunda remodelação do seu Governo. Anunciada na segunda-feira, a grande mudança é o novo ministro do Interior, Gérald Darmanin, até …

Marcelo promete ir todas as semanas ao Algarve para "puxar pelo turismo"

O Presidente da República disse esta segunda-feira, no Algarve, que é necessário “olhar para a frente e lutar” para o turismo na região superar as perdas causadas pela exclusão de Portugal do corredor aéreo com …

Portugal sabe a 27 de julho se entra nos corredores aéreos do Reino Unido

A reavaliação da lista de países isentos de quarentena nas chegadas ao Reino Unido, da qual Portugal foi excluído devido aos surtos de covid-19, vai ser feita a 27 de julho, revelou esta segunda-feira o …

Efacec. Estado não vai assumir a dívida de Isabel dos Santos aos bancos

O Conselho de Ministros português aprovou, na quinta-feira, a nacionalização de 71,73% do capital social da Efacec, pertencentes à empresária angolana Isabel dos Santos. Pedro Siza Vieira, ministro da Economia, defendeu esta terça-feira que o Estado …

China confirma caso de peste negra e anuncia mais um suspeito. É uma jovem de 15 anos

O caso suspeito de peste bubónica na região autónoma da Mongólia Interior já foi confirmado pela China, avança esta terça-feira a emissora britânica BBC, que dá ainda conta de um novo caso em análise. O …