Líderes falam em abstenção e apelam ao voto. Está “um dia maravilhoso para votar”

António Cotrim / Lusa

Cerca de 10,7 milhões de eleitores vão eleger os 21 deputados ao Parlamento Europeu. À boca das urnas, foram vários os líderes políticos que exerceram o seu direito de voto apelando à participação dos portugueses.

A primeira líder política a exercer o seu direito de voto foi Assunção Cristas. A presidente do CDS-PP votou na escola secundária de Miraflores, em Oeiras, pouco depois das 9h00 e fez um apelo aos portugueses para usarem “este dia maravilhoso para votar” nas eleições europeias deste domingo.

“Sabemos que é uma eleição difícil, normalmente com elevada abstenção, mas o dia está bonito, pode-se ir à praia depois de votar. É importante, sobretudo quando se decidem questões tão relevantes a nível mundial, que a União Europeia seja forte”, disse Cristas aos jornalistas.

Já o primeiro-ministro votou em Benfica. À boca das urnas, António Costa deixou o apelo: “Temos todos o dever, o direito e a ambição de participar”.

“Todos partilhamos do apelo do Presidente da República que é essencial participar nestas eleições. Este é o único momento em que somos todos iguais no exercício do poder. E essa é a grande qualidade da democracia: é o momento em que cada cidadão é igual nos exercício dos seus direitos e não devemos desaproveitar essa oportunidade”, afirmou, lembrando as palavras de Marcelo Rebelo de Sousa.

“Votem pela Europa e pela democracia”, apelou Pedro Marques, cabeça-de-lista do Partido Socialista às eleições europeias.

“A abstenção é, de facto, o maior adversário dos europeístas e democratas e, por isso, o direito que demorou e custou tanto a ganhar em Portugal deve ser exercido. Esse é o principal apelo aos portugueses hoje: é que votem pela Europa e pela nossa democracia”, advertiu, lembrando que direito de voto “custou a ganhar”.

Em Coimbra, a primeira candidata do Bloco de Esquerda às Europeias, Marisa Matias, defendeu que “há sempre muitas razões” para votar e que não há nenhum motivo para não o fazer.

“Acho que existem sempre razões para votar, há sempre muitas razões para votar e não encontro nenhuma para não o fazer”, disse aos jornalistas depois de ter exercido o seu direito de voto.

Catarina Martins, coordenadora do Bloco, também apelou à participação nestas eleições, alertando que “deixar a uma pequena minoria as decisões sobre a vida coletiva é um erro”.

“As decisões só podem ser bem tomadas se as pessoas participarem. Deixar a uma pequena minoria as decisões sobre a nossa vida coletiva é um erro e portanto é muito importante que as pessoas usem o poder que é o do seu voto para participarem nas escolhas que são determinantes sobre os aspetos muito concretos da nossa vida”, sublinhou.

O cabeça-de-lista do PSD, Paulo Rangel, apelou ao voto afirmando que estas eleições são “decisivas para o quotidiano” dos portugueses e dos europeus.

“Desejo profundamente que as pessoas se mobilizem porque estas eleições são muito relevantes. Há uma certa distância das instituições, em Portugal também acontece, mas estas eleições são decisivas para o quotidiano das portuguesas e portugueses e europeus em geral. É muito importante que não deixem a decisão para outros e vão votar. Votem em consciência. A visão de cada um é soberana, mas votem”, pediu.

O líder dos sociais-democratas, Rui Rio, afirmou que se os níveis de abstenção em Portugal forem idênticos aos das anteriores eleições europeias isso representa “uma derrota para todos”.

“O que mais desejo é que os níveis de abstenção baixem um bocado. Não podemos aspirar a que venha para níveis muito baixos mas, se tiverem os níveis que tiveram da outra vez, perto disso ou mais, é uma derrota para todos e também não é uma vitória para quem não vota”, disse Rio em declarações aos jornalistas depois de votar na junta de freguesia de Massarelos, no Porto.

O cabeça-de-lista do PAN, Francisco Guerreiro, votou e deixou um apelo à mobilização dos eleitores nas eleições que, sublinhou são “tão importantes para o país e para a Europa”.

“Viemos exercer o nosso direito de voto e aquilo que temos apelado é que, acima de tudo, as pessoas participem nestas eleições tão importantes para o país e para a Europa”, disse.

Por sua vez, o líder do partido, André Silva, votou numa escola secundária nos Olivais, em Lisboa, e apelou aos portugueses para que “cumpram o seu dever cívico” e não deixem que “os outros possam escolher por si” nas eleições europeias.

João Ferreira, cabeça-de-lista da CDU, apelou aos portugueses para que votem, lembrando que este é também um “momento fundamental” para o futuro das suas vidas. “O dia de hoje convida a fazer muitas coisas, por isso apelo a que, antes, venham votar.”

Nuno Melo, o cabeça-de-lista do CDS-PP, alertou que neste ato eleitoral “é o projeto europeu que está verdadeiramente em causa”, apelando ao voto, até como forma de Portugal “dar um sinal” à Europa.

“Em 2019 é o projeto europeu que está verdadeiramente em causa. E quando falo do projeto europeu falo do essencial que interessa ao desenvolvimento de países tão dependentes com Portugal. É graças a fundos comunitários que se rasgaram pontes, estradas, universidades e escolas”, disse.

Cerca de 10,7 milhões de eleitores são chamados a eleger os 21 deputados portugueses ao Parlamento Europeu, numas eleições a que concorrem 17 listas. Votam para as eleições ao Parlamento Europeu cerca de 400 milhões de cidadãos dos 28 países da União Europeia, que elegem, no total, 751 deputados.

Segundo o Diário de Notícias, a votação para o Parlamento Europeu registou, até às 16h00, uma afluência às urnas de 23,37% de eleitores nacionais. Percentualmente, a abstenção está a subir face a 2014.

A percentagem de afluência deste ano é inferior à das últimas eleições europeias que, à mesma hora, se cifrava em 26,31%. No entanto, em números absolutos, a participação total até poderá ser superior à de há cinco anos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Clarisse: dois gestos que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também para os registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …

Tribunal europeu dá razão à SIC e condena Estado por violar liberdade de expressão

Portugal foi condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) por violação da liberdade de expressão num caso em que a SIC foi obrigada a indemnizar um ex-deputado do PS por ofensa à sua …

Misturar doses da AstraZeneca e da Pfizer aumenta até seis vezes as defesas contra covid-19

Um novo estudo realizado na Coreia do Sul concluiu que o número de anticorpos contra a covid-19 aumentou seis vezes em quem misturou as doses da AstraZeneca e da Pfizer em relação a quem tomou …