Aviso da PGR compromete investigação às suspeitas de corrupção no Benfica

3

Estela Silva / Lusa

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira

A investigação ao alegado esquema de corrupção de árbitros em favorecimento do Benfica pode ter ficado comprometida, depois de a Procuradoria-Geral da República ter anunciado a abertura do inquérito, antes de proceder a buscas.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou que vai instaurar um inquérito à denúncia anónima de que, durante a época 2013/2014, se verificou um “esquema de corrupção de árbitros” a favor do Benfica.

O assunto foi abordado publicamente pelo director de comunicação do FC Porto, Francisco Marques, num programa do Porto Canal, onde leu emails que terão sido trocados entre o director de conteúdos da Benfica TV, Pedro Guerra, e o ex-árbitro Adão Mendes, denunciando um alegado favorecimento das arbitragens ao clube da Luz.

Com o anúncio da abertura do inquérito, a Procuradoria-Geral da República acabou por avisar os eventuais envolvidos, “em vez de avançar em segredo com buscas urgentes”, aponta o Correio da Manhã.

O jornal ouviu fontes judiciais que se manifestam “incrédulas” com a actuação da PGR, considerando que se aniquilou “voluntariamente” o chamado “efeito surpresa”, que é essencial no arranque de qualquer investigação criminal.

“Ao contrário do que ditam as “boas práticas” de investigação criminal quando os alvos estão alertados, não foi feita, nomeadamente, qualquer busca com carácter de urgência para, por exemplo, apreender os computadores com os quais possam ter sido trocados os tais emails comprometedores”, acrescenta o CM.

Deste modo, e uma vez que o caso terá sido despoletado por uma “denúncia anónima recebida na plataforma do DCIAP”, conforme sustenta a PGR, muito dificilmente será possível encontrar provas da alegada corrupção, sendo certo que a mera cópia dos emails suspeitos não é indício suficiente.

Enquanto isso, o FC Porto garante que tem “mais material” que compromete o Benfica, conforme declarações de Francisco Marques na TSF.

“O FC Porto vai fazer chegar estas coisas às autoridades desportivas e não desportivas. Vai fazê-lo no momento em que entender fazê-lo e quando estiver reunida toda a informação que estamos a reunir”, destaca o director de comunicação dos dragões.

Entretanto, Pedro Guerra, que é visado nos emails sob suspeita, vai reagir à polémica numa edição especial do programa “Prolongamento”, na TVI24, no domingo à noite.

No domínio desportivo, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol também já anunciou a abertura de um inquérito.

  ZAP // Futebol 365

3 Comments

  1. Francisco Marques não lhe chega o estado em que se encontra o FCP? sabe que você também irá depor na justiça sobre onde e como conseguiu emails de funcionários do Benfica, pirataria informática para roubar informação privada é crime, espero que o Benfica o leve á justiça e o façam pagar pelas falsas calúnias

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.