Câmara de Cascais quer investir seis milhões de euros no forte onde Salazar caiu da cadeira

A autarquia de Cascais apresentou ao Estado um projeto que passa por dar novo uso ao Forte de Santo António da Barra durante 50 anos. Foi lá que Salazar caiu da cadeira, em 1968.

A câmara de Cascais já apresentou um projeto – “há uns meses” – para revitalização do Forte de Santo António da Barra que prevê um investimento público de seis milhões de euros. O forte, situado na freguesia do Estoril, é também conhecido pelo nome “forte de Salazar”, por ter servido de residência de férias ao antigo chefe de Governo do autocrático Estado Novo e por ter sido ali que Salazar caiu da cadeira, a 3 de agosto de 1968, no acidente que viria a precipitar a sua saída do Governo.

O custo do plano para dar novo uso ao Forte de Santo António é avançado pelo presidente da câmara de Cascais, Carlos Carreiras, ao Diário de Notícias. A autarquia já tinha ficado a cargo da primeira fase de recuperação do forte e da sua abertura ao público depois de um protocolo assinado com o Estado em 2018.

O contrato, contudo, estipulava que a câmara apresentasse posteriormente um projeto de reenquadramento do forte para os próximos anos, de modo a que se justificasse a extensão do contrato celebrado, que teve a duração de apenas um ano.

Segundo Carlos Carreiras, a autarquia propôs um projeto de reaproveitamento do forte que passa por orientá-lo para se tornar um espaço dedicado “ao mar e à língua, dois patrimónios desaproveitados”.

As primeiras sugestões da autarquia foram rejeitadas pelo Estado. Uma delas pretendia “cobrir o fosso” circundante ao forte para montar uma “área expositiva” e a outra pretendia fechar o forte ao público e transformá-lo num centro de conferências e congressos, que pudesse receber colóquios e centros de investigação “ligados ao mar”.

A autarquia aguarda agora que o Estado responda se concorda ou não com o projeto camarário para utilização e recuperação do forte. O custo de seis milhões de euros é apresentado como contrapartida pela utilização do espaço por 50 anos. “Aguardamos que nos digam se aceitam ou não, ou se têm alguma sugestão”, apontou ainda o autarca.

O destino dado ao local tem sido alvo de debate nas últimas semanas, depois de o espaço ter sido colocado pelo Ministério da Defesa numa lista de imóveis “a alienar”. No entanto, o Ministério da Defesa garantiu já que se trata meramente de um processo administrativo por o “atual protocolo de cedência” ter “validade anual” e assegurou que o Estado não colocou o forte à venda. A hipótese de arrendamento ou cedência da gestão e uso do espaço será assim uma possibilidade mais forte do que a venda.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Filho de Biden quebra o silêncio. "Sei que não fiz nada errado"

O filho do ex-vice-Presidente norte-americano, que tem estado no centro do inquérito para a destituição de Donald Trump, admitiu que o seu percurso profissional na Ucrânia foi uma má decisão, rejeitando, porém, ter feito algo …

Já se sabe onde se vão sentar os novos partidos no Parlamento

A deputada do Livre vai sentar-se entre PCP e PS, o deputado da Iniciativa Liberal entre PSD e CDS-PP e o deputado do Chega o mais à direita, todos na segunda fila. A conferência de líderes …

Rota do Cabo: Funcionária emitiu 15 mil números de contribuinte fraudulentos em três anos

Funcionários das Finanças, da Segurança Social, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e advogados estão entre os principais suspeitos desta rede criminosa de auxílio à imigração ilegal. A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou, esta terça-feira, uma organização …

"É desonesto eu pagar". Paulo Maló revoltado por causa das dívidas do império que criou

O empresário e médico dentista Paulo Maló, fundador do grupo Malo Clinic, está revoltado com a possibilidade de ter que responder financeiramente no âmbito das dívidas de 70 milhões de euros que a empresa acumulou. O …

Sismo de magnitude 6.7 atinge as Filipinas

Um terramoto de magnitude 6.7 atingiu as Filipinas, a 69 quilómetros da cidade de Davao, avança a agência Reuters. De acordo com o Serviço de Prevenção de Tsunamis do Pacífico, não é esperado um tsunami …

Web Summit: Câmara de Lisboa terá que pagar mais 4,7 milhões de euros para assegurar edição deste ano

A Câmara de Lisboa vai discutir na quinta-feira alterações ao acordo para a realização da Web Summit, entre as quais o pagamento de mais 4,7 milhões de euros e o adiamento da expansão da Feira …

Business Insider: "Lisboa foi feita para o Instagram"

"Lisboa é cool." Hillary Hoffower, jornalista do Business Insider, apaixonou-se e descreveu a capital portuguesa num artigo em que diz entender porque é que Lisboa se tornou no "destino mais popular entre millenials em 2019". Hillary …

Bolsonaro prestes a deixar PSL. Partido da IURD na corrida para o receber

Em rota de colisão com o seu atual partido, o Partido Social Liberal (PSL), o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro equaciona romper e já recebeu cinco convites de partidos de pequeno e médio porte, admitiu a …

Antigo ministro Pedro Mota Soares assume liderança da Apritel

O ex-ministro e ex-deputado do CDS foi o escolhido para liderar a Apritel, a associação que representa as principais operadoras de telecomunicações, como a Meo, a Nos e a Vodafone. O novo secretário-geral da associação …

E depois de Cristas? CDS atira congresso de sucessão para 2020

A direção nacional do partido vai propor que o Congresso, que decidirá a liderança do CDS, seja apenas em janeiro, apesar de Assunção Cristas ter manifestado vontade de que fosse ainda este ano. O CDS-PP reúne …