Bloco de Esquerda “não vai aceitar austeridade” no pós-pandemia

Luís Forra / Lusa

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda diz que “não vai aceitar austeridade” em 2021, após a pandemia da covid-19, e garantiu que, pelo seu partido, “não faltará maioria” para ajudar Portugal a sair de uma crise.

Em entrevista ao semanário Expresso, publicada na edição desde fim de semana, Catarina Martins apontou que é necessário “compreender se o Governo quer um próximo orçamento que responda pelo Serviço Nacional de Saúde e pelo emprego, com capacidade de investimento, proteção de salários e pensões, contraciclo para contrariar a recessão, ou quer voltar à velha austeridade do bloco central”.

De acordo com a líder partidária, “o BE não aceitou austeridade em 2011 e não vai aceitar em 2021″. Para Catarina Martins, esta “é uma discussão que tem a ver com estratégia, e essa é a grande escolha que o Governo vai ter de fazer”.

“Achamos que há outra resposta possível, que demora o seu tempo, mas é mais forte. Estamos disponíveis para esse caminho e aceitamos inteiramente a nossa responsabilidade”, garantiu a líder bloquista, assinalando que têm existido “muitas reuniões” em “várias áreas”.

Quanto à negociação, “tem todas as condições para decorrer da melhor forma” se a estratégia for definida “claramente”. “A única forma de ultrapassarmos a recessão é não termos políticas de austeridade e o Estado aparecer com políticas contracíclicas para garantir emprego, salário, investimento. Se o Estado se comportar como o resto da economia, que se retrai, então cai tudo, ficamos sem nada”, disse, considerando que “está é uma aprendizagem da crise de 2008 e é a opção fundamental” que terá de ser tomada.

Bloco central “serve” para impor austeridade

Apontando que o líder do PSD, Rui Rio, “se veio dizer disponível para um bloco central para impor medidas de austeridade, porque é para isso que o bloco central serve”, Catarina Martins defendeu que “a resposta a uma crise nunca é o Estado juntar crise à crise”.

Acho que seria um erro tremendo. Pela parte do Bloco de Esquerda, não faltará maioria para que o Estado seja um agente para sairmos da crise e não para nos empurrar mais”, salientou, recusando voltar “à lógica da ‘troika'”.

O futuro, defendeu, “vai exigir muito investimento público e uma estratégia que não passe por o turismo ter este peso no PIB” (Produto Interno Bruto), e uma “reabertura dos setores da economia por fases”. “As medidas de contenção só podem ser avaliadas quando o número de casos deixar de crescer e for relativamente pequeno. Com os dados que há, se as pessoas mantiverem as medidas de contenção, pode não demorar muito tempo, o meu medo é que, ao verem os números a abrandar, comecem a abrandar as medidas de contenção”, afirmou a bloquista.

Sobre o congelamento dos aumentos dos salários dos funcionários públicos, previstos no Orçamento do Estado para este ano, Catarina Martins afirmou ter “muita dificuldade em compreender como é que alguém pode defender isso”, apontando que “é um insulto a quem não para de trabalhar”.

Questionada sobre se acredita que o PS se irá opor à austeridade na Europa, a líder do Bloco de Esquerda respondeu: “Veremos. Também tenho um enorme respeito por quem está a lidar com uma crise que ainda está muito aguda. O Governo com certeza sabe o que quer fazer. Se este é o momento de começar a negociar essa estratégia, talvez ainda não, mas não pode demorar muito mais”.

Críticas a Mário Centeno

Catarina Martins criticou também o ministro das Finanças, e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. “Devo dizer que o facto de Centeno apoiar o Governo alemão é lamentável e não me descansa”, assinalou a líder bloquista, referindo que, aliado ao facto de o primeiro-ministro, António Costa, estar alinhado com países que pedem “soluções de investimento sociais”, é uma situação que “fragiliza o país”.

A líder do Bloco de Esquerda censurou ainda o PSD por não ter apresentado propostas relacionadas com o estado de emergência decretado devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, e ter rejeitado aquelas apresentadas por outros partidos, considerando “inaceitável” e que os sociais-democratas estão a “demitir-se da sua função”.

