Comentários racistas de Trump condenados na Câmara de Representantes

Jim Lo Scalzo / EPA

Alexandria Ocasio-Cortez

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na terça-feira uma moção na qual condena o presidente Donald Trump pelos “comentários racistas” dirigidos a quatro mulheres congressistas, sugerindo-lhes que “regressassem aos seus países de origem”.

A votação saldou-se pelo resultado de 240 votos contra 187 e foi feita depois de Trump e outros dirigentes republicanos de topo terem negado as acusações de racismo.

O presidente já reagiu no Twitter, congratulando-se com o facto de os republicanos terem votado contra a moção. “Tão bom ver como o Partido Republicano unido no voto de hoje sobre os comentários que fiz sobre quatro congressistas democratas. Se querem ver declarações, olhem para as coisas horríveis que elas disseram sobre o nosso país, Israel e muito mais”, escreveu na rede social.

“São agora os membros mais visíveis dos democratas da Câmara, que estão agora comprometidos com essa amargura e ódio. A votação republicana foi 187-4. Uau! Além disso, foi a primeira vez desde 1984 que um líder da Câmara dos Representantes foi considerado foi considerado Fora de Ordem e quebrou as regras da Câmara. Que dia!”

No texto da resolução escreveu-se que a Câmara dos Representantes “condena fortemente” os “comentários racistas [de Trump] que legitimaram e aumentaram os receios e os ódios dirigidos aos novos americanos e às pessoas de cor”.

Os republicanos dizem que os democratas estão a usar a indignação provocada pelas mensagens de Trump na rede social Twitter para marcar pontos políticos. Mas os democratas contra-argumentam que os comentários de Trump são revoltantes e precisam de ser condenados, sobretudo porque foram realizados pelo presidente.

Trump referia-se às quatro democratas recém-eleitas para a Câmara dos Representantes – Alexandria Ocasio-Cortez, eleita pelo estado de Nova Iorque, Ilhan Omar (Minnesota), Ayanna Pressley (Massachusetts) e Rashida Tlaib (Michigan) — que são das suas críticas mais fortes e apoiam a sua destituição.

O presidente norte-americano acusou-as de “espalharem algumas das coisas mais vis, odiosas e repugnantes algumas vez ditas por um político”, para, depois, acrescentar: “Se vocês odeiam o vosso país, ou se não estão cá felizes, podem ir!”, ecoando argumentos usados contra dissidentes políticos mais do que a deputados da oposição.

Durante uma intervenção no debate, a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, afirmou que as mensagens de Trump são “infamantes e repugnantes e os comentários racistas”.

Trump insistiu esta terça-feira que os seus comentários sobre mulheres congressistas a quem disse para voltarem “para a sua terra”, não foram racistas e apelou ao Partido Republicano para se unir à sua volta.

“Esses ‘tweets’ não eram racistas. Não tenho um osso racista no meu corpo!”, escreveu Donald Trump na sua conta pessoal do Twitter. “Os Republicanos não devem mostrar ‘fraqueza’ e cair na armadilha”, explicou Trump, referindo-se ao facto de alguns dirigentes do seu partido estarem a dar razão aos Democratas, nas críticas aos comentários.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Falta uma parte importante que se “perdeu” na tradução que é vão resolvam os problemas lá e depois VOLTEM para nos ajudar. Não sei muito de racismo, mas acho que quando se pede a uma pessoa para voltar é porque não se tem tanto problema com ela. A Squad é dos grupos mais antissemitas e racistas da esquerda radical, mas podem dizer tudo. Ilhan Omar acerca do 11 setembro “Umas pessoas fizeram uma coisa”, Ayana no primeiro dia “vamos impugnar esse FDP”, Rashida com o seu odio contra israel e identificar-se como palestina. A AOC, existe ainda mais por onde escolher que as outras todas juntas…
    Basta só as confrontar que são racistas a Nancy Pelosi que o diga.

    • Tens razão… Racismo é o menor dos defeitos de Trump. Racista até nem tem sido muito além de defender os grupos neo-nazis. Ridículo mesmo é a mensão de “Israel” como forma de namoro ao seu imenso eleitorado evangélico, beato de sacristia. A que propósito é que Israel tem um lugar priveligiado na opinião pública americana, Aliados eles têm muitos mas Israel parce sempre ter um lugar suspeitosamente privilegiado… Interesses manhosos do lobby Sionista.

    • Não há qualquer dúvida que foi um comentário racista. 3 das Representantes são Americanas. Voltar para onde vieram? Vieram dos EUA! Sugerir que elas voltem para onde vieram é sugerir que são menos Americanas. O que está aqui subjacente é o Trump achar que estas Representantes não são verdadeiramente Americanas.

      Várias personalidades (Republicanos e Democratas) são contra o Trump. Nunca o ouvi sugerir ao McCain ou outros “volta para a Irlanda de onde vieste”, ou “volta para a Alemanha”, ou “volta para Itália” só porque os seus antepassados de lá vieram.

  2. Em suma, Republicanos = racistas e vendidos. Democratas = palermitas do tipo “quem diz é quem é lava a boca com chulé”.

RESPONDER

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …

Sporting vai monitorizar tudo o que se diz e escreve sobre jogadores

A empresa Noisefeed tem uma enorme base de dados relativa à atividade nas redes sociais de milhares de jogadores a nível global. Os jogadores de futebol de todo o mundo usam, cada vez mais, as redes …

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …

Oficial: Pardal Henriques candidato a deputado pelo partido de Marinho Pinto

O advogado Pedro Pardal Henriques anunciou esta quarta-feira que aceitou o convite para encabeçar a lista do PDR a Lisboa, deixando de ser porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas para "não misturar …