O campo magnético da Terra está a enfraquecer misteriosamente

NASA Goddard / Flickr

Conceito de artista do Campo Magnético da Terra

Novos dados de satélite da Agência Espacial Europeia (ESA) mostram que o campo magnético da Terra está a enfraquecer entre África e a América do Sul.

O enfraquecimento do campo magnético da Terra está relacionado com a Anomalia do Atlântico Sul, uma área que tem crescido consideravelmente nos últimos anos, não se conhecendo ainda ao certo causa deste crescimento.

A Anomalia do Atlântico Sul, precisa o portal Science Alert, é uma vasta extensão de intensidade magnética reduzida no campo magnético do nosso planeta, que se estende desde a América do Sul ao sudoeste de África.

De acordo a ESA, a área da anomalia caiu em força mais de 8% entre 1970 e 2020.

“O novo mínimo oriental da Anomalia do Atlântico Sul apareceu na última década e, nos últimos anos, tem-se desenvolvido vigorosamente“, disse Jürgen Matzka, do Centro de Investigação em Geociências da Alemanha, citado pelo diário The Independent.

“Temos muita sorte em ter os satélites do Swarm em órbita para investigar o desenvolvimento da Anomalia do Atlântico Sul (…) O desafio agora passa por entender os processos do núcleo da Terra que estão a impulsionar estas mudanças”, continuou.

https://twitter.com/ESA_EO/status/1263718776966647808?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1263718776966647808&ref_url=https%3A%2F%2Fbr.sputniknews.com%2Fciencia_tecnologia%2F2020052215611250-campo-magnetico-da-terra-esta-perdendo-forca-sobre-america-do-sul%2F

Um campo magnético enfraquecido pode significar, segundo os especialistas da ESA, que o campo magnético da Terra está prestes a reverter, situação em que o Pólo Norte e o Pólo Sul trocam de posição. A última “inversão geo-magnética” ocorreu há 780.000 mil anos, havendo alguns cientistas que defendem que a próxima está atrasada.

Por norma, este fenómeno ocorre a cada 250.000 anos.

Para já, sublinha a ESA, não há motivos para alarme. Segundo a agência espacial europeia, os efeitos mais significativos desde enfraquecimento vão fazer-se sentir em satélites ou naves espaciais, que podem registar falhas técnicas devido a uma maior quantidade de partículas carregadas na órbita baixa da Terra.

Os cientistas vão continuar atentos a eventuais mudanças no campo magnético da Terra, uma vez que é este “escudo” que protege o nosso planeta do fluxo de partículas eletricamente carregadas oriundas do Espaço.

Sem o campo magnético, a vida na Terra seria aniquilada por causa da radiação.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. A muito que se sabe que isso vai acontecer visto que o polo magnético da terra tem se vindo a direccionar cada vez mais rápido para o Sul. Mas acho um erro enorme dizer que não tem motivo de alarme… O nosso planeta está cada vez mais dependente de tecnologias eléctricas e se realmente por um momento o nosso campo magnético desaparece vai haver cidades que vão ficar as escuras. Muitos aparelhos e transformadores que existem no mundo não vão aguentar uma força magnética assim. Precisariamos de 10 anos para reparar os estragos maiores.. Seria muito difícil nos reerguer.. Que a Mão de Deus esteja connosco.

RESPONDER

No Reino Unido, só 22% das pessoas que testaram positivo relataram ter sintomas

Um novo estudo acaba de revelar que, no Reino Unido, apenas 22% dos casos positivos tinha sintomas da covid-19 no dia em que fizeram o teste. Um estudo do Office for National Statistics (ONS) britânico, divulgado …

Administração Trump notifica formalmente o Congresso sobre saída da OMS

O Governo norte-americano informou esta terça-feira o Congresso sobre a sua saída forma da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Administração Trump já notificou formalmente o Congresso norte-americano de que os Estados Unidos vão sair da …

“Não vou ser infetado e propagar a covid-19”. Burundi anuncia triagem maciça da população

O Governo do Burundi começou esta segunda-feira uma campanha de triagem maciça da covid-19, decisão que demonstra uma alteração das políticas implementadas pelo novo Presidente do país no sentido de combater mais assertivamente a propagação …

Despedida de Centeno e estreia de Leão. Eurogrupo elege presidente na quinta-feira

A eleição para a presidência do Eurogrupo, na quinta-feira, será a última reunião presidida por Mário Centeno e a estreia europeia de João Leão como ministro das Finanças. A eleição para a presidência do Eurogrupo é …

Governo está a preparar um programa específico de apoio ao Algarve

O Algarve terá um programa específico de apoio, que já está a ser preparado pelo Governo, avançou o ministro da Economia esta terça-feira. O ministro da Economia disse, esta terça-feira, que o Governo está a preparar …

OMS admite transmissão pelo ar e pede que se evitem espaços fechados

Depois do alerta de 239 especialistas, a Organização Mundial de Saúde diz que há novas provas de que o novo coronavírus se transmite pelo ar. A Organização Mundial de Saúde (OMS) admitiu, esta terça-feira, haver novas …

Lufthansa vai cortar mil empregos administrativos (e reduzir novas aeronaves a metade)

Esta terça-feira, a Lufthansa anunciou novas medidas do seu plano de reestruturação que incluem uma redução de mil postos de trabalho nos serviços administrativos. A companhia aérea alemã Lufthansa anunciou, esta terça-feira, que irá reduzir o …

Bloco deixa recado ao PS: voto do Suplementar não estará garantido para o OE2021

Depois de o PCP ter rompido o espírito de acordos à esquerda, foi a vez de o Bloco de Esquerda deixar avisos para 2021. Em entrevista ao portal esquerda.net, divulgada esta terça-feira, Mariana Mortágua deixa claro …

Ferrari vai enfrentar problemas no Mundial de F1 "sem chorar"

O diretor-geral da Ferrari elogiu o talento de Leclerc e mostrou-se preocupado com os problemas que afetaram Sebastian Vettel. O diretor-geral da Ferrari, Louis Camilleri, reiterou esta terça-feira a confiança na equipa e assegurou que a …

Governo russo exige 1,8 mil milhões de euros a empresa mineira por poluição no Ártico

A agência russa de defesa do ambiente exigiu uma indemnização de 147,8 mil milhões de rublos (1,8 mil milhões de euros) ao conglomerado mineiro Norilsk Nickel, pela grave poluição do Ártico com hidrocarbonetos. Em comunicado, a …