Portugal regista esta sexta-feira 435 mortos associados à covid-19, mais 26 do que na quinta-feira, e 15.472 infetados (mais 1.516), indica o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de quinta-feira, indica que a região Norte é a que regista o maior número de mortos (240), seguida da região Centro (107), da região de Lisboa e Vale do Tejo (78) e do Algarve, com oito mortos. O boletim dá ainda conta de dois óbitos nos Açores.

Relativamente a quinta-feira, em que se registavam 409 mortos, esta sexta-feira observou-se um aumento de 6,4% (mais 26). De acordo com os dados disponibilizados pela DGS, há 15.472 casos confirmados, mais 1.516, o que representa um aumento de 10,9% face a quinta-feira.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 94 mil.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Esta gaja é uma hipócrita! Não vai aceitar? LOL… vai imprimir notas! Este tipo de pessoas deveria ser acusado de desinformação da população. É urgente que se combata este tipo de gentalha…. Vá mas é trabalhar para o campo!

  2. Pomos os portugueses a pagar forte e feio a luz solar, a electricidade, os combustíveis, o direito à habitação e pelo meio ainda inventamos mais umas taxas e taxinhas e…. voilá… mais uns milhões para os do costume, para aqueles que estão sempre aos berros e que, na realidade, nunca se tramam realmente.
    O resto que se fo**

RESPONDER

Metro de Nova Iorque pede à Apple para melhorar sistema de reconhecimento facial

A autoridade que gere o metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, pediu à gigante tecnológica Apple para melhorar o reconhecimento facial dos seus dispositivos depois de serem observados vários passageiros a retirar a máscara …

Rival da Tesla diz que o seu carro terá uma autonomia de 832 quilómetros

A empresa Lucid Motors, concorrente direta da Tesla no mercado automóvel elétrico, afirma que o seu carro Air terá uma autonomia de 832 quilómetros. A confirmar-se a autonomia deste carro, o automóvel da Lucid Motors ultrapassará …

Moradores das Maurícias estão a cortar o próprio cabelo para ajudar a evitar um desastre ambiental

Moradores das Maurícias estão a cortar o seu próprio cabelo para para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio janponês encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …

Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da …

Um emblemático transplante nos EUA aconteceu graças a um coração "roubado"

Um dos primeiros transplantes de coração realizados no mundo aconteceu no Estados Unidos. O que muitos não sabem é que este caso de sucesso também deu aso ao primeiro processo civil no país por homicídio …

"Pandemia de sem-abrigo" nos EUA. Há 30 milhões de pessoas sob risco de despejo

Nos Estados Unidos da América avizinha-se uma "pandemia de sem-abrigo". Até ao final de setembro, 30 milhões de norte-americanos estão em risco de despejo devido à covid-19. Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 pode estar …

Tráfego nas autoestradas cai para quase metade. Foi o pior trimestre de sempre

A rede da Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP) registou de abril a junho "o pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos", recuando 46% devido …

Bielorrússia cortou acesso à internet e tentou fazer com que parecesse um acidente

No seguimento da reeleição de Alexandr Lukashenko na Bielorrússia, multiplicam-se os apagões de internet. O Governo diz que se trata de um ataque cibernético, mas há suspeitas de que seja um plano do presidente. Os protestos …

Resgatados 28 cães sem registo ou vacinas de barracões onde também vivia a proprietária em Lisboa

Vinte e oito cães foram retirados pela PSP terça-feira de barracões em Lisboa onde também vivia a proprietária, avança a agência Lusa, detalhando que os animais serão depois colocados para adoção.  Os animais foram posteriormente recolhidos …

Pela primeira vez em 300 anos, é possível visitar esta ilha em Cabo Cod

Pela primeira vez em 300 anos, uma ilha ao largo da costa de Cabo Cod, península em forma de gancho no estado norte-americano de Massachusetts, está aberta ao público. A Ilha Sipson é propriedade privada desde …