Banco de Portugal contra revelação de documentos de negócios que usam dinheiros do Estado

Manuel de Almeida / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

Depois das propostas do PSD e do PAN, o Banco de Portugal indica que a revelação dos documentos pode colocar em causa a confidencialidade dos processos.

As propostas do PSD e do PAN para que a Assembleia da República tenha poder para vetar documentos sobre negócios que envolvem dinheiros públicos não conquistaram os supervisores financeiros, com destaque para o Banco de Portugal e o Banco Central Europeu, nem a própria banca, escreve o Expresso.

Atualmente, os projetos de lei levantam dúvidas sobre como podem coabitar com a legislação em vigor. Em causa estão, por exemplo, os contratos de venda do Novo Banco ou o plano de reestruturação da TAP, assuntos muito controversos entre os partidos.

Contudo, o supervisor presidido por Mário Centeno enviou um parecer com 17 páginas onde é explicado que “não pode, com efeito, o direito interno dos Estados-Membros procurar contornar o dever de segredo a que a autoridade de supervisão está sujeita (no caso português, o Banco de Portugal) por via da criação de obrigações sobre outras autoridades, organismos ou pessoas, que com ela trocam informações, que determinem a transmissão de informações confidenciais fora das exceções previstas na lei europeia em matéria de dever de sigilo, sob pena de clara violação daqueles dispositivos da União Europeia”, aponta o parecer enviado pela autoridade presidida por Mário Centeno.

O Banco de Portugal considera que a legislação, ao impor obrigações de divulgação a outras entidades, pode trazer o risco de que informações sob sigilo sejam tornadas públicas. E, a acontecer, pode haver consequências, indica no parecer.

Integrando o sistema de bancos centrais europeu, a opinião do Banco de Portugal converge com a que foi transmitida pelo Banco Central Europeu.

“O BCE entende que não seria possível desclassificar, ao abrigo dos projetos de lei, documentos e informações confidenciais relacionados com a supervisão”, deixa claro a autoridade presidida por Christine Lagarde sobre a proposta de legislação que está a ser discutida na especialidade parlamentar.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O sigilo bancário para cidadãos privados foi um instante enquanto foi à vida. Para os grandes negócios ainda por cima com dinheiros públicos, ah… Aí vem este chico esperto alegar dever de segredo.

    Por outras palavras: o Estado e os grandes negócios tem direito de se imiscuir na vida financeira pessoal e privada das pessoas. Mas o povo não pode saber o que andam negócios privados a fazer com o dinheiro de todos nós.

    Acorda, povo!… Acorda enquanto é tempo. O neo-feudalismo instala-se enquanto tu coças os tomates a ver Netflix, Big Brother e telenovelas. Entretém-te filho… Entretém-te que eles tratam de tudo por ti.

  2. Estamos a falar do Banco de Portugal, que sendo público é de todos os Portugueses.
    O que é que este malfadado governador que esconder aos portugueses?
    Costa, Constâncio e outros também o fizeram, porquê?
    Quando é para pagar a conta, ai os Portugueses são chamados.

RESPONDER

Deputado do Bloco acusado de violência doméstica avança com queixa em tribunal

Catarina Alves, ex-namorada do deputado Luís Monteiro, acusa-o de violência doméstica. O bloquista nega as acusações e diz que vai apresentar queixa no tribunal. Luís Monteiro vai apresentar queixa contra a ex-namorada que o acusou de …

Gestão do Novo Banco vai receber bónus de 3,9 milhões em 2022

A equipa de administração do Novo Banco tem à sua espera um bónus de 3,9 milhões de euros no próximo ano. O banco registou prejuízos de 1.329 milhões de euros no ano passado. O Novo Banco …

Ainda não há planos para vacinar voluntários com AstraZeneca e Johnson & Johnson (nem dados sobre combinação de vacinas)

A vacinação de voluntários com menos de 60 ou 50 anos que aceitem receber as vacinas da AstraZeneca ou da Johnson & Johnson ainda não tem planos ou datas para arrancar. A Comissão de vacinação …

Celebrar ou cancelar Napoleão? 200.º aniversário da morte do imperador desperta debate em França

No 200.º aniversário da morte de Napoleão Bonaparte, o presidente francês Emmanuel Macron optou por fazer o que os seus antecessores evitaram. Ao escolher colocar uma coroa de flores esta quarta-feira no túmulo de Napoleão sob …

Costa começa a namorar a esquerda. Negociações do Orçamento arrancam em julho

O Governo está a preparar-se para arrancar com as reuniões preliminares de negociação do Orçamento do Estado para 2022. O Público avança, esta quinta-feira, que os encontros formais vão ser realizados com os partidos de esquerda …

O orgulho, os milhões da Champions e (talvez) um título estão em jogo neste Clássico

O FC Porto não desiste da corrida pelo título, mas o segundo lugar é a principal luta deste Clássico. A posição dá acesso direto à Liga dos Campeões. Benfica e FC Porto defrontam-se hoje na Luz, …

"Crise de saúde global". Biden apoia levantamento das patentes das vacinas (e UE segue o exemplo)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apoiou a proposta da Organização Mundial do Comércio (OMC) para renunciar às proteções de propriedade intelectual para as vacinas contra a covid-19. "Esta é uma crise de saúde global …

-

Confrontos entre polícia e adeptos em Alvalade. PSP avança com participação ao MP

A chegada da equipa do Sporting ao estádio de Alvalade ficou marcada por confrontos entre vários adeptos e a polícia. A PSP já anunciou que vai fazer uma participação ao Ministério Público. Depois da vitória por …

Centeno pressiona Costa: 6 mil milhões de medidas temporárias devem ser revertidos

Esta quinta-feira, o governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, avisou que "não podemos querer manter no futuro medidas que foram criadas para serem temporárias". As medidas cíclicas e temporárias adotadas no ano passado para responder …

Apoio ao aumento do salário mínimo "vale 84,5 euros por posto de trabalho"

O ministro da Economia explicou que o apoio ao aumento do salário mínimo, que só vai acontecer em 2021 e que custará cerca de 60 milhões de euros ao Estado, corresponde a 84,5 euros por …