“Avó nazi” que negou Holocausto vai cumprir pena até ao fim

ursula-haverbeck.info

Ursula Haverbeck

Um tribunal alemão decidiu esta quarta-feira que uma escritora e ativista neonazi de 91 anos, que cumpre uma sentença de dois anos por negar o Holocausto, não será libertada antes do fim da pena.

Ursula Haverbeck foi condenada por incitação ao crime, por um tribunal da cidade de Verden, no norte do Alemanha, em 2017, tendo começado a cumprir a pena no ano passado.

Haverbeck afirmou repetidamente que o campo de extermínio de Auschwitz era apenas um campo de trabalho e já tinha sido condenada judicialmente, várias vezes, por negar o Holocausto.

A famosa “avó nazi” foi detida em maio de 2018 depois depois de não se ter apresentado para cumprir a pena de prisão de 2 anos a que tinha sido sentenciada. Devido a sucessivos recursos, os advogados de Haverbeck tinham conseguido que a escritora e ativista neonazi evitasse a prisão, até que em 2018, o Supremo Tribunal determinou que ela devia cumprir uma pena por incitação ao crime.

Apesar de ser comum na Alemanha que as pessoas sejam libertadas após cumprir dois terços da sentença, o tribunal estadual de Bielefeld, onde a ativista está detida, disse esta quarta-feira que decidiu não autorizar a libertação de Haverbeck em janeiro próximo, sem apresentar justificações. Ursula Haverbeck deve, assim, cumprir a totalidade da pena, que terminará em novembro do próximo ano.

Em novembro de 2015, Haverbeck foi condenada a seis meses de prisão por ter declarado que “o genocídio de judeus pelos nazis não existiu” e que “nunca houve câmaras de gás em Auschwitz”. Haverbeck foi também condenada em 2015 por ter dito que “o Holocausto foi a maior mentira da história“.

No seu site oficial, apresenta-se como “representante do revisionismo histórico” e orgulha-se de ser uma “intrépida combatente pela verdade”. A escritora e ativista é simpatizante de movimentos neonazis e foi fundadora e diretora da organização de extrema-direita Federação Imperial de Nação e Pátria.

A “avó nazi” foi casada com Werner Georg Haverbeck, militante de extrema-direita que morreu em 1999, com o qual terá fundado um estabelecimento de ensino conhecido como um “covil de negacionistas”, que foi banido em 2008.

Cerca de 1,1 milhões de pessoas, entre os quais um milhão de judeus, morreram entre 1940 e 1945 no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau. No total, seis milhões de judeus foram exterminados pelos nazis durante a II Guerra Mundial.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. No minimo estranho, que uma avo judia e descendente de judeus negue que foram mortos 6 milhoes de judeus o que alias as diversas retificacoes de placas com os diversos numeros coincidem com o que ela afirma dos KL. Em Auschwitz no final de contas foram assassinados muito menos judeus do que anteriormente os judeus afirmavam por isso a retificacao das placas com a inscricao doo numero de mortos judeus.
    A Polonia e os judeus andam a cabecada por causa da guerra dos numeros.

  2. Só um país fascista condena pessoas por delito de opinião mesmo que estejam erradas.
    Portugal como pais de extrema esquerda que é, ja aprovou leis no mesmo sentido o artigo 260 em 2018 em que se pode apanhar ate 5 anos de prisão pela opinião errada que o Estado não goste

  3. eu nao estava la, nao posso afirmar que houve ou não houve. Tambem nao sei se em 1969 o homem chegou na lua, ou se demorou um pouco mais. Uma coisa eu sei, governos mentem, e metem muito. Lembra das armas quimicas do iraque que justificaram sua invasao e depois noa tinha arma nenhuma? Quem garante que teve exterminio e quem garante que foram a lua? Pode ser que sim, pode ser que não. Mas nos sabemos que exterminar pessoas é errado, e isso é o suficiente para seguir a vida.

  4. O mais estranho é não ser a única pessoa de religião judaica a dizer as mesma coisa. Claro que a liberdade de expressão é nula não só na Alemanha mas em todos os países culpabilizados pelo o haulocosto. Por essa ordem de ideias os navegadores portugueses que transportavam escravos para América do Sul a mando de judeus, ambos deveriam ser responsabilizados também.

RESPONDER

Maior queda do mês no preço dos combustíveis. Gasóleo atinge mínimos de 4 meses

A partir de hoje os preços dos combustíveis irão baixar, e esta será a maior queda do mês. No que diz respeito ao preço da gasolina, esta deverá cair um cêntimo para 1,387€ por litro. …

Mais de 500 detidos nos protestos contra Lukashenko. Segue-se a greve geral

A greve geral anunciada pela líder da oposição bielorrussa no exílio para exigir a saída do Presidente começou, esta segunda-feira, com protestos tímidos e detenções em todo o país. "O prazo para cumprir as exigências do …

Polacos protestam contra acórdão que torna o aborto quase impossível

Milhares de polacos têm-se manifestado, nos últimos dias, contra a proibição quase total do aborto, quando as leis do país estavam já entre as mais restritivas da União Europeia. Na última quinta-feira, o Tribunal Constitucional polaco …

Japão promete "uma sociedade neutra em termos de carbono" até 2050

O Japão quer alcançar a neutralidade de carbono até 2050, disse hoje o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, um caminho que se afigura complicado, devido à dependência do país do carvão. Numa altura em que cada vez …

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …

Portugal regista mais 2.447 casos e 27 mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 2.447 casos positivos e 27 mortes por covid-19. A informação foi divulgada, esta segunda-feira, no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico divulgado hoje revela que …

Testes rápidos devem ser aplicados em surtos em escolas ou lares

A Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, hoje publicada, determina que em situações de surto em escolas, lares ou outras instituições devem ser utilizados preferencialmente testes rápidos no sentido de aplicar "rapidamente as medidas adequadas …