BCP avança com plano “estruturado de redução de pessoas”

Miguel A. Lopes / Lusa

O presidente do Millennium BCP, Miguel Maya

O BCP vai dar início, a partir de 16 de junho, a um plano de redução de pessoal que deverá começar pela adesão a medidas voluntárias, mas que poderá recorrer a “medidas unilaterais”, segundo uma mensagem interna.

Na missiva, a que a Lusa teve acesso e que é assinada pelo presidente executivo do banco, Miguel Maya, o BCP recordou aos colaboradores que este ajustamento estava previsto para 2020, mas que, devido à pandemia, a instituição resolveu não avançar com o plano.

“O processo inicia-se com este apontamento que dirijo a todos os trabalhadores, e prosseguirá agora com as reuniões com os sindicatos, com a Comissão de Trabalhadores e com a DGERT [Direcção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho], as quais podem levar a alguns ajustes na forma como planeámos a execução”, adiantou Miguel Maya.

“Perspetivamos que o período de adesão ao programa de reformas e rescisões por mútuo acordo se inicie no próximo dia 16 de junho e decorra até 18 de agosto”, lê-se na mensagem, que ressalva depois que, “na eventualidade de ser necessário para alcançar a redução em função dos critérios específicos”, poderão ser implementadas “medidas unilaterais de redução do número de trabalhadores”.

O BCP estima que o final do período negocial seja em 20 de setembro, refere o presidente da instituição.

“Não salientamos ainda as condições e o número concreto de pessoas a abranger, pois entendemos que tal só deverá ser conhecido após as reuniões a realizar com as estruturas representativas dos trabalhadores, as quais perspetivamos possam ocorrer até 16 de junho”, explica.

“No final de 2019, o plano estratégico estava a ser implementado com assinalável sucesso na quase totalidade das variáveis definidas e a evolução permitia antever que o plano seria executado com um avanço entre seis e doze meses face à data prevista, com a relevante exceção da reduzida rendibilidade”, lê-se na nota.

“No primeiro trimestre de 2020 fomos surpreendidos pela pandemia, uma crise sanitária que rapidamente se transformou em crise económica, a qual não obstante os efeitos terem sido mitigados pelas moratórias dos bancos e pelas medidas governamentais de apoio, teve impactos devastadores para muitas famílias e empresas”, tendo sido “por essa razão então decidido que não era adequado empreender nesse ano o processo de redução de trabalhadores que estava a ser equacionado”, adianta.

Segundo Miguel Maya, “um processo estruturado de redução de pessoas constitui para a equipa de administradores executivos” a “decisão mais difícil, mais pesada de tomar desde que assumimos funções”.

“Temos consciência do relevante impacto nas famílias de pessoas que ao longo de anos deram muito de si ao BCP. Mas temos também bem presente de que se não atuarmos agora  é sempre possível e há sempre motivos fáceis de identificar para procrastinar decisões – estaremos a facilitar a nossa vida no imediato e a comprometer de forma relevante o futuro do banco e dos seus trabalhadores”, indica.

“Saliento também que a decisão que tomámos de avançar com este processo não resulta de uma mera comparação com o quadro de pessoal dos principais concorrentes a operar em Portugal”, acrescenta.

O gestor realça que “a decisão foi tomada tendo por base uma análise minuciosa das necessidades e da capacidade existente, ponderando adequadamente as especificidades do banco e o impacto das novas tecnologias nos nossos modelos e processos de negócio, bem como a evolução que perspetivamos para o BCP, a qual será apresentada ao mercado no âmbito da revisão do plano estratégico”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Salgado disposto a pagar à massa falida do GES para ficar isento de cumprir pena

Ricardo Salgado está disposto a pagar à massa falida do GES para ser dispensado de cumprir pena no processo que o irá julgar por três crimes de abuso de confiança, segundo a contestação da defesa …

PJ detém 12 pessoas por suspeitas de corrupção na Câmara de Loures

Entre os detidos pela Polícia Judiciária (PJ) estão dois empreiteiros, um arquiteto, um empresário ligado a uma obra particular e oito fiscais. Através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção e no âmbito de inquérito dirigido …

Casos disparam: 1350 novas infeções e seis óbitos

Nas últimas 24 horas, houve 1.350 novos casos positivos de covid-19 e morreram seis pessoas, segundo os dados do boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou 1.350 novos casos e seis óbitos por covid-19 …

Parlamento vai ouvir Medina e ministro dos Negócios Estrangeiros

Fernando Medina e Augusto Santos Silva vão ser ouvidos no Parlamento sobre o caso da partilha de dados pessoais de ativistas russos. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e o ministro dos Negócios …

Mudanças na lei laboral podem prejudicar a retoma, avisa Centeno

É crucial para a retoma que haja "estabilidade e previsibilidade na legislação laboral", de forma a estimular o investimento empresarial e o crescimento económico, afirmou esta quarta-feira o governador do Banco de Portugal (BdP), Mário …

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Von der Leyen dá luz verde ao Plano de Recuperação e Resiliência português. E "não é por acaso"

O primeiro-ministro, António Costa, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciaram esta quarta-feira que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) foi aprovado por Bruxelas.  A presidente da Comissão Europeia, Ursula von …

Kim Jong-un reconhece que país enfrenta "situação de tensão alimentar"

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, reconheceu que o país está a enfrentar uma "situação de tensão alimentar", informaram hoje os meios de comunicação oficiais. O país, cuja economia é alvo de múltiplas sanções internacionais impostas em …

Iniciativa Liberal apoia recandidatura de Rui Moreira à Câmara do Porto

A Iniciativa Liberal vai apoiar a recandidatura de Rui Moreira à Câmara do Porto nas próximas eleições autárquicas, considerando “inquestionável a mudança e o desenvolvimento” da cidade desde que o independente assumiu a presidência do …

Comissária europeia diz que variante Delta “diminui” proteção da vacina

A comissária europeia para a Saúde disse esta terça-feira que estão a surgir provas que demonstram que a variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 “diminui a força do escudo protetor” criado pelas vacinas, instando à aceleração …

DGS diz que demora de conclusões sobre eventos-piloto não é por erro técnico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) rejeitou, esta terça-feira, que tenha havido erro técnico no tratamento de dados dos eventos-piloto da Cultura, ocorridos em abril e maio, mas admitiu que o processo está demorado. Numa declaração enviada …