/

Joe Biden: Não há forma “de retirar as pessoas de Cabul sem dor e sem perdas”

6

Oliver Contreras / Pool / EPA

Este domingo à noite, a partir da Casa Branca, Joe Biden fez um ponto de situação das evacuações em Cabul. O Presidente dos Estados Unidos não se comprometeu com o prazo para a retirada das forças norte-americanas do território afegão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Numa conferência de imprensa a partir da Casa Branca, este domingo, Joe Biden atualizou os dados sobre a operação de evacuação no aeroporto de Cabul, revelando que, “em pouco mais de 30 horas durante este fim de semana”, os Estados Unidos retiraram “um número extraordinário de pessoas” do Afeganistão.

Os dados do Presidente norte-americano indicam que 11 mil pessoas já foram resgatadas de Cabul. Biden prometeu que este número vai aumentar nos próximos dias, através dos esforços que continuarão a ser feitos para retirar cidadãos norte-americanos e aliados, incluindo afegãos, do país.

Questionado pelos jornalistas sobre se iria prorrogar o prazo para a retirada das forças dos Estados Unidos, que está marcado para 31 de agosto, Biden não se comprometeu e afirmou ter esperança de que não venha a ser necessário tomar essa decisão.

“Há discussões em curso entre nós e os militares sobre a extensão [do prazo]”, disse o Presidente, citado pelo Observador, admitindo que a situação ainda é perigosa e que “muitas coisas podem correr mal”.

O governante explicou ainda que as forças ocidentais alargaram o perímetro de segurança em torno do aeroporto de Cabul por forma a aumentar a zona segura dentro da qual os passageiros autorizados são encaminhados para os voos militares.

Joe Biden garantiu que “qualquer americano que queira vir para casa, vai ser trazido para casa” e que os Estados Unidos estão também a “retirar os cidadãos dos nossos aliados da NATO e dos nossos parceiros, incluindo os seus diplomatas, funcionários de embaixadas, que permanecem no Afeganistão”.

Ainda assim, o Presidente norte-americano admitiu que a operação não é fácil e que será impossível fazê-la sem dor e sem perdas.

“A retirada de pessoas de Cabul vai ser dolorosa, independentemente de quando começássemos. Seria verdade se tivéssemos começado há um mês, ou daqui a um mês. Não há maneira de retirar tantas pessoas sem dor, sem perdas e sem as imagens devastadoras que têm visto na televisão”, afirmou.

No sábado, Josep Borrell, chefe da diplomacia da União Europeia (UE), considerou ser “impossível” retirar todos os colaboradores afegãos dos países ocidentais até 31 de agosto. Organizações de defesa dos direitos humanos também apelaram a Joe Biden para prorrogar o prazo de retirada dos Estados Unidos.

Este domingo, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, informou que vai convocar para a próxima terça-feira uma reunião “urgente” do grupo dos sete países mais ricos do mundo (G7) sobre a situação no Afeganistão.

Os talibãs conquistaram Cabul no dia 15 deste mês, culminando uma ofensiva iniciada em maio, quando começou a retirada das forças militares norte-americanas e da NATO.

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista, que acolhia no seu território o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, principal responsável pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

A tomada da capital põe fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos seus aliados na NATO, incluindo Portugal.

  Liliana Malainho, ZAP // Lusa

6 Comments

    • Do Trump, queres tu dizer…
      O Biden está apenas (e mal!) a executar o que o Trump e o Pentágono planearam.
      Foi o Trump quem negociou com os talibã e até soltou o seu líder da prisão do Paquistão.

      • Aqui se nota a nulidade deste sujeito Eu! Sendo uma decisão de Trump, é horrenda, sendo o confirmar dessa decisão, por Biden, já é de apoiar. Biden está a desonrar os EUA. Biden, se melhor que Trump, só tinha que reverter a decisão tomada por Trump, para demonstrar que é melhor que ele. Só me admira porque é que a comunicação social está tão calada quanto a esta página negra de Biden.

        • Ó “nulidade”, quem apoia o Biden?!
          No meu cometário está escrito: “O Biden está apenas (e mal!) a executar o que o Trump e o Pentágono planearam.”
          Qual é parte do “e mal!” que não percebes??
          A comunicação social está calada?!
          Bem…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.