Campanha de Passos de 2015 investigada por suspeitas de suborno da Odebrecht

Fernando Veludo / Lusa

O financiamento à campanha PSD/CDS de Pedro Passos Coelho, de 2015, está a ser investigada pelo Ministério Público. Em causa estão suspeitas de associação a um alegado suborno da Odebrecht ao publicitário da campanha, André Gustavo.

Os pagamentos feitos estavam a ser investigados desde 2017 no âmbito da operação Lava Jato, mas a partir desta semana começaram a ser investigados no processo EDP. O Observador avança que a Odebrecht terá alegadamente subornado André Gustavo, num pagamento de 880 mil euros, semelhante ao valor pago pelo PSD à empresa do publicitário brasileiro em 2015.

O valor pago à empresa de André Gustavo, a Arcos Propaganda, foi precisamente 868.943,24 euros. Este é um valor muito semelhante aos 880 mil euros relativos ao alegado suborno da Odebrecht ao publicitário.

As acusações são negadas por fonte próxima ao antigo primeiro-ministro. A campanha da coligação entre PSD e CDS, Portugal à Frente, culminaria com a vitória de  Pedro Passos Coelho nas eleições.

A coincidência de datas e valores levou à suspeita de que este valor se possa “referir ao financiamento da campanha eleitoral do PSD para a eleição do cargo de primeiro-ministro, disputada em 2015 por Passos Coelho”, escreveu o Ministério Público brasileiro num despacho ao qual o Observador teve acesso.

As contas apresentadas ao Tribunal Constitucional parecem desfazer as suspeitas. As contas do orçamento de campanha eleitoral de 2015 foram divididas pelo PSD e pelo CDS, não havendo qualquer registo de um donativo.

No caso dos sociais-democratas, 89.872 euros são relativos à subvenção estatal, enquanto 102.129,88 euros saíram do bolso do próprio partido. Estes donativos do partido são também valores distribuídos via Assembleia da República. Assim sendo, o montante gasto com André Gustavo é dinheiro dos contribuintes.

O Observador noticia ainda que na carta rogatória do Brasil que levou à abertura da investigação em Portugal, foi encontrada uma folha de Excel nos escritórios da Odebrecht que indica pagamentos feitos a alguém com a alcunha de “Príncipe”. Os pagamentos foram feitos a pedido do “diretor-superintendente da Odebrecht em Portugal”.

Os investigadores do Ministério Público brasileiro constataram que “há um comentário feito por Ângela Palmeira que vincula essa programação à obra de Baixo-Sabor”, a barragem em Trás-os-Montes.

“Deste modo, é possível que os pagamentos descritos na planilha ‘Paulistinha’ com referência à obra da barragem Baixo-Sabor, em Portugal, possam-se referir ao financiamento da campanha eleitoral do PSD para eleição do cargo de primeiro-ministro, disputada em 2015 pelo ex-primeiro-ministro de Portugal Pedro Passos Coelho. Essa afirmação, porém, baseia-se apenas nas informações acima relatadas, de modo que são apenas indiciárias”, escrevem os investigadores brasileiros.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Estes timings são realmente estranhos. Será que estão com medo que o homem se candidate a PR?

    Se ele se candidatar tem o meu voto garantido!

  2. Noticia da treta, já todos sabemos que há uma casta que as investigações quando não desaparecem ou são roubadas, e arquivadas, se a justiça fosse isenta as cadeias estavam cheias de Sócrates de várias cores.

RESPONDER

PRR. Governo admite pedir mais 2,3 mil milhões de euros para capitalizar empresas

Capitalização e inovação das empresas, e a possibilidade de pedir mais 2,3 mil milhões de euros (para um total de cinco mil milhões) na componente de empréstimos. António Costa fez, durante a tarde desta sexta-feira, …

OMS alerta para crescimento "preocupante" de casos no mundo

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta sexta-feira para o continuo crescimento de casos de covid-19 no mundo, referindo que o número de novos casos confirmados por semana quase duplicou nos últimos …

Há falta de sedativos em hospitais brasileiros. Médicos intubam doentes "conscientes"

Estão a surgir vários relatos de profissionais de saúde brasileiros forçados a intubar pacientes sem o auxílio de sedativos. No Brasil, de acordo com a Associated Press, há profissionais de saúde a intubar pacientes sem recurso …

Governo acusado de financiar queima de resíduos recicláveis com 50 milhões de euros

A associação ambientalista Zero acusa o Ministério do Ambiente de utilizar 50 milhões de euros do Fundo Ambiental para financiar a queima de resíduos recicláveis em Lisboa e Porto, indo contra a nova legislação sobre …

Zimbabué. Sem nacionalidade reconhecida, milhares de pessoas lutam de forma desigual por educação e saúde

Centenas de milhares de pessoas no Zimbabué foram marginalizadas e forçadas a lutar de forma desigual pelo acesso à educação, saúde e habitação, porque não têm nacionalidade reconhecida pelo país, acusou um relatório da Amnistia …

Nova Entidade para a Transparência volta a derrapar. Só arranca em 2023

A nova Entidade para a Transparência, o organismo para fiscalizar políticos e altos cargos públicos aprovado em 2019, só deverá arrancar em 2023. A previsão foi avançada por João Caupers, presidente do Tribunal Constitucional (TC), numa …

Bicicleta de Taremi vence prémio de Golo da Semana da Champions

O golo do avançado iraniano, marcado nos instantes finais do jogo contra o Chelsea, que ditou a eliminação do FC Porto da Liga dos Campeões, foi eleito o "Golo da Semana" na prova. "Este chuto espetacular …

Governo levanta suspensão de voos essenciais de e para Brasil e Reino Unido

O Governo levantou, esta sexta-feira, a suspensão de voos com origem ou destino no Brasil e Reino Unido, mas apenas para viagens essenciais.  Os voos com origem ou destino no Brasil e Reino Unido vão …

A Liga dos Campeões vai mudar: mais equipas e um formato inédito

O comité de competições da UEFA reuniu-se esta sexta-feira para aprovar o novo modelo da Liga dos Campeões. O novo formato vai vigorar entre 2024 e 2027. Embora ainda não tenham sido avançadas informações oficiais, o …

Depois do Sofagate, agora é von der Leyen quem está a ser acusada de quebrar o protocolo

Diplomatas da União Europeia dizem que a presidente da Comissão Europeia quebrou o protocolo, uma vez que foi o seu chefe de gabinete que respondeu ao convite da Ucrânia para que marcasse presença na cerimónia …