Nasceu o primeiro bebé de útero transplantado de dadora morta

Uma brasileira deu à luz uma menina depois de receber um transplante de um útero de uma dadora que morreu. Trata-se do primeiro caso bem sucedido neste tipo de procedimento.

Em setembro de 2016, uma paciente de 32 anos que nasceu sem útero fez um transplante de útero de uma pessoa morta. Sete meses após a cirurgia, a mulher engravidou por inseminação. O parto ocorreu em dezembro de 2017, por cesariana, e o útero foi retirado nessa mesma cirurgia.

A criança nasceu saudável e está a desenvolver-se de forma normal. Até agora, estes transplantes só tiveram sucesso com úteros de dadoras vivas.

Dani Ejzenberg, ginecologista que dirigiu a equipa médica da Universidade de São Paulo, escreveu agora sobre este caso na revista Lancet, sublinhando que este se trata de um importante avanço médico.

A verdade é que este não é o primeiro transplante de uma dadora morta, mas, até ao momento, nenhum tinha resultado num nado vivo. “Até ao momento, o nosso caso é o único do mundo a utilizar útero de doadora falecida e conseguir um nascimento. Tivemos oito nascimentos na Suécia e um nos Estados Unidos de úteros transplantados de doadoras vivas”, afirmou Ejzenberg, numa entrevista citada pelo Diário de Notícias.

O transplante de um útero de uma dadora morta traz algumas vantagens, explicou a equipa. “Com uma dadora morta, reduz-se o risco porque não há risco para a dadora, e reduzem-se também os custos porque não é preciso o internamento e a longa cirurgia para a dadora.” Além disso, “encontrar uma dadora viva pode ser difícil”.

Após o sucesso do parto, o útero transplantado foi retirado porque a recetora tinha de ser medicada com imunossupressores para certificar que não havia rejeição do órgão. Segundo a líder da equipa, continuar a terapêutica iria ser muito dispendioso, pelo que acaba por ser preferível usar os fundos disponíveis para efetuar mais transplantes.

Este caso de sucesso no Brasil acontece depois de dez tentativas falhadas nos Estados Unidos, República Checa e Turquia.

Voluntária recrutada na Internet

Em entrevistas anteriores, Dani Ejzenberg já tinha explicado o processo de recrutamento. “As pacientes do estudo foram recrutadas a partir de comunidades na Internet que reúnem pacientes com Rokitansky, a ausência congénita de útero de que sofre a transplantada.”

Neste caso, a fertilização aconteceu quatro meses antes do transplante. “Só depois de aspirar os óvulos e ter certeza de que a paciente tinha bons embriões e uma chance real de gravidez é que realizámos o transplante”, uma cirurgia que terá durado 10 horas e meia. Apenas um mês após a operação, a brasileira começou a ter período.

A equipa médica responsável por este feito considera que este procedimento traz esperança para mulheres com uma série de afeções, nomeadamente aquelas que foram submetidas a uma histerectomia (remoção do útero) e que até agora só podiam adotar ou recorrer à maternidade de substituição.

Ainda assim, o ginecologista adverte que, apesar de ter corrido tudo bem, a experiência não deve ser repetida tão cedo. “Não estamos a selecionar mais pacientes. Este tipo de procedimento ainda é experimental e só pode ser realizado por equipas treinadas, em ambiente de pesquisa e após autorização dos órgãos competentes.”

Ao The Guardian, um ginecologista britânico concorda com Ejzenberg e acrescenta que é necessário investigar mais até que este procedimento possa ser generalizado. Ainda assim, adianta, este processo pode permitir a mulheres transexuais engravidar (pelo menos em teoria).

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

China proíbe a venda de vários modelos de iPhone (e as ações da Apple caem)

As ações da gigante norte-americana Apple sentiram uma queda de 1,7% na bolsa de Nova Iorque depois de o Tribunal de Fuzhou, na China, ter proibido a venda de alguns modelos de iPhone no país. …

Suspeito da morte de Maëlys admite ter filmado agressões sexuais a crianças

O principal suspeito da morte da jovem lusodescendente Maëlys de Araújo admitiu ter filmado agressões sexuais contra a afilhada e a prima, de quatro e seis anos de idade, respetivamente, antes de, alegadamente, matar a …

Preço do bilhete para visitar o Taj Mahal sobe 400% (para os indianos)

Os especialistas alertam que o fluxo de pessoas está a causar danos irreversíveis ao monumento emblemático mais importante da Índia. O preço do bilhete para os visitantes indianos do Taj Mahal foi aumentado em 400%, na …

Morreu Gérman, o último habitante das ilhas Ciés

Germán Luaces Freijeiro, de 54 anos, instalou-se no arquipélago de Cíes, localizado na foz do estuário de Vigo, em meados dos anos 90 e nunca mais se voltou a mudar. Vivia sozinho naquelas ilhas onde acolhia …

Atentado no Mercado de Natal de Estrasburgo faz quatro mortos e nove feridos

Um tiroteio que ocorreu esta terça-feira na cidade francesa de Estrasburgo, no local onde ocorre o Mercado de Natal, fez pelo menos quatro mortos e nove feridos, anunciou a autarquia local. A Câmara Municipal de Estrasturgo …

Galatasaray vs Porto | Eficácia dá vitória e record de pontos

O FC Porto não abranda e somou a 12ª vitória consecutiva em todas as competições. Na deslocação ao terreno do Galatasaray, em jogo da sexta jornada do Grupo D da Liga dos Campeões, os “dragões” tiveram …

"O luxo do século XXI vai ser o interior de Portugal"

O Turismo está "a cumprir bem" o seu papel no combate ao despovoamento, considera o presidente da Turismo Centro, Pedro Machado, que vaticina que "o luxo do século XXI vai ser o Interior de Portugal". O …

Mãe tenta vender virgindade da filha na Internet por 21 mil euros

Uma mãe pôs à venda a virgindade da filha de 13 anos na Internet por 21.200 euros. A mulher chegou a enviar fotografias de carácter sexual da filha ao comprador, mas não esperava o desfecho …

Há polícias a dormir no carro devido aos preços dos quartos

Sem dinheiro para arrendar quartos, face aos preços praticados, "há polícias a dormir dentro de carros", denuncia o Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP). Acabados de formar na Escola Prática de Polícia, em Torres Novas, os …

António Lobo Antunes lamenta que Portugal e Espanha não sejam o mesmo país

O escritor António Lobo Antunes lamentou que portugueses e espanhóis não sejam cidadãos do mesmo país, numa entrevista dada ao jornal catalão La Vanguardia no âmbito da Feira Internacional do Livro de Guadalajara e publicada …