Candidatos a guardas espancados por instrutores. GNR e MAI estão a investigar

Narizes partidos, lesões oculares e desmaios. Assim, ficaram dez candidatos a agentes da GNR que terão sido espancados por instrutores durante o curso de formação em Portalegre. A GNR e a Inspecção Geral da Administração Interna estão a investigar.

O caso começou por ser divulgado pelo Jornal de Notícias (JN) que salienta que dez candidatos a guardas da GNR ficaram com mazelas como “fracturas, perda de sentidos e até lesões oculares” depois de terem sido, alegadamente, agredidos por instrutores, durante o curso de formação em Portalegre.

Estes candidatos terão necessitado de receber tratamento hospitalar e alguns terão sido mesmo sujeitos a intervenções cirúrgicas.

A GNR não confirma os detalhes, mas reconhece a “ocorrência” e revela que “foi determinado um processo de averiguações, que não está concluído”, como afirmou à agência Lusa o porta-voz do Comando Nacional da GNR, Hélder Barros.

O Ministério da Administração Interna (MAI) ordenou também à Inspecção Geral da Administração Interna a abertura de um inquérito sobre o alegado espancamento, para “apuramento dos factos e determinação de responsabilidade“.

Em comunicado, o MAI refere que o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, “pediu esclarecimentos ao Comando Geral da GNR sobre os factos”, salientando que a confirmarem-se, “não são toleráveis numa força de segurança num Estado de Direito democrático”.

Em declarações ao Público, o porta-voz da GNR frisa que o processo de averiguações foi aberto a 13 de Novembro, e que os formandos envolvidos já regressaram ao curso.

O JN avançou que os recrutas “têm medo de fazer queixa-crime contra” os alegados “instrutores agressores”, por temerem sofrer represálias, nomeadamente em termos da carreira profissional.

“Agressões deliberadas e constantes”

O presidente da Associação dos Profissionais da Guarda (APG), César Nogueira, relata ao Público que “os relatos” que chegaram à entidade “apontam para entre oito e dez instruendos assistidos no hospital, um deles sujeito a uma pequena intervenção cirúrgica na vista”, e “retratam casos de agressões deliberadas e constantes“.

“Mesmo depois de os instruendos estarem no chão continuaram a ser agredidos”, frisa César Nogueira, notando que “enquanto as agressões decorriam, os formadores ainda se riam do que estava a acontecer”.

Tudo terá acontecido durante o módulo de formação no uso do bastão extensível, e os formandos “terão sido agredidos com pontapés na face e socos no nariz”, como relata o JN.

Em vídeos divulgados na Internet, é possível ver que neste tipo de treino da GNR, os formandos utilizam apenas um bastão, que será composto por PVC revestido a esponja ou borracha, enquanto o instrutor aparece equipado com um fato de protecção.

O presidente da APG lamenta também no Público que os instruendos, que terão “vinte e poucos anos”, não terão a “experiência” necessária para um treino que é reconhecidamente duro.

“Estes formadores são alferes saídos da Academia Militar, que nunca tinham dado aquela formação antes e garantidamente nunca utilizaram o bastão numa situação operacional”, destaca César Nogueira.

O dirigente da APG também frisa que os formandos estão numa situação de “especial vulnerabilidade” porque “se fizerem queixa de um oficial que está a avaliar podem estar a comprometer a sua entrada na GNR“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. O que vi na televisão não me chocou…
    O que me choca é termos, por vezes guardas, que não aguentam o muro ou pior uma bofetada…
    Os guardas que andam no terreno ter que ter uma aptidão física adequada à função. De que serve termos guardas no terreno se depois não conseguem imobilizar alguém que mostra resistência…

    O que para mim deveras é importante é garantir a proteção da classe quando algo acontece. Não se pode disparar um tiro de proteção e depois ser-se preso por se cumprir com a função.
    Importante é garantir que os guardas tem um salário condigno com a função. Salários mínimos só potenciam a corrupção.
    Importante é não ter que pagar a farda de trabalho. A lei é clara e diz que tem que ser a entidade patronal a fornecer a mesma.
    Deixem-se de “flores” e façam algo pela policia e pela população. Deixem os criminosos na prisão a aguardar julgamentos e sentenças em vez de os deixarem “soltos” continuando a sua atividade criminosa…

    • Ó Armindo…
      Então que história é essa de guardas que não aguentam o muro?! Mas eles estavam em Berlim a segurar o muro?
      E que história é essa de os guardas que andam no terreno ter que ter?! Que é essa merda, do ter que ter? É como o deve e o haver mas com o mesmo verbo e sempre a somar, estilo 44?
      E o que para si deveras é importante ou é deveras importante? Em que ficamos? Haveria muito mais… Mas agora… mais a sério, estou totalmente de acordo com as suas ideias. Que raio de país é este onde os guardas vão presos por tentar impor a ordem; onde têm de pagar a farda? Carrega neles Armindo que isto precisa de ordem!

