“Bombista em série” de Austin fez-se explodir

Thao Nguyen / EPA

O presumível responsável das recentes explosões registadas na cidade de Austin, no Texas, morreu na sequência de um confronto com a polícia.

A polícia de Austin confirmou que o suspeito, que estaria por trás da série de explosões registadas na cidade do Texas, suicidou-se ao ativar um artefacto explosivo durante um confronto com os agentes, informa a CNBC.

Segundo a Associated Press, o homem “branco de 24 anos”, que foi identificado pela polícia nas últimas 32 horas, estava num hotel em Round Rock, uma pequena cidade nos subúrbios de Austin.

O chefe da polícia local, Brian Manley, detalhou em conferência de imprensa, que o sujeito detonou uma bomba no seu veículo e que o seu corpo apresentava graves feridas. Inicialmente, os meios locais informaram que o suspeito tinha sido abatido depois de um tiroteio com as forças de segurança, mas esta informação não foi confirmada.

Ao longo deste mês em Austin uma série de pacotes explosivos rebentaram em distintos luares da cidade. No passado dia 2 de março, um pacote-bomba explodiu numa zona de população maioritariamente afro-americano e hispânica, tirando a vida a um homem de 39 anos.

Uma segunda explosão aconteceu a 12 de março e custou a vida a um adolescente de 17 anos, cuja mãe também terá ficado ferida. A terceira deflagração, que aconteceu no mesmo dia, feriu gravemente uma mulher latina de 75 anos.

Este domingo, uma explosão registada na parte sudoeste da mesma cidade texana feriu com gravidade dois jovens, enquanto que outra explosão na terça-feira, neste caso num armazém da empresa de distribuição FedEx, na cidade de Schertz, fez um ferido.

Na terça-feira, a polícia também encontrou um artefacto incendiário numa loja de caridade, em Austin, que foi colocado no interior do depósito das doações. A explosão feriu um empregado, mas as autoridades determinaram que o sucedido não estava relacionado com as anteriores explosões, de acordo com o jornal local The Austin American-Statesman.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Covid-19. Tóquio quer pagar até quatro mil euros a bares que fiquem fechados

As autoridades de Tóquio, no Japão, estão a ponderar pagar um subsídio, que pode chegar aos quatro mil euros, aos bares que se mantenham fechados para conter a propagação da covid-19 na cidade. De acordo com …

Médicos franceses detetaram primeiro caso de bebé infetado no útero

Médicos em França pensam ter identificado aquele que será o primeiro caso confirmado de um bebé infetado com covid-19 no útero materno. De acordo com o site Business Insider, a equipa médica conta que a …

17 anos depois, Estados Unidos voltam a aplicar a pena capital a nível federal

Os Estados Unidos procederam, esta terça-feira, à primeira execução federal de um prisioneiro no "corredor da morte" em 17 anos, através de uma injeção letal. Daniel Lewis Lee, 47 anos, natural de Yukon (Oklahoma), foi executado …

Com o pretexto de paz, "senhor da guerra" vai ganhando poder na República Centro-Africana

O "senhor da guerra" Ali Darassa foi pago pelo presidente da República Centro-Africana e já influenciou a demissão de um ministro numa tentativa de manter a paz no país. A República Centro-Africana é um país atormentado …

Ministério Público acusa 25 arguidos pela queda do BES

O Ministério Público deduziu acusação, esta terça-feira, contra 25 arguidos, 18 pessoas singulares e sete pessoas coletivas, no âmbito do processo sobre a queda do Universo Espírito Santo. "O Ministério Público do Departamento Central de Investigação …

Agora, até o Toyota Corolla é um crossover

O Toyota Corolla Cross é o mais recente SUV da marca japonesa. Apesar de a marca estar a reforçar a sua gama de SUV, Portugal terá de esperar mais um pouco. Na semana passada, a Toyota …

Da Escócia à Grécia, Kleon pedalou durante 48 dias para regressar a casa

Um jovem grego, "preso" na Escócia devido ao cancelamento dos voos por causa da pandemia de covid-19, decidiu pedalar durante 48 dias consecutivos para conseguir regressar a casa. De acordo com a CNN, Kleon Papadimitriou, de …

Após fugirem da Venezuela, milhares foram obrigados a regressar por causa da pandemia (mas não é assim tão fácil)

Desde 2016, quase cinco milhões de venezuelanos deixaram o país, fugindo da pobreza e dos serviços sociais e de saúde em colapso. Agora, a pandemia de covid-19 forçou-os a regressar à Venezuela - se o …

Costa defende na Hungria que Estado de direito não deve ser associado à recuperação

O primeiro-ministro defendeu, esta terça-feira, à saída de uma reunião com o seu homólogo húngaro que a questão do Estado de direito, embora "central" para Portugal, não deve ser relacionada com as negociações sobre o …

Pandemia não dá tréguas nos EUA. Nem a relação entre Trump e Fauci

O Presidente dos Estados Unidos não esconde a relação tensa que mantém com um dos principais conselheiros científicos da Casa Branca. No último fim-de-semana, um membro da sua administração disse mesmo que há "preocupação" devido …