Avião desaparecido teve problemas mas Interpol investiga atentado

francescoprocida / Flickr

Avião Boeing 777 da Malaysia Airlines

Avião Boeing 777 da Malaysia Airlines

O Boeing 777-200, que desapareceu com 239 pessoas a bordo, teve problemas numa das asas em 2012, mas foi completamente reparado e teve “luz verde” para voar, informou este domingo a Malaysia Airlines.

O incidente de 2012 ocorreu numa leve colisão com uma aeronave que estava na pista do Aeroporto Internacional de Shanghai Pudong, segundo relatos anteriores.

“O avião tinha uma parte da asa cortada. Uma porção, possivelmente de 1 metro, foi arrancada”, disse aos jornalistas o presidente da companhia, Ahmad Jauhari, acrescentando que o problema foi reparado pela Boeing, que garantiu que o avião “estava seguro para voar”.

O Boeing 777-200, que fazia o voo MH370, de Kuala Lumpur a Pequim, desapareceu na sexta-feira. A sua última localização foi registada nas águas entre a Malásia e o Vietname.

No entanto, ainda não foram encontrados destroços, embora as autoridades do Vietname e da Malásia tenham dito que manchas de combustível detectadas no mar estavam perto do local onde foi perdido o contacto com o avião.

Parentes dos passageiros partem esta segunda-feira para Kuala Lumpur, capital malaia, onde serão assistidos pela companhia. De acordo com a Xinhua, agência oficial de notícias da China, cinco parentes de cada um dos passageiros chineses do avião desaparecido poderão seguir num voo especial, disse o porta-voz da Malaysia Airlines, Ong Ming Choy.

Segundo as autoridades malaias, é possível que os pilotos tenham tentado voltar a Kuala Lumpur, uma vez que as informações de radar indicam mudança de rota.

Avião poderá ter-se desintegrado no ar

A investigação preliminar ao desaparecimento do avião das linhas aéreas da Malásia aponta para desintegração no ar. A hipótese foi avançada pela agência Reuters, que cita fonte da investigação, dando seguimento à tese de terrorismo, que está a ser investigada depois de terem sido divulgadas informações sobre dois passageiros que viajariam com passaportes roubados na Tailândia.

Pelo menos dois passaportes – um austríaco e um italiano – estavam registados na base de dados como perdidos ou roubados. O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, afirmou que o sistema de segurança dos aeroportos do país pode ser revisto.

Os dois passaportes roubados foram usados no mesmo dia, na mesma agência, para comprar passagens para o voo MH370, reforçando a ideia de atentado terrorista.

ZAP / Lusa / ABr

PARTILHAR

RESPONDER

Cavani: brasileiros com milhões... mas pessimistas

O Grémio estabelece quatro parcerias para contratar o uruguaio. No entanto, a direção do clube não acredita que Cavani se vai mudar para Porto Alegre. "Na vida, se não conversas, nada sabes. Até pode surgir uma …

Ministério da Saúde indiano sem dados sobre médicos que morreram de covid-19. Associação fala em 382 óbitos

Depois de o Ministério da Saúde indiano ter afirmado esta semana que o não dispõe dos dados sobre os profissionais de saúde que morreram devido à covid-19, a Associação Médica do país publicou uma lista …

Chega apresenta proposta que prevê castração química para pedófilos

O projeto de revisão constitucional do Chega, entregue hoje no parlamento, prevê a remoção dos órgãos genitais a criminosos condenados por violação de menores, algo que em si mesmo encerra dúvidas de conformidade com a …

Fluminense: as derrotas pós-Evanilson e as quatro ausências de Fred

O reforço do FC Porto deixou a equipa brasileira que, desde essa transferência, contabiliza mais derrotas do que vitórias. A instabilidade de Fred não ajuda. Portugal continua mais atento ao Flamengo do que ao Fluminense, mesmo …

MP suíço pede 28 meses de prisão para presidente do PSG e 3 anos para Valcke

O Ministério Público suíço pediu, esta terça-feira, uma pena de 28 meses de prisão para Nasser Al-Khelaïfi, presidente do Paris Saint-Germain, e de três anos para Jérôme Valcke, antigo número dois da FIFA. Trata-se dos primeiros …

Empresa japonesa cria lâmpada UV inócua para humanos que inativa coronavírus

Uma empresa japonesa desenvolveu uma lâmpada de radiação ultravioleta que inativa o novo coronavírus, recorrendo a um comprimento de onda que um estudo científico diz ser inócuo para os seres humanos. A lâmpada Care 222 foi …

Trump pede à ONU atribuição de sanções à China por ter "ocultado factos relevantes"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, exortou hoje as Nações Unidas a “pedirem responsabilidades à China” pela sua atuação na fase inicial da expansão da pandemia de covid-19. Na sua intervenção durante o debate geral da …

Há um "clima de medo e insatisfação" nas Forças Armadas, diz Associação de Sargentos

O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), Lima Coelho, disse à Rádio Renascença que se vive um "clima de medo e insatisfação nas Forças Armadas", que inclui ameaças, avaliações injustas, demora excessiva das reclamações …

Teletrabalho e questões ambientais são prioridade para o PS no início da sessão legislativa

A líder parlamentar do PS afirma que duas das principais prioridades da sua bancada no início da presente sessão legislativa vão passar pela regulamentação do teletrabalho e pela aprovação de uma lei de bases do …

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie

A justiça alemã abriu um novo inquérito contra o principal suspeito do desaparecimento de Maddie McCann, relativo à violação de uma jovem irlandesa, em 2004, anunciou, esta terça-feira, o procurador de Brunswick. "Posso confirmar que investigamos …