    • Quem és tu Armindo? Onde vives? De onde vens e para onde vais? Não dizes nada de jeito e fazes afirmações dignas de alguém que foi estrupado e sodomizado em criança. Marca com urgência uma consulta de psiquiatria, pois isso tende a abraçar-te com o passar do tempo.

  2. Mais um berbicacho para o Ministro da Defesa.
    Sempre que uma entidade ou organismo funciona com uma cúpula poderosa e sem prestar contas a ninguém, e uma massa de gente subordinada, desprotegida e com dificuldade em apresentar queixa, estes casos vão continuar a acontecer.
    Centros de Acolhimento, Creches, Casas Pias, Lares de idosos, Seminários, Comandos, GNR, Pupilos…
    Nestes casos as fiscalizações deveriam ser obrigatórias, frequentes e de surpresa.
    Dizia um responsável há dias na TV, que era bom investigar rápido este caso na GNR, antes que comecem a aparecer que nem cogumelos, muitas dezenas de casos abafados ou “esquecidos”.

  3. Realmente se fosse só para passar multas não era necessário estes treinos drásticos. mas como é para proteger o Cidadão indefeso, isto ainda é básico, no meu tempo de militar, isto não passava de uma brincadeira.

  4. Claro que os guardas têm de saber estar no chão a levar pontapés na cara sem possibilidade de sacar da arma, que noutro país já estaria sacada antes de irem ao chão. Sugiro uma prova de tiro em que o guarda têm de dar 2 voltas ao campo depois de alvejado na perna ou então a roleta russa para triagem dos mais corajosos.

Dono do carro onde seguia Angélico condenado a dois anos de pena suspensa

O dono de um stand da Póvoa de Varzim e a sua ex-mulher foram, esta sexta-feira, condenados a dois anos de prisão, com pena suspensa. Em causa está a falsificação do contrato de compra e venda …

Mais de 500 mulheres assassinadas em Portugal nos últimos 15 anos

Mais de 500 mulheres foram assassinadas nos últimos 15 anos em contexto de relações de intimidade em Portugal, e só neste ano já morreram 28, algumas baleadas, outras estranguladas ou espancadas, a maioria vítima de …

Paulo Macedo diz que a CGD não vai ser "uma nêspera"

O presidente da CGD considera que há a expectativa de o banco público ficar "sossegado", mas que a sua equipa não é paga para "ficar a ver navios" e quer pagar o capital injetado pelo …

Foo Fighters são a primeira confirmação do Rock in Rio Lisboa

Os norte-americanos Foo Fighters vão atuar, a 21 de junho, no festival Rock in Rio Lisboa, no Parque da Bela Vista. A banda de Dave Grohl é a primeira confirmação do cartaz do Rock in Rio …

PS, Bloco e Livre recusam solidarizar-se com Bernardo Silva

PS, Bloco e Livre votaram, esta sexta-feira, contra a solidariedade do Parlamento para com o internacional português, condenado recentemente por um ato considerado racista pela Federação Inglesa de Futebol (FA). Socialistas, bloquistas e a deputada única …

Descoberta nova lesão pulmonar que poderá estar ligada a cigarros eletrónicos com líquido

Um grupo de investigadores do Canadá anunciou esta quinta-feira a descoberta do que considera ser um novo tipo de lesão pulmonar causado pela vaporização com cigarros eletrónicos com líquido e que é semelhante à bronquiolite …

Professor acusado de agredir aluno surdo em Penafiel

Um estudante surdo foi agredido, na terça-feira, por um professor dentro de uma das salas de aula da escola secundária Joaquim de Araújo, em Penafiel. Um estudante de 16 anos, da escola secundária Joaquim de Araújo, …

Presidente da Colômbia disse que o Governo ouviu protestos em massa

O Presidente da Colômbia, Iván Duque, garantiu que ouviu as exigências dos manifestantes que saíram há rua na quinta-feira para um protesto maciço contra a política económica e social do atual governo. "Hoje [quinta-feira], os colombianos …

Detido mais um suspeito do caso do camião do Reino Unido

Foi detida mais uma pessoa por suspeitas de ligação ao caso do camião encontrado em Essex, Inglaterra, com 39 cadáveres no seu interior. A polícia britânica prendeu, hoje de manhã, um homem de 23 anos, …

Antigo primeiro-ministro da Escócia enfrenta 14 acusações de abuso sexual

Alex Salmond, o antigo primeiro-ministro da Escócia que desencadeou uma tentativa de independência do Reino Unido, compareceu em tribunal para enfrentar 14 crimes de abuso sexual alegadamente cometidos enquanto liderava o país. Entre os crimes está …