Cameron demite-se quarta-feira. Theresa May será a nova primeira-ministra

UK Home Office / Flickr

Theresa May, ministra do Interior britânica

O primeiro-ministro britânico David Cameron anunciou esta segunda-feira que se demite já na quarta-feira. Theresa May torna-se oficialmente a próxima primeira-ministra britânica.

O primeiro-ministro indicou que vai presidir ao seu último conselho de ministros amanhã e, na quarta-feira, participa numa última sessão de perguntas no Parlamento antes de ir até ao Palácio de Buckingham entregar a demissão à rainha Isabel II.

“Ela é forte, é competente, é mais do que capaz de garantir a liderança que o país vai precisar nos próximos anos”, assegurou Cameron.

Theresa May, atual ministra do Interior, tornou-se a única candidata ao cargo de primeira-ministra depois de a ministra da Energia do Reino Unido, Andrea Leadsom, ter anunciado que deixará a corrida pela liderança do Partido Conservador.

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira, Leadsom disse que apoiará a ministra do Interior, Theresa May, que lidera as pesquisas para substituir David Cameron.

Resta à direção do partido decidir, nos próximos dias, se Theresa May será automaticamente escolhida como nova líder ou se serão convocadas novas eleições.

Andrea Leadsom afirma ter concluído que não tem “apoio suficiente” dentro do partido para vencer a rival e que uma longa campanha eleitoral, paralela ao processo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE) votado recentemente no referendo do Brexit, iria afetar a população.

A ministra da Energia tinha menos apoio do que Theresa May entre os parlamentares, mas tinha um grande nome a seu favor: o do polémico ex-mayor de Londres Boris Johnson, que surpreendeu ao dizer de que não concorreria ao cargo após ser um dos líderes da campanha vitoriosa do Brexit.

Theresa May compromete-se com saída de Reino Unido da UE

Antes de conhecido o afastamento da concorrente, a candidata favorita para substituir David Cameron como líder do Governo britânico prometeu liderar o processo de saída do Reino Unido da União Europeia, rejeitando ignorar os resultados do referendo.

Brexit quer dizer Brexit e vamos fazer com que seja um sucesso“, disse a ministra do Interior, Theresa May, em comentários transmitidos pela televisão, ao lançar a sua campanha em Birmingham, no centro de Inglaterra.

“Não haverá tentativas de permanecer na União Europeia, não haverá tentativas de regressar pela porta dos fundos, nem um segundo referendo”, garantiu.

“Vou assegurar-me de que saímos da União Europeia”, afirmou Theresa May, que apoiou a campanha pela permanência do Reino Unido no bloco europeu antes do referendo de 23 de junho, em que 52% dos eleitores escolheram sair.

“Os britânicos tiveram a oportunidade de votar sobre este assunto. Enviaram uma mensagem muito clara e acho que temos de responder a essa mensagem e fazer o que os britânicos nos pediram para fazer”, disse.

Questionada sobre como iria negociar o acesso do país ao mercado único da União Europeia, May disse ser necessário garantir que se alcança “o melhor acordo em termos de comércio, bens e serviços”.

“É muito claro que o voto no Brexit é também uma mensagem de que temos de controlar a livre circulação. A circulação livre não pode continuar da forma como tem funcionado até agora”, sublinhou.

ABr

PARTILHAR

RESPONDER

Governo manda preparar aulas à distância. Há 700 escolas para filhos de trabalhadores de serviços essenciais

O Ministério da Educação já deu instruções aos estabelecimentos de ensino para começarem a preparar as aulas à distância. Enquanto isso, há cerca de 700 escolas de acolhimento disponíveis para receber os filhos de trabalhadores …

Cientistas perceberam finalmente como é que as borboletas voam

Há muito tempo que os cientistas se questionam como é que as borboletas voam. Isto porque, em comparação com outros animais, têm asas invulgarmente curtas, largas e grandes em relação ao tamanho do seu corpo. Mas …

Se as Legislativas fossem agora, PS ganhava com 35%. Chega em terceiro

Uma sondagem da Universidade Católica para a RTP, no dia das eleições Presidenciais, mostra que, se as Legislativas fossem agora, o PS ganharia com 35% das intenções de voto. Se as eleições Legislativas tivessem sido este domingo, …

Santana Lopes deixa Aliança, partido que fundou em 2018

O fundador e ex-presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, desfiliou-se do partido que fundou em 2018, justificando que “chegou o momento” de sair, anunciou aquela força política. “A Comissão Executiva do Aliança tomou conhecimento no domingo …

Ministro da Defesa infetado. Tem sintomas ligeiros

O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, "testou positivo à covid-19", informou este domingo o Ministério da Defesa Nacional. É o oitavo membro do Governo a ficar infetado. João Gomes Cravinho está infetado com covid-19. …

Relógios inteligentes podem detetar indícios de covid-19 (antes de haver qualquer sintoma)

Os smartwatches, ou relógios inteligentes, e as pulseiras de fitness podem ser capazes de detetar uma infeção pelo vírus SARS-COV-2, antes de a doença começar a manifestar-se. Uma equipa de investigadores do Monte Sinai descobriu, recentemente, …

Os misteriosos relâmpagos azuis podem ser mais comuns do que pensávamos

Além de ser um dos fenómenos mais espetaculares, o relâmpago é também um dos mais misteriosos. Apesar de as tempestades não serem assim tão raras, os cientistas ainda não entendem completamente estas descargas elétricas geradas …

Presidenciais. Grandes vencedores e (poucos) derrotados

Num ato eleitoral marcado pela pandemia de covid-19, que chegou a trazer incerteza aos prognósticos precoces que há meses se alinhavavam, Marcelo Rebelo de Sousa, reeleito à primeira volta, é o grande vencedor da noite. …

A inclinação de Saturno é provocada pelas suas luas (e vai aumentar)

Uma equipa de cientistas concluiu que a influência dos satélites de Saturno pode explicar a inclinação do eixo de rotação do planeta. Dois cientistas do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) e da Universidade Sorbonne, …

Marcelo. O que os portugueses querem (e o que não querem)

Num discurso de vitória após as eleições presidenciais deste domingo, Marcelo Rebelo de Sousa assumiu uma postura de estado e começou por recordar as vítimas da pandemia de Covid-19 no seu pior dia de sempre …