/

Atleta paralímpica foi pedida em casamento depois da meta

(cv) Global Times / Twitter

Keula Pereira Semedo foi pedida em casamento nos Jogos Paralímpicos

O dia desta quinta-feira nos Jogos Paralímpicos de Tóquio ficou marcado por uma cena romântica: Keula Pereira Semedo foi pedida em casamento logo após cruzar a meta — e aceitou.

Keula Pereira Semedo — uma sprinter com deficiências visuais, cuja história partilhou num vídeo do YouTubefalhou a qualificação nos 200 metros T11, mas ganhou… um noivo. Manuel Vaz da Veiga, namorado e guia da cabo-verdiana, ajoelhou-se perante o estádio depois da atleta cruzar a meta e pediu-a em casamento.

A fisioterapeuta de 32 anos começou a correr aos 15 em Cabo Verde, mas veio para Portugal por volta de 2010. Depois de uma pausa na carreira, voltou a dedicar-se à corrida em 2012 e chegou agora aos seus primeiros Jogos Paralímpicos, escreve o Observador.

“Com o pedido de casamento estou a sentir várias emoções agora. Não tenho palavras para descrever o que sinto. Tenho a certeza que os pais de ambos vão ficar muito contentes. Vão gostar. Estes foram os meus primeiros Jogos Paralímpicos e com a minha idade e velocidade até estava a pensar parar depois. Mas agora tenho motivação adicional para continuar, sempre com ele [Manuel] ao meu lado”, disse após a corrida em declarações ao site da competição.

Achei que era a melhor ocasião e o melhor local, visto que a pista é a sua segunda casa. Estamos juntos há 11 anos e eu pensei que era tempo de pedi-la em casamento, então porque não?”, contou Manuel, que andava a planear tudo desde julho.

Mas o caso não é inédito: o mesmo aconteceu na edição deste ano dos Jogos Olímpicos, quando o futebolista alemão Max Kruse pediu a namorada em casamento.

O pedido aconteceu, em direto, no final de uma entrevista para um canal de televisão, que aconteceu depois do encontro entre a Alemanha e a Arábia Saudita (3-2), no segundo jogo dos Jogos Olímpicos.

Kruse tirou a camisola da seleção e, por baixo, tinha uma outra com uma mensagem para a namorada. O jogador explicou que a ideia era esperar até marcar um golo mas, pelo sim pelo não, avançou mais cedo. De acordo com a M80, o futebolista de 33 anos ouviu mais tarde a palavra “Sim”.

  Sofia Teixeira Santos, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.