“Avó nazi” que negou Holocausto vai cumprir pena até ao fim

ursula-haverbeck.info

Ursula Haverbeck

Um tribunal alemão decidiu esta quarta-feira que uma escritora e ativista neonazi de 91 anos, que cumpre uma sentença de dois anos por negar o Holocausto, não será libertada antes do fim da pena.

Ursula Haverbeck foi condenada por incitação ao crime, por um tribunal da cidade de Verden, no norte do Alemanha, em 2017, tendo começado a cumprir a pena no ano passado.

Haverbeck afirmou repetidamente que o campo de extermínio de Auschwitz era apenas um campo de trabalho e já tinha sido condenada judicialmente, várias vezes, por negar o Holocausto.

A famosa “avó nazi” foi detida em maio de 2018 depois depois de não se ter apresentado para cumprir a pena de prisão de 2 anos a que tinha sido sentenciada. Devido a sucessivos recursos, os advogados de Haverbeck tinham conseguido que a escritora e ativista neonazi evitasse a prisão, até que em 2018, o Supremo Tribunal determinou que ela devia cumprir uma pena por incitação ao crime.

Apesar de ser comum na Alemanha que as pessoas sejam libertadas após cumprir dois terços da sentença, o tribunal estadual de Bielefeld, onde a ativista está detida, disse esta quarta-feira que decidiu não autorizar a libertação de Haverbeck em janeiro próximo, sem apresentar justificações. Ursula Haverbeck deve, assim, cumprir a totalidade da pena, que terminará em novembro do próximo ano.

Em novembro de 2015, Haverbeck foi condenada a seis meses de prisão por ter declarado que “o genocídio de judeus pelos nazis não existiu” e que “nunca houve câmaras de gás em Auschwitz”. Haverbeck foi também condenada em 2015 por ter dito que “o Holocausto foi a maior mentira da história“.

No seu site oficial, apresenta-se como “representante do revisionismo histórico” e orgulha-se de ser uma “intrépida combatente pela verdade”. A escritora e ativista é simpatizante de movimentos neonazis e foi fundadora e diretora da organização de extrema-direita Federação Imperial de Nação e Pátria.

A “avó nazi” foi casada com Werner Georg Haverbeck, militante de extrema-direita que morreu em 1999, com o qual terá fundado um estabelecimento de ensino conhecido como um “covil de negacionistas”, que foi banido em 2008.

Cerca de 1,1 milhões de pessoas, entre os quais um milhão de judeus, morreram entre 1940 e 1945 no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau. No total, seis milhões de judeus foram exterminados pelos nazis durante a II Guerra Mundial.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. No minimo estranho, que uma avo judia e descendente de judeus negue que foram mortos 6 milhoes de judeus o que alias as diversas retificacoes de placas com os diversos numeros coincidem com o que ela afirma dos KL. Em Auschwitz no final de contas foram assassinados muito menos judeus do que anteriormente os judeus afirmavam por isso a retificacao das placas com a inscricao doo numero de mortos judeus.
    A Polonia e os judeus andam a cabecada por causa da guerra dos numeros.

  2. Só um país fascista condena pessoas por delito de opinião mesmo que estejam erradas.
    Portugal como pais de extrema esquerda que é, ja aprovou leis no mesmo sentido o artigo 260 em 2018 em que se pode apanhar ate 5 anos de prisão pela opinião errada que o Estado não goste

  3. eu nao estava la, nao posso afirmar que houve ou não houve. Tambem nao sei se em 1969 o homem chegou na lua, ou se demorou um pouco mais. Uma coisa eu sei, governos mentem, e metem muito. Lembra das armas quimicas do iraque que justificaram sua invasao e depois noa tinha arma nenhuma? Quem garante que teve exterminio e quem garante que foram a lua? Pode ser que sim, pode ser que não. Mas nos sabemos que exterminar pessoas é errado, e isso é o suficiente para seguir a vida.

  4. O mais estranho é não ser a única pessoa de religião judaica a dizer as mesma coisa. Claro que a liberdade de expressão é nula não só na Alemanha mas em todos os países culpabilizados pelo o haulocosto. Por essa ordem de ideias os navegadores portugueses que transportavam escravos para América do Sul a mando de judeus, ambos deveriam ser responsabilizados também.

Anulação de transferência para o Novo Banco foi um "percalço"

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho, considerou hoje que a anulação, pelo parlamento, da transferência de 476 milhões de euros do Fundo de Resolução para o banco foi um "percalço". "O percalço que aconteceu …

Videojogos podem estar a ser usados para espalhar ideologia extremista e preparar ataques

Os videojogos 'online' podem estar a ser usados ​​para propagar ideologias extremistas e para preparar ataques terroristas, afirmou o coordenador antiterrorista da União Europeia (UE), Gilles de Kerchove. A 09 de novembro, Gilles de Kerchove já …

Ex-ministro grego Yanis Varoufakis pede boicote à "black friday" da Amazon

O economista e ex-ministro das Finanças grego Yanis Varoufakis pediu um boicote de um dia à Amazon, na 'black friday', enquanto sindicalistas, ativistas ambientais, defensores da privacidade e da justiça tributária planeiam ações coordenadas contra …

Bolsonaro nega ter chamado covid-19 de "gripezinha", mas fê-lo pelo menos duas vezes

O Presidente brasileiro negou na quinta-feira ter-se referido à covid-19 como "gripezinha", afirmando que não há nenhum registo que prove o oposto, apesar de a imprensa ter partilhado pelo menos dois vídeos com esse conteúdo. "Falei …

Cuba anuncia mais duas vacinas e já conta com quatro possíveis fármacos contra a covid-19

Cuba anunciou esta quinta-feira que vai começar os ensaios clínicos de dois projetos de vacinas contra a covid-19, que aumentam para quatro o número de possíveis fármacos deste tipo desenvolvidos na ilha para combater a …

Governo garante que não haverá limite de idade na vacinação. Marcelo fala em "ideia tonta"

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde garantiu, esta sexta-feira, que a vacinação para a covid-19 não terá qualquer limite de idade e que os idosos e doentes com comorbilidades serão uma prioridade. Numa conferência …

Descontos nas ex-SCUT poupam privados, mas é o Estado quem sai lesado

Os descontos nas ex-SCUT, aprovados em Parlamento esta quinta-feira, poupam os privados, mas geram perdas de 1.500 milhões de euros para o Estado. Uma maioria de deputados ditou a aprovação da parte de uma proposta do …

Portugal com mais 67 mortes e 5444 novos casos de covid-19

Portugal regista, esta sexta-feira, mais 67 mortes e 5444 novos casos de infeção por covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 5444 novos casos, 3161 …

Microsoft vai contratar 300 pessoas, formar funcionários públicos e investir em startups em Portugal

A Microsoft Portugal e o Governo assinaram esta sexta-feira um memorando de entendimento, numa parceria que prevê reforçar a cooperação entre a empresa e o país. O protocolo assinado, descreve o Jornal Económico, estipula que a …

Jerónimo critica "ofensiva anticomunista" e justifica abstenção no Orçamento

O secretário-geral do PCP afirmou, esta sexta-feira, no discurso de abertura do XXI congresso nacional, que a abstenção na votação final global do OE2021 resultou da "persistência" do partido para garantir "importantes soluções". Jerónimo de Sousa …