Candidatos a guardas espancados por instrutores. GNR e MAI estão a investigar

Narizes partidos, lesões oculares e desmaios. Assim, ficaram dez candidatos a agentes da GNR que terão sido espancados por instrutores durante o curso de formação em Portalegre. A GNR e a Inspecção Geral da Administração Interna estão a investigar.

O caso começou por ser divulgado pelo Jornal de Notícias (JN) que salienta que dez candidatos a guardas da GNR ficaram com mazelas como “fracturas, perda de sentidos e até lesões oculares” depois de terem sido, alegadamente, agredidos por instrutores, durante o curso de formação em Portalegre.

Estes candidatos terão necessitado de receber tratamento hospitalar e alguns terão sido mesmo sujeitos a intervenções cirúrgicas.

A GNR não confirma os detalhes, mas reconhece a “ocorrência” e revela que “foi determinado um processo de averiguações, que não está concluído”, como afirmou à agência Lusa o porta-voz do Comando Nacional da GNR, Hélder Barros.

O Ministério da Administração Interna (MAI) ordenou também à Inspecção Geral da Administração Interna a abertura de um inquérito sobre o alegado espancamento, para “apuramento dos factos e determinação de responsabilidade“.

Em comunicado, o MAI refere que o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, “pediu esclarecimentos ao Comando Geral da GNR sobre os factos”, salientando que a confirmarem-se, “não são toleráveis numa força de segurança num Estado de Direito democrático”.

Em declarações ao Público, o porta-voz da GNR frisa que o processo de averiguações foi aberto a 13 de Novembro, e que os formandos envolvidos já regressaram ao curso.

O JN avançou que os recrutas “têm medo de fazer queixa-crime contra” os alegados “instrutores agressores”, por temerem sofrer represálias, nomeadamente em termos da carreira profissional.

“Agressões deliberadas e constantes”

O presidente da Associação dos Profissionais da Guarda (APG), César Nogueira, relata ao Público que “os relatos” que chegaram à entidade “apontam para entre oito e dez instruendos assistidos no hospital, um deles sujeito a uma pequena intervenção cirúrgica na vista”, e “retratam casos de agressões deliberadas e constantes“.

“Mesmo depois de os instruendos estarem no chão continuaram a ser agredidos”, frisa César Nogueira, notando que “enquanto as agressões decorriam, os formadores ainda se riam do que estava a acontecer”.

Tudo terá acontecido durante o módulo de formação no uso do bastão extensível, e os formandos “terão sido agredidos com pontapés na face e socos no nariz”, como relata o JN.

Em vídeos divulgados na Internet, é possível ver que neste tipo de treino da GNR, os formandos utilizam apenas um bastão, que será composto por PVC revestido a esponja ou borracha, enquanto o instrutor aparece equipado com um fato de protecção.

O presidente da APG lamenta também no Público que os instruendos, que terão “vinte e poucos anos”, não terão a “experiência” necessária para um treino que é reconhecidamente duro.

“Estes formadores são alferes saídos da Academia Militar, que nunca tinham dado aquela formação antes e garantidamente nunca utilizaram o bastão numa situação operacional”, destaca César Nogueira.

O dirigente da APG também frisa que os formandos estão numa situação de “especial vulnerabilidade” porque “se fizerem queixa de um oficial que está a avaliar podem estar a comprometer a sua entrada na GNR“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. O que vi na televisão não me chocou…
    O que me choca é termos, por vezes guardas, que não aguentam o muro ou pior uma bofetada…
    Os guardas que andam no terreno ter que ter uma aptidão física adequada à função. De que serve termos guardas no terreno se depois não conseguem imobilizar alguém que mostra resistência…

    O que para mim deveras é importante é garantir a proteção da classe quando algo acontece. Não se pode disparar um tiro de proteção e depois ser-se preso por se cumprir com a função.
    Importante é garantir que os guardas tem um salário condigno com a função. Salários mínimos só potenciam a corrupção.
    Importante é não ter que pagar a farda de trabalho. A lei é clara e diz que tem que ser a entidade patronal a fornecer a mesma.
    Deixem-se de “flores” e façam algo pela policia e pela população. Deixem os criminosos na prisão a aguardar julgamentos e sentenças em vez de os deixarem “soltos” continuando a sua atividade criminosa…

    • Ó Armindo…
      Então que história é essa de guardas que não aguentam o muro?! Mas eles estavam em Berlim a segurar o muro?
      E que história é essa de os guardas que andam no terreno ter que ter?! Que é essa merda, do ter que ter? É como o deve e o haver mas com o mesmo verbo e sempre a somar, estilo 44?
      E o que para si deveras é importante ou é deveras importante? Em que ficamos? Haveria muito mais… Mas agora… mais a sério, estou totalmente de acordo com as suas ideias. Que raio de país é este onde os guardas vão presos por tentar impor a ordem; onde têm de pagar a farda? Carrega neles Armindo que isto precisa de ordem!

    • Quem és tu Armindo? Onde vives? De onde vens e para onde vais? Não dizes nada de jeito e fazes afirmações dignas de alguém que foi estrupado e sodomizado em criança. Marca com urgência uma consulta de psiquiatria, pois isso tende a abraçar-te com o passar do tempo.

  2. Mais um berbicacho para o Ministro da Defesa.
    Sempre que uma entidade ou organismo funciona com uma cúpula poderosa e sem prestar contas a ninguém, e uma massa de gente subordinada, desprotegida e com dificuldade em apresentar queixa, estes casos vão continuar a acontecer.
    Centros de Acolhimento, Creches, Casas Pias, Lares de idosos, Seminários, Comandos, GNR, Pupilos…
    Nestes casos as fiscalizações deveriam ser obrigatórias, frequentes e de surpresa.
    Dizia um responsável há dias na TV, que era bom investigar rápido este caso na GNR, antes que comecem a aparecer que nem cogumelos, muitas dezenas de casos abafados ou “esquecidos”.

  3. Realmente se fosse só para passar multas não era necessário estes treinos drásticos. mas como é para proteger o Cidadão indefeso, isto ainda é básico, no meu tempo de militar, isto não passava de uma brincadeira.

  4. Claro que os guardas têm de saber estar no chão a levar pontapés na cara sem possibilidade de sacar da arma, que noutro país já estaria sacada antes de irem ao chão. Sugiro uma prova de tiro em que o guarda têm de dar 2 voltas ao campo depois de alvejado na perna ou então a roleta russa para triagem dos mais corajosos.

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …